Origem da decisão que rende R$ 31 milhões à Uniplac

Origem da decisão que rende R$ 31 milhões à Uniplac

2 1935

Na conversa com o colega Adilson Oliveira na Rádio Clube FM comentava que não recordava em que época a Uniplac começou a depositar em juízo os valores referentes ao Imposto de Renda, enquanto se discutia o mérito sobre a quem pertencia o referido tributo. Para você entender, uma ação judicial questionou se a universidade precisaria pagar Imposto de Renda, por ser uma instituição comunitária e, enquanto não se julgou o mérito, os valores foram sendo depositados numa conta judicial específica. E agora saiu a decisão do STF dando ganhou de causa à Uniplac.


FOI NOS TEMPOS DE NARA GÖCKS

Essa decisão de recolher em juízo os valores em que pairava dúvida sobre a quem pertenceria ocorreu na época que a professora Nara Kuhn Göcks foi reitora da Uniplac. Coube ao então procurador jurídico, o falecido Ramon Silva a orientação e o parecer pela providência. A ação demorou tanto que o saudoso Ramon nem é vivo para comemorar o feito que rende R$ 31 milhões nos cofres da universidade. Mas a professora Nara Göcks segue nas atividades e, por certo, ficou bem contente ao saber da notícia.

nara001

Professora Nara Göcks, em cuja gestão como Reitora da Uniplac, surgiu a decisão de depositar em juízo o valor do Imposto de Renda devido, por haver interpretação de que não caberia à instituição pagar esse tributo. Agora saiu a decisão confirmando isso e a universidade embolsa R$ 31 milhões que se constituem valores que, ao invés de serem pagos ao Governo Federal, foram ao longo do tempo sendo depositados numa conta especial

2 Comentarios

  1. Que legal ótima notícia para UNIPLAC.
    Que tal usar um pouco desse dinheiro e construir um complexo esportivo na Universidade.
    Pois já se passaram mais de 20 de curso de Educação Física e até agora, nada,nada,nada.

  2. Parabéns a Professora Nara e equipe, teve um trabalho brilhante frente a Uniplac, as vezes pouco reconhecido. Abraço

Deixe uma resposta