Hospital Infantil: Classificação de risco causa polêmica

Hospital Infantil: Classificação de risco causa polêmica

5 1215

Já se vinculou o ocorrido à campanha eleitoral, à inauguração de obras e tudo mais. O fato é que a segunda-feira foi de transtorno para dezenas de mães que se dirigiram ao Hospital Infantil Seara do Bem. Durante todo o dia a reclamação era do tempo de espera. Mães citando que esperavam até 4 horas para atendimento. Na boca da noite o colega Carlinhos Theis (Rádio Guri) foi ao Hospital Infantil conferir e gravou um vídeo confirmando a grande quantidade de pessoas com seus filhos esperando. A maioria bastante chateada com a demora. O radialista recebeu explicações sobre o que estava acontecendo e o assunto dominou a rede social com debates políticos sobre o assunto. A RBSTV pediu autorização a Carlinhos Theis para usar sua imagem em possível reportagem sobre o assunto.


O QUE VEM ACONTECENDO?

Desde o dia 26 de setembro, ontem portanto, o Hospital Infantil Seara do Bem passou a adotar o protocolo de Acolhimento e Classificação de Risco. E a própria instituição esclarece:

“A necessidade de classificação de risco em unidades de saúde está normatizada pelo Ministério da Saúde desde 2002 por meio da Portaria 2048 que propõe a implantação do acolhimento e da triagem classificatória de risco nas unidades de atendimento de urgências e reafirmada pela Portaria 2.395, de 11 de outubro de 2011 onde organiza o Componente Hospitalar da Rede de Atenção às Urgências no âmbito do SUS”.


AINDA SEGUNDO O HOSPITAL

“O processo de classificação de risco visa a organizar o acesso do usuário por meio da identificação do risco de saúde e da vulnerabilidade de cada usuário, não mais atendendo por ordem de chegada. Para a classificação de risco é necessário utilizar critérios definidos em protocolos. O protocolo, por sua vez, é um dispositivo de organização dos fluxos com base em critérios que visam priorizar o atendimento aos pacientes, os quais apresentam maior risco e/ou sinais e sintomas de gravidade, organizando toda a demanda”.

hisbbb

O referido protocolo é identificado por cores. Observe que em caso onde a criança chega em situação de emergência é atendida imediatamente. O ‘muito urgente’ tem tolerância de 15 minutos. E naqueles casos onde o paciente chega sem queixas (cor azul) a espera pode ser de até 4 horas.

5 Comentarios

  1. Sobre o problema da demora, há os esclarecimentos do Hisb. Triagem necessária. Emergências atendimento prioritário, entre outras feitas pela Direção clínica.
    De outro lado, respeitadas as reclamações, é de se considerar esses comenta´rios:
    afael Araujo da Costa avaliou Hospital Infantil Seara do Bem —
    5 estrela
    24 de setembro às 09:05 ·

    Atendimento e cuidado excepcionais. Trabalhadores muito experientes e comprometidos. Que Deus abençoe a todos.
    Curtir
    ComentarCompartilhar
    1 Gerton Ribeiro
    Comentários
    Marilaini Bonessi de Macedo avaliou Hospital Infantil Seara do Bem —
    4 estrela
    12 de setembro às 20:19 ·

    Acho q é uma bênção ter ao nosso alcance o hospital. Acredito q com a reforma q está acontecendo melhore aind mais não só o espaço físico mas o atendimento d uma form geral.
    CurtirMostrar mais reações
    ComentarCompartilhar
    Comentários
    Meriane Jhony avaliou Hospital Infantil Seara do Bem —
    4 estrela
    24 de setembro às 20:18 ·

    Do hospital seara do bem e otimo no cuidado dos leitos no atendimento algumas vezes
    Mais tem que tomaram uma atitude com algumas enfermeiras que nao gostam do que fazem que tratam os nossos filhos como um animal..
    Eu como mae nao admito isso com minha filha…
    So agradeco a medica graziela uma otima pessoa..
    Adorei a atencao e o atendimento dela…
    CurtirMostrar mais reações
    ComentarCompartilhar
    Marli Andrade avaliou Hospital Infantil Seara do Bem —
    1 estrela
    16 de setembro às 20:52 ·

    Excelente trabalho, estão de parabéns, profissionais nota 10, estou com meu neto internado, ele recebeu a visita da cadelinha kiki muito fofa, aula com a professora muito simpática e o corpo de funcionários muito carinhosos, amei, obrigado pessoal
    CurtirMostrar mais reações
    ComentarCompartilhar
    Comentários
    Cintia Torres avaliou Hospital Infantil Seara do Bem —
    5 estrela
    23 de setembro às 10:41 ·

    Excelente Em Atendimento e Dedicação a 4 anos Atrás Pude Conhecer o Belo Trabalho Do Hospital Hoje Minha Pequena Já Tem 4 Anos e Graças a Deus e Aos Profissionais Do Seara Do Bem Ela é Uma Crianças Saudável Só Tenho Que Agradecer
    CurtirMostrar mais reações
    ComentarCompartilhar
    Comentários
    Karla Fernanda avaliou Hospital Infantil Seara do Bem —
    4 estrela
    16 h ·

    Só tenho a dizer fui muito bem atendida…obrigada a todos do hospital,trataram muito bem minha filha…

  2. Realmente a classificação é uma norma federal e os hospitais que não implantarem perderão os repasses de verba para manutenção das emergências. O Hospital Nossa senhora dos Prazeres e o Pronto Atwndimento serão os próximos a implantar, e não adianta candidato a prefeito e prefeito se meter dizendo isso ou aquilo porque é portaria federal e a decisão é de cima para baixo. Também servirá para adequar os atendimentos aos postos de saúde pois as situações que não são emergências devem obrigatoriamente ser feitos em ambulatórios, consultórios e postos de saúde. Atwndimento de urgência é aquele que se não for realizado o tratamento em até 24 horas o paciente pode ir a óbito e o de emergência em até 6 horas. O restante é eletivo e não de emergência. Como pomposos e laboratórios demoram para atender e fazer exames existe a cultura de procurar a emergência e criar um situação para conseguir mais rápido o atendimento. Na verdade tem-se que melhorar os atendimentos ambulatoriais.

  3. Creio que falta um esclarecimento a todos: o Hospital Infantil é uma instituição privada, mas sem fins lucrativos. O atendimento naquela parte é feita pelo SUS, mas creio que a imensa maioria dos serranos crê que o Hospital seja público, do Estado, como é o Hospital Geral Teresa Ramos. E não é! Não estou dizendo que esse critério seja certo ou errado, pois não tenho conhecimento técnico para avaliar isso, mas o fato é que sei que o HISB tem algumas dificuldades financeiras e o Estado acaba ajudando na compra de equipamentos, porém, a parte de alimentação e remédios é bancada com recursos próprios. Assim, temos de ter um pouco de cuidado na hora de exigir atendimento gratuito e urgentíssimo por, de repente, algo que não é tão urgente assim, e, principalmente, de quem não tem essa obrigação!

  4. Edson, a ideia é boa e no Pronto Socorro funciona da mesma forma.
    Em tempo, sou leitor assíduo do blog, e creio ser interessante compartilhar minha experiência aqui.
    As cores ñ tem a ver com o grau de risco e sim com o q o atendente/técnico/enfermeiro acha q é! Infelizmente, as cores (o grau de risco) são baseadas na opinião dele.
    Há duas semanas levei minha esposa naquele local em decorrência de uma infecção no ouvido. Classificaram como “Amarela”. Depois de uma hora e meia, foi atendida, receitaram uma bezetacil e ok. Uma moça teve a mesma classificação de risco e também esperou esse tempo para ser atendida. Porém, ela estava com batimentos cardíacos acima de 180/min! Isso mesmo! O médico, quando a atendeu, chamou a atenção (pra ser educado) das profissionais pois a paciente sequer deveria ir caminhando da sala de espera até o consultório, pois além dos batimentos, a pressão arterial estava bem alterada.
    Ouvimos tanto nas últimas eleições sobre atendimento humanizado… acredito q nestes casos, o melhor mesmo é um software, onde cfme os sintomas, o paciente receberá sua classificação justa, independente da boa ou má vontade do atendente.
    Abraços!

Deixe uma resposta