Alguns resmungos pós-eleição em Lages

Alguns resmungos pós-eleição em Lages

2 1479

Lá se vão para duas semanas desde que se ouviu a voz das urnas em Lages. E onde a gente anda tem interpretação a respeito de dados e dos votos dados aos concorrentes. Há até quem se especializou a analisar onde cada um dos três concorrentes se saiu melhor no pleito dentro dos quadrantes da paróquia. O próprio professor e colunista Ari Martendal apresenta em sua coluna de O Momento uma constatação:

ariCeron também perdeu num dos bairros com maior quantidade de eleitores, o Guarujá, mas foi bem votado no interior de Lages



SOBRE O RESULTADO NO CENTRO

Ouvimos de um integrante da coligação ceronista a ponderação:

“Tem entidade que faz carta disto e daquilo e quase impõe que o candidato assine – até porque se não assinar acaba sendo malhado e corre risco de perder voto. Mas no caso desta eleição, fizeram carta, exigiram isto e aqui e votaram nos outros. Ao invés de ficarem dizendo o que os eleitos devem fazer, deveriam é ir para a rua, concorrer e daí sim fazer aquilo que entendem que deve ser feito”.

Se a carapuça couber em alguém, fiquem à vontade!

Ceron003

Claro que prevalece o discurso do ‘administrar para todos’. Porém, aquilo que se enfrentou na disputa fica num cantinho da vivência e volta e meia é lembrado

SIMILAR ARTICLES

2 Comentarios

  1. Com a manifestação deste integrante da chapa eleita a respeito das tais cartas elaboradas por entidades solicitando que o governo seja realizado de forma séria, respeitando ao que diz a lei etc, dá para perceber que, comparecem aos eventos e manifestam “preocupação” com o que se pede apenas para angariar votos.
    Afinal, por que vamos fazer algo que é certo se podemos fazer somente aquilo que queremos? Por que vamos respeitar às leis? Não precisa, não é mesmo?
    Nossos políticos, independente de partido, a cada dia que passa começam a não se preocupar tanto com esconder o real interesse deles. Como já falei aqui em outra oportunidade, lembra a frase do personagem de Chico Anysio, Justo Veríssimo que sempre dizia “Quero que pobre se exploda!”. Esse é o mote dos nossos políticos, apenas substitua pobre por “quem não faz parte do meu grupo”. TFA

  2. Na verdade a análise do votos diz que muito mais da metade da população de Lages não gostaria de ter o Ceron como prefeito, mas o modelo é esse e ponto final. Cabe a ele reverter a rejeição.

Deixe uma resposta