Luto em Lages: Perdemos João Rath aos 92 anos

4
4388

Morreu João Rath. Será sepultado na metade da tarde (16h30min) no Cemitério Cruz das Almas. Quem foi João Rath? Foi muito e ainda será para sempre João Rath. Peço licença ao Doutor Raul Arruda Filho para utilizar um texto seu que guardei sobre João Rath quando ele completou 87 anos há 5 anos:

“Durante anos, lá nos fundos de A Sua Livraria, os finais de manhã eram reservados à conversa fiada. O cenário não apresentava muitos elementos׃ João Rath atrás da escrivaninha, algum amigo sentado no sofá. Enquanto João conferia os pagamentos bancários do dia, o visitante lia os jornais. Muitas vezes João era interrompido por comentários indignados sobre alguma coisa tola, dessas que jamais vão alterar a ordem do mundo – apesar de estarem estampadas nas manchetes do dia. Ele parava o serviço, fazia de conta que não estava sendo incomodado, e, como nunca entrava em divididas ou sustentava posições radicais, dizia alguma coisa contemporizadora. Em seguida, voltava aos cálculos. Normalmente, era o suficiente para restabelecer a ordem.

Claro que alguns visitantes (Lélia Pamplona, Sergio Ramos, Ari Martendal, Valmir Nunes, Edézio Caon, Alcione Wagner, eu, entre outros) não se contentavam em ser abandonados alegremente. Em caso de desespero, principalmente quando o Mestre não atendia as nossas carências afetivas, assuntos não faltavam. Bastava recordar o antigamente, os bailes no Quatorze, o “footing” nos tempos de “A voz da cidade”, os piqueniques que deixaram saudade, momento em que ninguém consegue se controlar quando percebe que o tempo engoliu a toalha xadrez, centenas de formigas e uma garoa fina no meio da tarde.

João, chateado pela quebra da rotina, alegre por poder dialogar com os amigos, esquecia – por algum tempo − a administração da livraria, e se dedicava ao doce prazer de “jogar conversa fora“. E contava histórias fantásticas (algumas se repetiam, mas isso nunca foi importante, parece até que adquiriam um sabor renovado, muito mais delicioso).

Essa imagem pertence a um mundo que se perdeu. A livraria não existe mais. João (um “rath” de livraria, como ele gostava de trocadilhar) se aposentou. Alguns dos amigos que se encontravam na livraria também já foram embora. Essa é a parte chata do existir. No entanto, o que importa neste momento é outra coisa: João, apesar de alguns problemas de saúde, continua forte, hoje é o seu aniversário, 87 anos.

Há uma coincidência estranha no fato de um livreiro ter nascido em um dia que a literatura mundial considera especial. Hoje é também o Bloom’s day, “Dia de Bloom”, dia em que os desencontros entre Leopold Bloom, Molly Bloom e Stephen Dedalus são narrados nas oitocentas e tantas paginas do romance “Ulisses”, escrito por James Joyce.

Entre Dublin, na Irlanda, e Lages, no Brasil, diferenças inquestionáveis. Mas também há esse elo, essa forma pouco ortodoxa da literatura estabelecer um ponto de contato entre a vida e a ficção.

Hoje é dia de ir abraçar João, aquele que sempre considerei meu avô postiço – e que sempre me tratou com o carinho e paciência. Hoje é dia de dizer, em voz alta, sem medo, que ele é uma parte muito especial de nossas vidas (na minha, na de sua esposa, na de seus filhos e netos, na dos amigos). Hoje é o dia de João: John’s Day, ou melhor, Rath’s day.

rathb

Alguns da turma (da esquerda para a direita): João Francisco Regis Rath de Oliveira, Danilo Thiago de Castro, Nereu de Lima Goss, José Ari Celso Martendal, Raul José Matos de Arruda Filho. Na parede, um retrato de mocidade, a nos lembrar a passagem – inexorável! – do tempo”.

Texto: Raul Arruda Filho


FUNDADOR DO GRUPO DE

ESCOTEIROS LAGES 01/SC

João Rath como é conhecido viveu do comércio de livros durante 62 anos e foi proprietário da “A Sua Livraria” por mais de 50 anos quando fechou as portas em 2009.  Segundo João Rath uma das maiores novidades de Lages ocorreu nos anos de 1940 com a chegada do jornalista Alcebiades Dutra, que veio para cobrir a 1ª Feira Agropecuária em Lages e acabou se apaixonando pela cidade, criando um jornal e influenciando um sistema de alto-falantes na Praça João Costa, que foi o embrião da nossa Rádio Clube, foi nessa época que João Rath  já com seus 16 anos de idade convidou um grupo de amigos para organizar uma patrulha escoteira, e recebendo de imediato, a adesão de Sebastião Atahyde, Darcy Schmauch, Rubião Waltrick, Heliodoro Muniz e Aldo Neves Burger. Nascia assim em 15 de Março de 1940 a Tropa Tupi que depois passou a se chamar Grupo Escoteiro Tupi e hoje é o Grupo Escoteiro Lages 01/SC.

rath

João Rath, durante homenagem no grupo de escoteiros que ajudou a fundar. Ele nasceu em 16 de Junho de 1924. Era filho de Gentil Lorena de Oliveira e Fausta Rath

rathj

Uma das últimas homenagens a João Rath feita pela Fundação Cultural de Lages no Salão do Livro



RESIDENCIAL TERRA:

PRONTO PARA MORAR E VIVER BEM!

Empreendimento diferenciado e com elevado padrão de qualidade, o Residencial Terra está pronto para morar. Você financia com facilidade e excelente localização. Visite, conheça e confira!

terrayy

Aqui está o prédio pronto e com todas as opções que somente um empreendimento diferenciado pode oferecer. Você pode negociar e se mudar imediatamente. Mais informações aqui.  Informações também neste telefone (49) 9162 6278!

COMPARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Caro Edson, agradeço, em nome de nossa familia, as lembranças aqui postadas, de meu querido avô.
    Lembranças estas, juntadas a outras de infância que tive junto a ele, que tornam essa história digna de publicações literárias, pelas quais ele dedicou grande parte de sua vida…

    Ricardo Gargioni e família…

  2. É claro que quem viveu a Lages de outrora como o meu pai, Névio Fernandes, deve achar difícil a vida em ambiente tão agitado e que muda a toda a hora em rwelação a um ´passadop em que contávamos as horas, as datas, havia a preparação para as festas, o footing, as conversas jogadas fora ou a luz dos lampiões, comprei alguns livros na Sua Livraria, na época do Colégio Diocesano e a onda atual dos shoppings, com certeza acaba com as antigas reuniões festivas nas livrarias, que sem dúvida eram os pontos de encontro dos literatos e amntes da leitura no passado, hoje a internet, fria e sem sentimentos, nos joga a um mundo que deve ser desvendado a toque de caixa e sem o menor romantismo. Por que naquela época havia a escalar tempo, a vida passa devagar, sem pressa, sorviamos tudo com calma, os amigos, as relações, os livros, tudo tinha um gosto a ser saboreado devagarinho. Nossos intelectuais e desbravadores da cultura lageana estão indo embora e o mais triste, não estão deixando seguidores, só restam as brumas do tempo e as recordações, João Rath, Souto Maior, Malinverni Filho, realizam belos saraus no céu, nosso baluarte Névio Fernandes, quem sabe um dos únicos contadores das histórias lageanas ainda avivadas, até quando…pois não damos o devido valor a nossa história.

  3. João Rath foi figura ímpar, na edificação do saber e na construção do pensamento literário em Lages.
    Certamente nossa cultura fica um pouco mais pobre com sua partida…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here