A Serra Catarinense na Guerra do Contestado

A Serra Catarinense na Guerra do Contestado

2 555

Advogado João Carlos Matias tem apresentado aos leitores do Jornal Correio Otaciliense relatos de uma Serra Catarinense de outros tempos. Aborda questões do nosso cotidiano, desde as benzedeiras, carneações, atividades madeireiras, bailes de antigamente, entre outros temas. Relatou até o episódio que envolveu a possibilidade do atual município de Palmeira receber a estrutura da Capital de SC (foram feitas demarcações e até um decreto para trazer a Capital para a Serra).


MAIS

Matias tem como pautas futuras a história de um ‘butiazeiro artilheiro’. Era uma árvore que resistia dentro de um campo de futebol e, por vezes, contribuía para um dos times. Outro relato futuro é sobre as tradicionais ‘vendas’, os armazéns de antigamente de secos e molhados, tão comuns no interior de nossos municípios. E nesta semana, porque um dos mais violentos conflitos armados do Brasil completa um século, João Matias escreveu sobre a Guerra do Contestado:

guerra01

guerra02

guerra04

 

guerra03

ATÉ CERRO NEGRO

ENTROU NA GUERRA

guerra06

O inteiro teor do relato absolutamente didático sobre o conflito armado e inclusive essa relação entre a Guerra do Contestado e Lages (que no meu caso eu nem sabia), está nas páginas do Correio Otaciliense desta semana. Ali há um relato também sobre a origem do conflito armado!

SIMILAR ARTICLES

2 Comentarios

  1. Sou muito interessado na Guerra do Contestado e como até hoje ela influencia a pobreza e a falta de perspectiva da nossa região, com o povo sendo tratado como uma doença a ser extiguida para explorar a terra de modo devastador.

    Inclusive é bom pesquisar quem era o advogado da Southern Brazil Lumber and Colonization Company. Ainda acho difícil de entender como uma pessoa da região entrou para a defesa de uma empresa que não tinha o mínimo respeito pela terra que estava pisando e nem o seu povo. Talvez o contexto da época era outro, em que pobre era tratado igual gado. Mas imagino que muitos dos que foram prejudicados pela empresa (que se não é o motivo principal da guerra, foi um estopim fortíssimo) depois ajudaram a eleger a mesma família a cargos políticos.

  2. No inicio da Guerra do Contestado o governador era o lageano Felipe Schimidt e no final da guerra era o lageano Vidal Ramos Senior e o prefeito era o Belisario Ramos. Acreditam que o advogado da empresa pivô dos conflitos era Nereu Ramos mas não é verdade. Nereu na época era apenas bacharel em direito.

Deixe uma resposta