Vereadores querem sobras da Câmara para a Saúde

1
324

Vereadores Mário Hoeller (PSB) e Luiz Marin (PP) se propuseram a uma cruzada interessante. Através de decreto legislativo pretendem que as chamadas sobras dos valores previstos para a Câmara de Vereadores se destinem exclusivamente para os hospitais Seara do Bem, Tereza Ramos, Nossa Senhora dos Prazeres e Pronto Atendimento Tito Bianchini. Explicando em miúdos, a Câmara tem direito a um percentual fixo da receita líquida todo mês. Porém, não gasta tal montante no todo para seu custeio. É essa diferença que os vereadores querem destinar às instituições de saúde.

MariaoB

Propósito dos vereador é boa, diante da ideia da diferença entre o valor e de direito e o gasto na Câmara ir para ajudar o setor de saúde


MAS TEM UM PROBLEMA

NO MEIO DA COISA…

Esse dinheiro, na verdade, não existe. Há o direito da Câmara do referido percentual. Entretanto, desde sempre, o legislativo recebe apenas os valores que gasta. Exemplificando: se tem direito a 10 dinheiro, mas gasta apenas 7, a prefeitura libera os 7. Os outros 3 nem chegam na Câmara. E tal ‘diferença’ acaba ficando na chamada conta mãe para custear as despesas diversas do Paço.


E…

Considerando a realidade financeira da prefeitura neste fechar de ano, a hipótese dessa diferença sair dos cofres para atender o decreto legislativo é quase zero. Até porque, o período é de extrema vacas magras no Paço, sem dinheiro se quer para pagar fornecedores.

Marinz

“A devolução da sobra dos recursos destinados à Câmara acontece devido ao bom gerenciamento, que prima pelo uso de recursos de forma racional e atendendo as necessidades sem exceder nos gastos, gerando economia e, consequentemente, um significativo superávit financeiro”, diz a justificativa da ideia do decreto, documento proposto pelos vereadores Marião e Luiz Marin.


QUAL ALTERNATIVA?

Seria efetivar o referido decreto, mas fazer igual a Assembleia Legislativa. Por lá, o Estado repassa o duodécimo e, se ocorre sobra fica numa conta da Alesc. No final do ano o valor era devolvido aos cofres estaduais. Era e não é mais porque, a partir da articulação do deputado Merísio, foi criado o Fundo dos Hospitais Filantrópicos. Assim, a sobra da Alesc é destinado a ajudar hospitais, Hemosc e Cepon.



CONHEÇA O RESIDENCIAL TERRA:

PRONTO PARA MORAR E VIVER BEM!

Empreendimento diferenciado e com elevado padrão de qualidade, o Residencial Terra está pronto para morar. Você financia com facilidade e excelente localização. Visite, conheça e confira!

terrayy

Aqui está o prédio pronto e com todas as opções que somente um empreendimento diferenciado pode oferecer. Você pode negociar e se mudar imediatamente. Mais informações aqui.  Informações também neste telefone (49) 9162 6278!

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Nos poderes estaduais estas sobras há algum tempo eram divididas aos funcionários sob a forma de auxilio ou vales alimentações de 4 a 5 mil reais. Atualmente os poderes retornam ao tesouro alguma coisa. Se estas sobras sobraram na câmara podem serem doadas mas se ficaram na prefeitura é muito difícil haver estra doação pois foram verbas não usadas pela câmara.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here