Entidade lageana se destaca por ação de inclusão

Entidade lageana se destaca por ação de inclusão

0 164

Em uma salinha, chamada de oficina, Valcir Antunes Thomaz, surpreende com a sua agilidade em cima de uma cadeira de rodas. O local é apertado e cheio de materiais, rodas, pneus, barras de ferro, matéria prima para o seu trabalho diário. Ele não se intimida com os poucos recursos, pois ele mesmo adaptou a sua cadeira de rodas com pneus mais resistentes e que aderem melhor em vários tipos de solo. Além disso, as cadeiras utilizadas nas competições esportivas também são consertadas por ele.

asdf

Valcir é vice-presidente da Associação Serrana dos Deficientes Físicos (ASDF) e representará a instituição durante o Prêmio Brasil + Inclusão no Congresso Nacional. “Estou muito feliz, é uma oportunidade de todos reconhecerem o nosso trabalho, eu queria poder fazer muito mais, tenho muitas ideias, mas faltam materiais. É um momento único, estou ansioso”.


SOBRE O RECONHECIMENTO

E O TRABALHO DA ENTIDADE

O reconhecimento é a maior premiação de inclusão da pessoa com deficiência do Brasil. Ele foi criado pela Câmara dos Deputados para reconhecer e valorizar quem se destaca na promoção da inclusão da pessoa com deficiência. A indicação da entidade foi feita pela deputada federal Carmen Zanotto. “A nossa associação tem uma estrutura humilde em comparação a muitas instituições do país, mas isso não impede que ela faça um excelente trabalho, por isso, esse reconhecimento nos deixa muito felizes”. A associação tem 270 associados, mas atende diariamente cerca de 50 pessoas, com atividades educacionais, esportivas, atendimento com psicológico e alimentação.



MÍDIA E PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

Deputada federal Carmen Zanotto defendeu que a mídia e as redes sociais difundem mais intensamente o potencial das pessoas com deficiência. A declaração foi feita no seminário Mídia e Deficiência realizado na Comissão de Defesa dos Direitos das pessoas com Deficiência.

carmenz

Para Carmen Zanotto, é preciso despertar e incentivar as famílias que tem pessoas com deficiência sobre as possibilidades e os avanços que existem para apoiar esses indivíduos. E apontou:

“É necessário que as famílias não cerceiem seus membros com deficiência do convívio social e tenham disposição para enfrentar possíveis constrangimentos”.

Sem comentarios

Deixe uma resposta