Orçamento inclui secretarias a serem extintas

Orçamento inclui secretarias a serem extintas

0 382

No último dia de trabalho da atual e ‘brilhante’ legislatura, foi aprovado o Orçamento de 2017, previsto na lei 068/16. O total bateu em R$ 550 milhões – pouco mais de meio bilhão de reais, portanto. E numa evidência de que o orçamento municipal é mesmo uma peça fictícia, os vereadores aprovaram, por exemplo, a destinação de R$ 10.667.000,00 para a Secretaria de Segurança do Município. Mas essa estrutura já está definido que deixará de existir a partir da reforça a ser enviada à Câmara em fevereiro.


O QUE ACONTECE COM A SEGURANÇA?

Na verdade não muda nada a extinção da Secretaria da Segurança. A tesourada apenas corta os cargos atualmente preenchidos – todos comissionados. Os servidores efetivos continuarão trabalhando normalmente, mas provavelmente subordinados à Secretaria de Administração, como era no passado. Até porque a Secretaria de Segurança de Lages não alterou o cenário de carências na hora, com sua instalação.

camaraor

Vereadores e técnicos do legislativo cuidaram dos detalhes que antecederam a votação do Orçamento de 2017


EMENDAS DOS VEREADORES

A peça orçamentária lageana recebeu 38 emendas por parte dos vereadores. Foram sugeridas pavimentações de ruas e de estradas no interior, melhorias na rede de esgoto, reparos em pontes, revitalização do Mercado Público, entre outros itens. Mas tais emendas não são impositivas. Caberá a Ceron decidir se acata ou não.


EMBORA

Algumas emendas não fazem sentido. Uma delas, por exemplo, é a reforma do Mercado Público. A obra já tem compromisso do Governo do Estado para ser executada. Desnecessário, portanto, colocar dinheiro municipal na referida revitalização.


ORÇAMENTO ESTADUAL SERÁ

VOTADO NESTA QUINTA-FEIRA

No PL 311/2016 o Governo Colombo estima tanto a receita quanto a despesa para 2017 em R$ 26.073.622.000,00 (pouco mais de R$ 26 bilhões), quantia 1,25% maior do que a de 2016. A maior parte será destinada para área da educação, com cerca de R$ 4,74 bilhões, ou 25,3% do montante proveniente dos impostos recolhidos e das transferências da União ao estado. A saúde vem logo a seguir, com a destinação de pouco mais de R$ 2,25 bilhões, correspondendo a 12% das receitas estaduais. Do total de 262 emendas apresentadas ao projeto, Marcos Vieira (PSDB) acatou 129, sendo 126 de autoria do relator (125 voltadas ao atendimento das demandas levantadas durante as audiências públicas do Orçamento Regionalizado e uma referente aos Consórcios Intermunicipais de Saúde).

Sem comentarios

Deixe uma resposta