Aida quer sessões da Câmara em TV Aberta

Aida quer sessões da Câmara em TV Aberta

5 505

É bastante otimista essa ideia da vereadora Aida Hoffer (PSD) de dar uma repaginada nas ações da Câmara de Vereadores, cortando gastos, inclusive de publicidade e de pessoal. Há ideia de aproximar o legislativo das pessoas, com o desafio de colocar as sessões em transmissões por sinal aberto na TV. As sessões até tresontontem eram transmitidas apenas pela internet e TV por Assinatura, com um público bem restrito acompanhando os trabalhos.


ENTRETANTO

Ou a vereadora Aida Hoffer sabe muito ou sabe muito pouco a respeito da transmissão de sessões do legislativo lageano em sinal aberto pela TV. É que não basta vontade. Carece vencer uma série de burocracias e bastante investimentos. Em relação à burocracia, o então presidente Thiago Oliveira (PMDB) deu alguns passos. A Assembleia Legislativa acenou parceria para ajudar os 10 principais municípios catarinenses a terem o canal legislativo em sinal aberto (tipo RBS, SBT, Record, Band SC). Mas é preciso investir para tanto.


UM EXEMPLO DE INVESTIMENTO

A transmissão das sessões em canal aberto requer aquisição, entre outros equipamentos, de uma antena digital. Estamos falando em custos superiores a R$ 1 milhão. Há ainda opção de, ao invés de comprar a antena, fazer uma locação. Mas isso custaria algo próximo a R$ 30 mil mensais.


LOGO…

A ideia de levar os trabalhos legislativos mais perto do povo, em sinal aberto na TV é viável. Mas não é só querer. Tem que investir. Sem contar o custo da operacionalização que inclui gasto com pessoal ou terceirização de empresa, tudo a ser feito por licitação, visto que a Câmara não pode contratar nenhuma empresa que custe mais e R$ 8 mil ao ano, sem licitar.

Presidente Aida Hoffer e um dos desafios: Transmitir as sessões da Câmara em TV Aberta e não apenas para meia dúzia na internet e na limitada TV a cabo

5 Comentarios

  1. Não podemos esquecer que o serviço de transmissão das sessões da TV Câmara precisa ser licitado. A informação de que a Imagem TV estaria assumindo este serviço causa estranheza, pois não fiquei sabendo de qualquer processo licitatório para que houvesse a troca da empresa. Ou estou mal informado ou, realmente, a troca foi feita sem licitação.

  2. Será muito bom pois quero ver se a presidente ira parar de fazer barraco e choradeira… e qual será seu discurso pois agora é situação

  3. Luciano, existe um limite de recursos em que por dispensa de licitação pode ser feita, não sei qual este valor para serviços afins. agora se for um valor mais alto e serviços mais complexos ai sim terá o processo, outra modalidade é a inexigibilidade quando só uma empresa detém um serviço específico que mais nenhuma empresa atende o interesse, mas deve haver sempre um processo para que fique bem marcado essas alternativas de licitação.

  4. Prezado Névio, o limite é de R$8.000,00 (oito mil reais) para um determinado objeto de contratação. Isto quer dizer que a Câmara não pode gastar todos os meses este valor para a mesma finalidade. Inexigibilidade não se aplica, pois existem diversas empresas que prestam este tipo de serviço. Ainda acredito que, neste caso, a licitação é obrigatória.

  5. Tenho duvidas se os Vereadores conhecem alguma coisa sobre as Leis 8666/93 e 12.349/10..
    Se deveriam conhecer??? LÓGICO… ou a principal finalidade dos car$$imo$ vereadores não é do controle parlamentar dos recursos públicos???

Deixe uma resposta