Empilhamento de presos inclusive em Lages

Empilhamento de presos inclusive em Lages

1 701

Escrevemos em O Momento desta quinta-feira, 19:

Num desses sábados escaldantes de janeiro, homens livres e de bons costumes se reuniram com a deputada Carmen Zanotto. Na pauta a sugestão de uma ação preventiva diante do caos que se instalou nos presídios longe daqui. Tenta-se alertar o Estado para que a crise lá de fora não obtenha ressonância ali nos bairros São Cristóvão e Santa Clara, onde ‘quase tem preso saindo pelo ladrão’. Na teoria o gesto demonstra o espírito de cidadania de segmentos sociais da paróquia. Na prática, respeitando o esforço dos articuladores, nada mudará. É que não existe cultura da prevenção nesse setor por causa do custo. Na matemática de quem não foi além da quarta forte em gestão, custa menos apagar incêndios que impedir que as chamas surjam.


AINDA

O presídio do bairro Santa Clara, que ninguém queria e quando se percebeu já estava ‘habitado’, começou respeitando a limitação de 352 vagas. Agora a realidade é bem mais empilhada. O presídio do São Cristóvão é aquele ‘coração de mãe’ onde sempre cabe mais um. E esses excessos têm a chancela do Estado, senão pela concordância, pela omissão. Resta então torcer que rebeliões sejam apenas coisas do noticiário da TV. Judiciário e MP até tentam administrar, acompanhando a situação e forças sociais acenam a preocupação. Mas providência prática apenas em caso de tragédia ou crise. Espera-se crise para amenizar o caos. Se já é difícil política pública para atender os soltos, que dirá os presos!

Presidente da OAB, advogado Célio Adriano Spagnolli, usando a palavra na discussão sobre um problema que preocupa também Lages. No registro acima a presença de representantes de entidades e instituições focados em alertar para a questão carcerária.

Deputada Carmen Zanotto, que integrou CPI na Câmara dos Deputados sobre a questão carcerária, participou da discussão, a partir da provocação realizada pela Maçonaria de Lages. Ideia foi levar ao Governo do Estado a preocupação sobre o assunto, inclusive em Lages.


Imagens: Zé Rabelo

1 Comentario

  1. “O presídio do bairro Santa Clara, que ninguém queria e quando se percebeu já estava ‘habitado’”

    Ou seja, ninguém quer presídio, mas se tá superlotado reclamam.

Deixe uma resposta