Estado emite nota sobre ‘motim’ em Lages

Estado emite nota sobre ‘motim’ em Lages

4 14719

“A Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania informa que por volta das 14h30 desta quinta-feira, 19, os detentos do Presídio Regional de Lages iniciaram um motim na unidade e atearam fogo em colchões, provocando um foco de incêndio, que foi rapidamente controlado pelo Corpo de Bombeiros.

Uma equipe de agentes penitenciários da região foi acionada e se dirigiu ao local para a contenção do movimento. Uma hora após o início do motim a situação foi totalmente controlada e a unidade prisional segue sob o controle do Estado.

Dez presos ficaram feridos com queimaduras e já estão sendo atendidos pelo serviço de saúde local. Não houve reféns, fugas e, até às 16h desta quinta-feira, nenhum óbito foi registrado. Todas as medidas operacionais, legais e periciais já foram tomadas, e o protocolo de segurança do Departamento de Administração Prisional (Deap) foi acionado, possibilitando o rápido e efetivo controle da situação”.

Imagem do local onde os presos tomam ‘banho de sol’ com o aparato de agentes do DEAP e PPT na situação controlada em Lages

No registro não se tem ideia de qualquer avaria decorrente do incêndio


PRESIDENTE DA OAB DE LAGES

ACOMPANHA A SITUAÇÃO

Advogado Célio Adriano Spagnoli, presidente da OAB de Lages, compartilhou no institucional da entidade a seguinte mensagem:

“Segundo informações que obtivemos junto ao Comando da PM e da direção do presídio, não se trata de rebelião, mas de um acerto de contas entre dois presos, na qual um deles tocou fogo em prtences do oiutro e a chama fugiu do controle. Tanto que a situação foi dominada pelos agentes em pouco tempo. De qualquer sorte, contatos o Juiz Corregedor e estamos de prontidão para eventualidades e acompanhamento do desfecho dos fatos”.


O MOTIM PELAS LENTES DO FOM

Fom Conradi e três imagens do episódio tratado como motim pelo Governo do Estado.

O diretor todo ‘sapecado de fumaça’ depois de conferir a situação do presídio após o princípio de incêndio…

Os agentes do DEAP armados até a goela para dar resposta – se necessário – em caso de eventual rebelião!

E a policial presente, atenta e acompanhando os desdobramentos!


Imagens: Fom Conradi

4 Comentarios

  1. Enquanto houver capitalismo, haverá prisões em vez de escolas, e não se parece em nada com prisões mexicanas são prisões lageanas mesmo.

    • Certamente, tentaram acabar com o capitalismo na URSS, lá não haviam prisões, e todos eram felizes! (é sarcasmo).

      A diferença é que, num país comunista você é preso por discordar do governo (o governo no caso é um partido), o cidadão de bem, trabalhador, que deseja formar capital é o “marginal”;

      Eita latinolândia, terreno fértil pra essas mrd@s filosóficas;

      E dá-lhe Marilena Chauí kkkk.

  2. Então tá, com praticamente 14 anos de “socialismo” criaram inúmeras escolas, vou fingir que acredito.
    Já existiam escolas do crime no Brasil com certeza, a única coisa que fizeram foi aperfeiçoar, nunca se roubou tanto como nesses últimos anos.
    Aquele slogan que diziam “Em tão pouco tempo tiraram milhões da pobreza”. Entende-se que tiraram $$$$ do povo, e bota milhões nisso.

Deixe uma resposta