Serra SC: Cortadores de araucária não ‘garram’ jeito

1
959

Trabalho da Polícia Militar Ambiental em Lages foi intensificado para coibir crimes ambientais contra a flora nativa. Diversas ações de fiscalização foram realizadas em toda Serra Catarinense. Entre os casos mais graves, pelo potencial de degradação, estão as ocorrências nos municípios de Anita Garibaldi, Campo Belo do Sul e Painel. Os infratores responderão processo administrativo e criminal, além de terem suas áreas embargadas e o dever de as recuperarem.

No interior de Anita Garibaldi foi identificada a extração de araucárias com a utilização de uma draga escavadeira. As árvores foram retiradas do solo com raiz para evitar a fiscalização e estavam sendo cortadas com motosserra, ambas as ações sem autorização.


MULTA DE R$ 128 MIL POR

DERRUBADA DE FLORESTA

Ainda no interior de Anita, policiais encontraram uma propriedade aonde foram retirados cerca de 10,5 hectares de floresta, equivalente a quase 10 campos de futebol.

“A alegação do infrator foi a de que queria ampliar sua área de pastagem. Diante da inexistência de autorização, ele foi autuado em R$ 128 mil”, diz o soldado Diego Kuster que integrou o pelotão que constatou o problema in loco.

Numa propriedade em Campo Belo do Sul, houve a eliminação de diversas araucárias. O corte estava sendo feito em uma serraria móvel acoplada a um trator. Nenhuma das atividades estava autorizada pelo órgão ambiental competente. Dessa forma, a serraria móvel e toda a madeira encontrada no local foram apreendidos.


NÃO SÓ EM CAMPO BELO…

Ocorrência similar foi atendida no interior do município de Painel. Na serraria móvel ocorria o beneficiamento de toras de araucária extraídas de diversas propriedades da localidade. O dono da serraria estava prestando o serviço aos moradores em troca de uma parte da madeira beneficiada. Quatro propriedades estavam realizando a atividade. Todas sem autorização. “As ações de fiscalização continuarão com a mesma intensidade visando reduzir a degradação de áreas naturais, essenciais para o equilíbrio dos ecossistemas e para a qualidade de vida humana”, reforça Diego Kuster.


Informações: Catarinas Comunicação

Imagens: Polícia Militar Ambiental

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Boa tarde Edson!
    Isso sem falar no município do Cerrito. É dar dó ver caminhões carregados de araucárias, inclusive já dando pinhão, sendo levadas para as serrarias. Para fugir da Polícia eles fazem o transporte a noite, mas isso a polícia já sabe. Mas como não são punidos continuam cortando pinheiro como se fosse maria mole….

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here