Caçador gaúcho mostra javali abatido na Serra

2
517498

Segue a cruzada no combate ao javali nas serras de SC e RS. Grupos atuando de acordo com a norma, têm se lançado no abate desses animais que, coma chegada da colheita, multiplicam-se com uma velocidade ainda maior. Volmar Alves de São Marcos, ali antes de Caxias do Sul/RS, compartilha imagens e informações:

“Esse estava apavorando alguns agricultores da região com destruição em plantações e com alguns bezerros que vinham sendo encontrados mortos”.

O animal é tão grande que ocupa toda a carroceria da caminhonete. O trabalho de caça que Volmar Alves faz atende a exigência da lei, a partir da devida autorização de autoridades e o pedido dos próprios donos de terras para combater a ameaça.


AQUI NA SERRA CATARINENSE

A Polícia Ambiental mantém um trabalho que foca vários quadrantes: orientação, conscientização e abate. Armadilhas foram feitas em parceria com pecuaristas e armadas em áreas onde se concentra maior quantidade de animais. As orientações para o abate (caça) a partir de autorização foram disseminadas e há crença que a situação já estava mais fora do controle. A safra deste ano será o maior termômetro em termos de perdas e ataques de javalis em municípios como Capão Alto, Campo Belo e Cerro Negro, situados na chamada Costa do Pelotas, onde a presença dos animais ocorria de forma mais intensa até a safra do ano passado.

Compartilhar a matéria

2 COMENTÁRIOS

  1. Cara, você é burro? Esse animal é uma espécie exótica que causa prejuízos às plantações, rebanhos e, inclusive, à fauna local!

  2. Gasta-se muito na perseguição de javalis na caça tradicional e os resultados são quase insignificantes, ao ouvir os cães e os tiros os animais fogem, alguém deve criar um sistema de captura em grandes quantidades, também, os caçadores obteriam melhores resultados com armas com silenciadores e visão noturna, já que não se trata simplesmente de caça desportiva.
    Minha opinião.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here