Lages diz não à reforma previdenciária proposta

1
362

Quarta-feira não é dia de sessão na Câmara de Lages. Mas lá estava a ampla maioria dos vereadores para falar e ouvir a respeito da proposta perversa de reforma previdenciária que está em curso. Os vereadores de Lages demonstraram respeito ao eleitor, comparecendo, ouvindo e falando a respeito do tema. A reforma, como está, representa uma medida perversa contra o cidadão. E esse tipo de iniciativa, que se repete em outros legislativos pelo Brasil afora, é uma forma de evidenciar que não existe cordeirismo naquilo que o Governo Federal propõe e impõe.

Juristas que dominam questões previdenciárias se somaram aos participantes da audiência pública coordenada pela presidente Aida Hoffer com dois focos: esclarecer e protestar!


AS REGRAS PERVERSAS

Pela reforma proposta, ninguém se aposentará com menos de 65 anos. E para receber 100% do benefício a partir de um teto a ser estabelecido, é preciso ter 49 anos de contribuição. Aposentadoria rural sem contribuição será extinta. Será preciso contribuir pelo menos 25 anos e ter 65 anos de idade (tanto homem quanto mulher). Será estabelecido um teto. Quem ganha mais que o tal teto, perderá a diferença, mesmo contribuindo sobre o que ganha. Quem recolhe para dois regimes previdenciários terá que optar por um porque será unificado. Essas e outras barbaridades compõem a reforma que se tenta aprovar a toque de caixa.

Vereadores Lucas Neves, Gerson dos Santos e Maurício Batalha, presentes na discussão

Vereador Amarildo Farias (PT), atento e consciente das perdas decorrentes da reforma, combate aquilo que se tenta aprovar no DF


DE UMA VALIA IMPORTANTE

A evidência da importância da audiência pública estava na presença de público na Câmara. Representantes de sindicatos, entidades e comunidade, integraram-se à discussão. Como esse tipo de trabalho segue em outros legislativos, constitui-se uma forma de movimentar o País contra aquilo que se pretende aprovar. Se dará resultado ou não, não se sabe. Mas pelo menos nossas lideranças não estão inertes.


DISCUSSÃO PELA SERRA

Nesta quinta-feira, 06, deputado Dirceu Dresch (PT) falará sobre a perversidade da reforma previdenciária em Cerro Negro. Será às 14 horas no Centro de Eventos do município. Vereadores Paulo Pinheiro e Hugomar Zanchetta de Anita Garibaldi encaminharam moção de repúdio aos termos da reforma. A mesma providência ocorreu nas Câmaras de Vereadores de Otacílio Costa, Bocaina do Sul e Campo Belo. Aos poucos, o movimento contrário à reforma se encorpa. Se isso dará resultado, o tempo dirá. Vale a luta!


Imagens da sessão: Zé Rabelo

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Seria bom FRISAR o nome De TODOS os vereadores que se manifestaram contrários à Reforma da previdencia e expor seus respectivos NOMES ao público para que nenhum, nem outro seja favorecido… se 4 foram citados todos os presentes merecem a mesma atenção obrigado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here