Nota do PMDB atesta: Dário Berger não é ‘trairão’

1
787

O bochicho nas internas do PMDB não é o relato do delator da JBS de que o Senador Dário Berger teria recebido dinheiro dos Batista para a campanha. Mas o fato de ter tido acesso aos recursos para votar contra o Senador Luís Henrique da Silveira quando esse concorreu e foi derrotado na eleição à presidência do Senado.


E POR ISSO…

O delator, chamado de vagabundo por Colombo e que deixou algumas carolas ruborizadas com o termo usado pelo governador, recebe também pedradas através de nota oficial assinada pelo presidente do PMDB, deputado Mauro Mariani:

“O PMDB/SC repudia a falta de compromisso com a verdade do referido delator ao colocar em dúvida a LEALDADE do senador Dário Berger ao nosso partido e ao nosso saudoso companheiro Luiz Henrique da Silveira. Em todos os momentos da sua vida pública e como membro do PMDB catarinense, Dário sempre foi um dos mais contundentes apoiadores de Luiz Henrique da Silveira. Como está inquestionavelmente comprovado, votou e esteve ao lado de Luiz Henrique da Silveira, não só na ocasião de sua candidatura à Presidência do Senado, como também na suas ações políticas. Desta forma, a Executiva Estadual do PMDB de Santa Catarina reforça a confiança e ética partidária ao Senador Dário Berger”.

Mariani assinou a nota onde defende Berger de qualquer suposição de que teria recebido dinheiro para trair o saudoso LHS

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. “Essa foi a grande decepção da vida dele. Muitos senadores que iriam votar nele, na hora H disseram não. Não da derrota política, mas a decepção com as pessoas”. (Ivete Appel da Silveira, viúva de LHS)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here