DIC e PM esclarecem latrocínio em menos de 24 h

0
9309

Aguardamos as informações oficiais e elas chegaram a respeito do bárbaro crime que tirou a vida do empresário José Elmar Godinho, 52 anos, assassinado com um tiro na noite de quinta-feira em sua padaria na frente do ginásio Jones Minosso. A informação é essa:

Trabalho conjunto entre a DIC de Lages e a Polícia Militar (PPT e P2) resultou no esclarecimento, em menos de 24 horas, do crime de latrocínio na Padaria e Confeitaria Tia Concia, situada na frente do ginásio Jones Minosso. O crime teria sido cometido por seis homens, sendo cinco maiores e um menor de idade. Eles teriam pratico o crime de forma planejada e com divisão de tarefas.


SEGUNDO A DIC…

Foram presos até o momento os agressores Paulo Ricardo Avila Tomaz, vulgo Playboy, Gian Carlos Santos Campos, Alexsandro Lotin dos Santos, conhecido como Gordinho, Hemerson Soares de Souza (Zé) e um adolescente de 16 anos.


O MODUS OPERANDI

DO LATROCÍNIO

Playboy seria o mentor intelectual e líder do grupo no latrocínio, pois o mesmo possui loja de película e som na Avenida 1.º de Maio. Por causa disso possuiria contato com comerciantes da região. Com isso ele levantou que na padaria da vítima havia possibilidade de ter grande quantidade em dinheiro. Assim, ele teria convocado os demais comparsas para praticarem o roubo.


O QUE FEZ PLAYBOY

SEGUNDO A POLÍCIA

Playboy teria contactado com Lotin solicitando que fornecesse sua motocicleta para ser utilizada no crime. Para isso, ganharia R$ 3.000,00. Lotin teria aceitado a proposta, fornecendo sua motocicleta. Foi então que Playboy contactou Hemerson Soares de Souza. Solicitou desse a arma de fogo emprestada – um revólver calibre 32. Informou-lhe que iriam fazer um roubo grande que renderia grande quantidade em dinheiro.

A arma utilizada para assassinar o empresário com quatro projéteis intactos foi apreendida pelos policiais com um dos suspeitos do latrocínio


DE ACORDO COM

A INVESTIGAÇÃO

Hemerson, de imediato, teria aceitado a proposta e, na tarde da quinta-feira, 25, às 17h, deslocou-se até a casa de Playboy e lhe entregou a arma de fogo com cinco munições intactas. Hemerson iria receber a quantia aproximada de R$ 10.000,00, equivale a 20% do valor que eles acreditavam que iriam roubar.


OUTRO INTEGRANTE

Gian Carlos Santos Campos tinha a atribuição de conseguir um segundo executor do crime, que iria executar o delito juntamente com o adolescente de 16 anos. Coube ainda ao mesmo a atribuição de ocultar a arma, motocicleta, capacetes e roupas utilizadas na execução da infração, bem como os valores roubados. Alvo era um valor de R$ 50 mil.



QUEM COMETEU O DELITO?

De acordo com a informação da DIC, quem praticou o ato executório foi o adolescente de 16 anos -, que se encontra apreendido – e um segundo comparsa, o qual ainda não foi localizado. O disparo de arma de fogo teria sido efetuado por este comparsa foragido. Durante as diligências foi localizada e apreendida a arma de fogo utilizada no crime, a qual estava com quatro munições intactas, na posse de Hemerson Soares.


TRÊS CONFESSARAM O CRIME

A motocicleta utilizada no crime foi localizada e apreendida na posse de Lotin. Além dos objetos acima citados, foram localizados e apreendidos um capacete e duas jaquetas que foram utilizados pelos executores no momento do crime.  Os quatro agressores maiores foram presos em flagrante. Eles se encontram presos provisoriamente à disposição da justiça. Três deles confessaram o crime e o quarto permaneceu em silêncio.  O adolescente foi apreendido e está internado à disposição daquilo que definir o Judiciário. O quinto participante do bárbaro crime deverá ser preso nas próximas horas.

O crime aconteceu na noite de quinta-feira. Os detidos pretendiam roubar R$ 50 mil da padaria e, para tanto, arquitetaram um plano que resultou na morte do empresário com um disparo de arma de fogo no peito.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here