Cozinha Comunitária: Liminar mantém atendimento

0
1286

Ali nos comentários um integrante do Conselho do Grupo Espírita Operários da Nova Era apontou que estávamos sendo parciais ao noticiar o fato da Prefeitura de Lages ter entrado na Justiça pedindo liminar para manter o atendimento às pessoas assistidas pela Cozinha Comunitária na região do bairro Guarujá. Não houve tratamento parcial ao conteúdo porque foi apenas uma informação. Sem entrar no mérito sobre culpa ou responsabilidade.


E…

Da mesma forma não se adentra a tais questões ao noticiar que, aquilo que Prefeitura de Lages buscou junto ao Judiciário, obteve no final da tarde da segunda-feira. A partir da ação patrocinada pela Procuradoria do Município, na pessoa do Procurador Agnelo Miranda, a Juíza Gisele Ribeiro, titular da Vara da Fazenda, deu decisão favorável ao município para que utilize o espaço da Cozinha Comunitária e mantenha o atendimento antes desenvolvido pelo Grupo Espírita – Geone.

O documento, que é público, aponta a decisão da Magistrada para a manutenção dos serviços na Cozinha Comunitária


SEM ACIRRAMENTO OU RIVALIDADE

Importante que fique claro nessa medida tomada pelo Município é que não há disputa ou rivalidade. Até porque, o trabalho desenvolvido pelo Grupo Espírita Operários da Nova Era foi e continua sendo muito importante. Apenas houve uma situação de impossibilidade de repassar recursos ao referido Grupo, exigindo-se que o município buscasse a decisão judicial para operacionalizar a manutenção do atendimento às 200 famílias beneficiadas pelos serviços da Cozinha Comunitária.


SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

VAI OPERACIONALIZAR  ATENDIMENTO

De acordo com o Procurador do Município Agnelo Miranda, o mais importante é que essa decisão permite que o município adentre ao espaço para providenciar a alimentação, atendendo as pessoas que dependiam dessa ação. “Ficamos contentes com o entendimento judicial nesse sentido porque se constitui algo socialmente importante e juridicamente respaldado pela lei”. Por sua vez o prefeito Ceron, ao saber da decisão, disse que o secretário Samuel Ramos (Assistência Social) já foi acionado para tomar as providências e manter o atendimento às pessoas. “O mais importante é que as pessoas assistidas continuarão tendo o apoio do poder público”.

Procurador Agnelo Miranda e a decisão em caráter liminar que vai prioriza uma demanda social atendendo 200 famílias

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here