Reforma Trabalhista: Manifesto apenas do Simproel

5
810

Quem mastiga o conteúdo da CLT lá da primeira metade do século passado tem noção de que a reforma trabalhista apresenta pontos mais positivos que negativos. Daí que a aprovação do projeto tem lá seus benefícios. Carece, no entanto, respeitar os divergentes. Aqueles que entendem que as novas regras tolhem direitos e beneficiam em demasia o empregador.


DE QUALQUER FORMA

O projeto da reforma trabalhista está aprovado e depende apenas da sanção de Temer. Senadores Dalírio Beber e Paulo Bauer (ambos tucanos) e Dário Berger (PMDB) votaram favoráveis. Se o eleitor discorda cobre deles na eleição do ano que vem.


REPERCUSSÃO EM LAGES:

REPÚDIO DO SIMPROEL

Em âmbito de Serra Catarinense apenas o Simproel – Sindicato dos Profissionais de Educação de Lages – veio a público repudiar a aprovação da reforça. A entidade emitiu uma nota de repúdio:

“Cinquenta senadores (incluindo os três catarinenses) eleitos pelo povo votaram a favor da Reforma Trabalhista, e traíram os trabalhadores brasileiros. Esses políticos, no entanto, continuam usufruindo de auxílios e regalias as custas da sociedade. O Brasil não precisa de uma reforma trabalhista, e sim de uma reforma política que reduza os custos da máquina pública, e valorize setores como a Educação. O Simproel manifesta indignação pela aprovação da Reforma Trabalhista, e militará democraticamente contra aqueles que foram coniventes com essa medida retrógrada e antidemocrática”.

A nota vem assinada pela presidente do Simproel, professora Elaine Moraes e as informações são do jornalista Fábio Ramos


TEOR DA REFORMA

Naturalmente que a gente não vai detalhar aqui o que muda, o que é melhor e o pior ao trabalhador. Há vários portais especializados no assunto aos quais a gente recomenda acesso, leitura e conclusão própria de cada vivente afetado pelo que o Senado aprovou!

COMPARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Trabalho com Depto. Pessoal fazem 20 anos e digo que a reforma era totalmente necessária, lógico que respeito quem pensa diferente. A maioria do chororô é que acabou a mamata dos Sindicatos, que perderam seu dinheirinho para fazer politicagem. São, inacreditáveis quase 12.000 Sindicatos de Trabalhadores e mais de 5.000 Sindicatos Patronais, em todo o Brasil que arrecadam mais de 3,5 bilhões de reais e tudo isso cria uma desconfiança, um medo para o empregador. O que a reforma propõe em termos de acordo entre patrões e empregados já acontece hoje, muitos trabalhadores trabalham informalmente e sem carteira assinada, de comum acordo com seus empregadores.

  2. Esta reforma fascista contempla irremediavelmente o empresariado brasileiro que financia a maior parte dos políticos corruptos no Brasil, esta cantilena de que vai gerar mais empregos e regtrar quem está na informalidade é pura balela, as relações trabalhista sofrem há várias décadas vários baques ou seja pela quebra das leis trabalhistas e do próprio capitalismo que invoca justamente a falência dos sindicatos para pegar um trabalhador inocente e que não possui maneira alguma de sentar em uma mesa de negociações, para isso a lei protetiva preceitua o sindicato como agente obrigatório para proteger o trabalhador, o trabalhador possui um direito indisponível, sua mais valia, ou a mão de obra, muitos desses trabalhadores são obrigados pelos patrões a criticarem os sindicatos, para não ´perderem, seus empregos. Enfim, iremos para o fundo do poço, com salarios baixos, empregadores lucrando cada vez mais com exploração da mão de obra e desinformando que acham que trajédias são benéficas nessa área, meu caro Otávio tomara que você conserve seu emprego, senão vai ser mais um capitalista sem capital arrependido na paróquia. A reforma é fascista, qualquer homém com inteligência média é capaz de perceber isso, o empresariado brasileiro não sabe administrar sem retirar dos trabalhadores o mínimo que ainda lhes resta e é claro que um Congresso feito por lobistas nunca pensará socialmente mas com seus próprios bolsos. Vergonhosa nossa bancada catarinense, dando mau exemplo ao Estado e saberemos nas eleições observar isso.

  3. A população brasileira pela nossa história sempre foi acomodada esperando dos políticos benécies que nunca foram as ideais, a CLT de GEtúlio e a Constituição de 1988, empreenderam no Brasil, algumas das ações que foram criadas na Escandinávia, conhecida como o Estado do Bem Estar Social, Dinamarca e Noruega são exemplos, colocando uma visão mais social no Capital. O neo liberalismo e seus discípulos venham no rastro de uma liberdade total sem regras, ou seja admitir e desempregar a toda hora sem restrições fazendo do trabalhador uma mera mola do capitalismo e da produção, por isso quando se mobiliza, mídia de direita, judiciário controplado pela Maçonaria e um Congresso movido a negociatas e propinas, os resultados são catastróficos, ou seja, golpismo e enfraquecimento da economia do país entregando nossas espresas a preços de balela ao capital internacional, esse era o ideal do golpe, fragilizar o PT, através de Moro culpar o LULA em algum crime pré fabricado e criar pseudos herois como Dallagnol, Moro, Aécio e Bolsonaro, fazendo o país acreditar que essa turma seriam os salvadores da pátria, ocorre que até o pessoal que foram usados como massa de manobra, classe média, pequenos empresários e jovens de direita setrão os maiores prejudicados pois passarão fome por algo que defenderam, em síntese golpismo não traz benefícios nenhum, só coloca no poder uma classe iconsequente e maléfica. Como vamos tirar da informalidade se vai ser difícil criar empregos formais, como será o mercado consumidor com salários tão baixos, estaremos perdendo todas as conquistas ganhas como o PT e Lages que já está em crise, como ficará uma cidade extremamente dependente de verbas públicas, quer dizer os liberais não sabem lidarem com, crises, mas as criam. Abraços.

  4. Em relação a reforma: O ACORDO ESTÁ ACIMA DA LEI. Creio que isso já diz muita coisa, não é? Desde quando empregado negocia com empregador? Desde quando? É a mesma coisa que um cachorro de apartamento querer brigar com um leão. Em relação ao comentário acima do Otavio, entendo o lado dele. Normalmente quem trabalha com DP ou RH tende a ser mais ‘puxa saco’ da classe empresarial. A diferença é que a classe empresarial ganha dinheiro e classe dos ‘puxa saco’ ganham migalhas.

  5. Meu caro Augusto, justamente por causa destes acordos deficitários e injustos que foram criados os sindicatos, desde quando trabalhador pode combater o capital, por isso a lei trabalhista é impositiva e o trabalhador não pode disponibilizar direitos, mas isso incomoda empresários e o financiamento de deputados corruptos para estas votações é a própria cara da direita.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here