HNSP: Semana decisiva para serviço de emergência

0
1356

Jornalista Adecir Morais informou na sexta-feira, 21, em reportagem no Correio Lageano que uma nota emitida pelo Sindicato dos Médicos de Santa Catarina cita que os médicos que atuam no sobreaviso e plantão no Hospital Nossa Senhora dos Prazeres têm remuneração bancada em 50% pelo próprio hospital, outros 18% pela Prefeitura de Lages e 32% pelo Governo do Estado. E o atraso do Estado em 3 meses estaria causando a insatisfação ao ponto dos médicos trabalharem com a hipótese de suspensão dos trabalhos.


MAS O ESTADO DESMENTE

O SINDICATO DOS MÉDICOS

Segundo as informações do Governo do Estado, não é repassado nenhum percentual ao Hospital Nossa Senhora dos Prazeres para bancar salário de médico. O Estado inclusive é proibido pelo TCE/SC de repassar valores para custear salários. O que existe é um convênio de repasse mensal no valor de R$ 216.667,00 para custeio e manutenção da instituição hospitalar. Assim, o Estado não teria qualquer responsabilidade em relação a salários de médicos.


O ATRASO NOS REPASSES

Houve uma regularização recente de parte dos valores em atraso que o Estado deve ao Hospital. E isso aconteceu por causa da prestação de contas que o Nossa Senhora dos Prazeres procedeu. Mesmo assim essa prestação de contas continua demorada, acarretando na demora de repasses. Os recursos do convênio está contingenciados (guardados) para o hospital, mas juridicamente não haveria como o Estado repassar dinheiro sem a devida prestação de contas de repasses anteriores. Ou seja, o problema está no hospital!


DE QUALQUER FORMA

Quem não tem nada a ver com a história é o profissional médico que abdica de seu convívio familiar para fazer plantão. Que deixa outras atividades em segundo plano para fazer o sobreaviso. E para isso existe uma previsão de remuneração. E se essa não ocorre na totalidade (há pendência de 32%), o protesto, a insatisfação e, se for o caso, até a suspensão do trabalho não são gestos que rendam a tais profissionais críticas. Estão no pleno direito de externar à sociedade que sofrem pelo desrespeito que é a remuneração justa.

Médicos decidem nesta terça-feira, 25, inclusive a possibilidade de suspender plantões e sobre avisos na emergência do Hospital Nossa Senhora dos Prazeres pela falta de pagamento regular em relação às atividades prestadas. Pelo menos 32% das respectivas remunerações estão com pelo menos 90 dias de atraso

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here