Ambiental fiscaliza queimadas sem autorização

0
297

O mês de agosto se caracteriza pela época de queimadas, prática comum nas propriedades rurais da Serra Catarinense. O método é tradicional para renovação de pastagens, mas só é permitida com licença ambiental expedida pela Fatma, que trabalha em conjunto com a Polícia Militar Ambiental (PMA), esta responsável pela fiscalização das áreas.


CAUTELAS

A prática da queimada em campo nativo requer cuidados para evitar incidentes. A direção do vento é um fator importante. Em dias de temperatura muito elevada, deve ser evitada. É necessário avisar a vizinhança com três dias de antecedência, informando a hora, dia e local do início da queimada. O aceiro, que é a abertura da vegetação ao redor, precisa possuir largura suficiente para evitar a propagação do fogo para áreas não mapeadas e deve ser mantido sem vegetação rasteira. Todo o processo deve ser realizado por pessoal treinado e capacitado.


COMO PROCEDER

Quem tem interesse em realizar a queimada controlada deve procurar Fatma ou entrar em contato com a Polícia Ambiental. Para realizar o cadastro é necessário apresentar a documentação exigida para a liberação contendo, por exemplo, os dados da propriedade.


VALOR DA MULTA

“A queimada controlada sem autorização ou não cumprimento de contratos assinados é infração punível com multa de R$ 1 mil por hectare ou fração, tanto a PMA quanto a Fatma podem realizar a autuação”, aponta o 1.º Tenente Marco Antonio Marafon, Sub Comandante da Polícia Militar Ambiental em Lages.

A primeira queimada problemática do ano em área urbana de Lages se registrou dias atrás nas imediações do aeroporto Antônio Correia Pinto


Informações: Catarinas Comunicação

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here