Distritão elegeria Coruja e barraria Carmen

1
379

Para termos ideia, desde o princípio, do que significa esse possível novo modelo de votação a ser implantado na eleição do ano que vem, se o mesmo estivesse em vigor na eleição de 2014, não teríamos eleito uma Deputada Federal pela Serra Catarinense. Carmen Zanotto foi a 17.ª candidata à Câmara dos Deputados mais votada. Entrou – e com sobra – por causa da coligação do PPS com PP e PSDB.

PORÉM…

Se valesse o sistema de entrarem os mais votados, lá estaria Angela Albino que fez 9.347 votos a mais que Carmen Zanotto e ficou como suplente. Também entraria Edinho Bez (PMDB) com seus 102.633 votos e não Geovânia de Sá (PSDB) eleita por causa da coligação com meros 52.757.

Carmen que obteve votação expressiva em Lages, inclusive por causa da desistência do vereador Luiz Marin que era o nome do PP, não estaria entre as eleitas em 2014 se o sistema fosse o distritão



PARA DEPUTADO ESTADUAL COMO

TERIA SIDO COM O MODELO DISTRITÃO?

Se valesse o distritão, não teriam sido eleitos deputados estaduais os seguintes candidatos que hoje desempenham mandato na Assembleia Legislativa: Mário Marcondes, Rodrigo Minotto, Natalino Lázare, César Valduga, Patrício Destro e Claiton Salvaro.

E QUEM SERIA TITULAR

DESDE O PRINCÍPIO?

Dóia Guglielmi que fez 41.052 votos e não entrou, enquanto Salvaro obteve 14.986 votos e se tornou deputado, estaria entre os eleitos. Além dele, seriam deputados estaduais titulares desde o princípio, por estarem entre os 40 mais votados, Vampiro, Coruja, Dalmo Claro e Manoel Motta (os quatro do PMDB), ainda Nilson Gonçalves do PSDB.

Gabriel Ribeiro foi o 29.º candidato mais votado na eleição à Assembleia Legislativa em 2014 e estaria entre os eleitos desde o princípio se o modelo fosse o distritão

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Não fico me atendo aos cálculos mas me preocupo com o fator econômico em que os grandes empresários ou políticos patrocinados se elegem facilmente, aí não haveria diferença nenhuma do modelo atual, só barraria em parte os Tiriricas da vida e cantores sertanejos, a questão é que o bnrasileiro não possui a tão sonnhada maturidade eleitoral e a maiopr parte da população espera nas eleições a chance de ganhar cimento, telha, dinheiro e outras ajudas que reforçam o caráter desabonador das eleições.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here