O que pensa Coruja sobre modelo distritão?

0
383

“É só perceber que esse é um modelo que não tem em lugar nenhum do mundo. É uma invenção brasileira. Para mim, está claro que algo tem que ser feito, está na hora de mudar, mas não para isso. Essa reforma é totalmente casuística. Sempre que se personaliza a política acaba sendo ruim para a democracia”.

E olha que se estivesse em vigor o distritão quando Coruja disputou a eleição em 2014, ele seria um dos eleitos a Estadual, sem ter ficado na suplência pelo PMDB



CRÍTICA GANHA REPERCUSSÃO

Imprensa estadual repercute as palavras do deputado Coruja combatendo o que chama de endividamento do Estado por conta do empréstimo para o Fundam II. “Esse valor de R$ 1 bilhão e 500 milhões que o Governo está emprestando do BNDES/BB, com carência de um ano e juros ao redor de 14% ao ano vai deixar para o próximo governo um incremento na dívida que inviabilizará a economia do Estado”.

CONTA FUTURA

Coruja aponta que é natural que os municípios, neste momento difícil, fiquem aliviados com a chegada desse recurso (R$ 700 milhões do Fundam II). “Quem vai pagar essa conta? Ela fica para os próximos governantes, que terão anos difíceis pela frente”, aponta Coruja. Ele lembra que técnicos do governo afirmaram que “Santa Catarina tem capacidade de endividamento, mas não tem capacidade de pagamento”.

Compartilhar a matéria

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here