Coruja: “Foi uma bela aula, camarada Cao”

7
892

Amigo pessoal de Luiz Carlos Cancellier, reitor da UFSC sepultado na terça-feira, 03, deputado Fernando Coruja fez nesta quarta-feira, 04, um discurso emocionado, na Alesc. Enalteceu virtudes pessoais, acadêmicas e políticas daquele que foi também seu assessor jurídico, quando ocupou o cargo de secretário de Saúde de Santa Catarina (2003-2004).

EXAGERO DA PRISÃO

Coruja considerou exagero a prisão de Cao Cancellier dizendo que “talvez tenha sido autoritária, talvez tenha sido abusiva”. Ressaltou que estamos assistindo no Brasil a banalização das prisões provisórias e das conduções coercitivas abusivas, realizadas quase sempre de forma espetacular e midiática, sem nenhuma preocupação com a preservação da imagem daqueles que sequer podem ser considerados culpados.

DUAS LIGAÇÕES

Coruja disse que havia ligado para Cancellier umas duas vezes. “Conversamos, e pareceu-me que estava sereno. Mas, ao que parece, sentiu-se sem saída”. Avalia que “o sem saída não foi, e aí eu posso falar, como político, como amigo pessoal dele e como médico, não foi um sem saída do sujeito deprimido, que não vê como sair da situação e comete um suicídio, o que é comum – conhecendo o Cao e como médico, posso dizer que ele não se suicidou por estar deprimido, para fugir dos problemas – suicidou-se, em minha opinião, na procura de resgatar a sua honra”. O deputado lembrou que  este ato  é muito comum em alguns países, como o Japão, “onde muita gente se suicida para resgatar a honra”.

A VOLTA À UFSC

Coruja prosseguiu dizendo que “ele sabia também, afastado da universidade, lá não podendo entrar, que talvez a única forma de voltar, e ele voltou para a universidade, era morto. Conseguiu entrar no lugar que ele gostava, que amava, morto, num caixão. Como Getúlio deu um tiro e disse que ia entrar para a história, o Cao também entra para a história, porque o debate de certas questões que estão acontecendo vai começar agora”.

UM ATO POLÍTICO

Coruja interpretou o suicídio de Cao como um ato político. “O ato daquele que acredita que o país, o nosso Brasil, está caminhando para um nível perigoso de autoritarismo; estamos percebendo que as instituições estão se mostrando autoritárias, abusivas, e abusando do direito à liberdade!”. Coruja lembrou que na ditadura militar ninguém ousaria prender o reitor de uma universidade! “Na ditadura ninguém ousaria prender um reitor! Agora, se ousou prender o reitor por uma ‘obstrução da justiça’”.

A ÚLTIMA AULA

E Coruja concluiu a homenagem dizendo que entendeu o ato de seu amigo Cao Cancellier. “Acho que ele tomou uma atitude típica dele, de coragem, de bravura, não foi um suicídio depressivo, não foi o suicídio do covarde, não foi o suicídio de quem não encontrou saída, foi o suicídio de quem queria entrar na universidade, fazer um ato político, e como alguns já disseram, dar uma última aula. Que esta aula que ele nos deu sirva para nós, para as instituições, para aqueles que puderam ouvir o que aconteceu. Que o barulho da sua queda no shopping tenha algum significado para que o Brasil avance para ser como ele defendia, um Brasil mais aglutinado e que olhe o futuro, que construa o futuro, que caminhe em direção ao futuro. Foi uma bela aula, camarada Cao! Um grande abraço!”

Coruja em registro nesta quarta-feira, 04, num discurso emocionado no adeus ao amigo, Cancellier, o Cao!

COMPARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Respeito a opinião do Deputado Coruja…Mas penso que se o Sr. Reitor não devia nada e queria resgatar sua honra, devia era enfrentar a Justiça de frente e mostrar seus argumentos para provar sua inocência. Assim, fica a impressão que ele tinha culpa no Cartório e que não aguentou o rojão. “Quem com os porcos se mistura, farelo come “.

  2. Discordo de sua opinião Otávio !!!

    Quem são os porcos ? Como expressar um acontecimento tão triste com um simples ditado ? A pressão e a forma autoritária usada contra um pessoa que tem a responsabilidade de administrar o mais alto nível de educação de um país . Estamos rumando para uma caça as bruxas às cegas pois nem respeitam o ensino isso é preocupante . Nas universidades se forma a maior riqueza de uma nação com conhecimento e sabedoria . O que foi feito não tem explicação fico chateado de ler essa sua forma de julgar . Sei que existem várias pessoas que pensam assim isto me preocupa por demais . Onde vamos parar ?

  3. Então devemos acabar com o MP e a Polícia Federal, que país é esse?
    Será que prenderam por prender?
    Não tinham prova nenhuma do envolvimento dele e de outras pessoas então.
    A conclusão que se chega é que ” O crime compensa”.

  4. Segredo de justiça apenas isso !!! Não um showzinho na mídia para agradar a plebe enraivecida !!! Estou desapontado viramos um país de fofoqueiros que vivem a difamar e lograr os outros em nome da moral de cuecas … O Crime nunca vai compensar os lacaios devem pagar e caro. O que está errado é esse monitoramento ostensivo de leigos que não ajuda em nada a justiça . Pois se for assim fechamos as universidades de direito e cada um julga como quiser …

  5. Talvez estejamos passando por uma situação, onde as palavras de Nietzsche faça algum sentido:

    ” Nenhum conhecimento obtido pela experiência acerca, por exemplo, de uma pessoa, por muito perto que esta esteja de nós, pode ser completo, de modo que nós tenhamos um direito lógico a uma avaliação global da mesma. Todas as estimativas são precipitadas e têm de o ser.

    No fim de contas, a medida, com a qual nós medimos, ou seja, o nosso ser, não é uma grandeza invariável; nós temos estados de espírito e oscilações, e, não obstante, deveríamos conhecer-nos a nós próprios como uma medida fixa para podermos avaliar justamente a relação de qualquer coisa connosco. Talvez se conclua de tudo isto que não se deveria julgar de todo em todo; mas se se pudesse sequer viver sem avaliar, sem ter antipatia nem simpatia!… Pois toda a aversão está ligada a uma estimativa, tal qual como toda a inclinação. Uma tendência no sentido de qualquer coisa, ou para longe de qualquer coisa, sem um sentimento de que se quer o proveitoso e se evita o prejudicial, uma tendência sem uma espécie de estimativa diferenciadora quanto ao valor do objectivo não existe no ser humano. Nós somos de antemão seres ilógicos e, por isso, injustos, e podemos reconhecê-lo: esta é uma das maiores e mais insolúveis desarmonias da existência.

    Friedrich Nietzsche, in ‘Humano, Demasiado Humano’

  6. João, não quer dizer que o crime compensa, mas para certos setores da direita ele é bem compensador e são blindados pelo judiciário e Polícia Federal, a questão é a pirotecnia e o espetáculo que são feitos justamente para criar na população esta visão de valorização das polícias, mas quem devem prenderem não prendem, ao contrário são afagados.

  7. Sem essa de direita ou esquerda, enquanto essa corja de políticos estiver atuando, eles vão se blindar, outro dia a tal Senadora Gleise do PT estava defendendo o Senador Aécio do PSDB onde não concordava com a decisão do Supremo em afastar o mesmo do mandato, alegando ingerência entre os Poderes, e ainda tem alienados que acreditam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here