Serra: Vampiro quer pedágio no Rio do Rastro

3
703

Jornalismo da NSCTV repercutiu no Jornal do Almoço a queda de pedras em episódio registrado no final de semana na Serra do Rio do Rastro. O que chamou atenção na informação foi a declaração dada à emissora pelo Secretário de Estado de Infraestrutura (Transportes) de Santa Catarina, Luiz Fernando Vampiro.

QUAL INFORMAÇÃO?

Segundo a emissora, o Secretário Vampiro defende e estuda a possibilidade de implantação de pedágio na Serra do Rio do Rastro. Trata-se de uma informação superficial, mas que aponta existir ideia nesse sentido. Secretário Luiz Fernando Vampiro que tocou a antiga SDR de Criciúma antes de se eleger deputado e agora Secretário de Estado. Por isso, está sintonizado na realidade naquela Serra na ligação com o litoral.

ENTRETANTO

Simplesmente cogitar um pedágio para custear as despesas de manutenção da Serra não parece sensato, visto que é necessário considerar um modelo, onde se concessionaria todo o trecho da SC-390 (São Joaquim a Tubarão) ou apenas os 12 km de serra.

Secretário de Infraestrutura, Luiz Fernando Vampiro e uma ideia de se livrar do problema de falta de dinheiro para manutenção da Serra do Rio do Rastro: a implantação de pedágio

A Serra do Rio do Rastro cuja cogitação para receber pedágio é feita pelo Secretário Vampiro (Infraestrutura do Estado) que permanecerá no cargo até a virada de março para abril de 2018

Imagens: Divulgação e Rio do Rastro Eco Resort


 


CONSTRUTORA TERRA ENGENHARIA

APRESENTA SEU NOVO LANÇAMENTO

Com o Residencial Centenário em construção, a Terra Engenharia lança um novo empreendimento: Residencial Mariah nos altos da Avenida Papa João XXIII.

São 13 unidades com opções de 2 e 3 quartos com o padrão de construção Terra Engenharia. Informações sobre os empreendimentos Terra você tem acessando o portal da construtora. Ou aqui: (49) 99162 6278 e 3226 2327


Registro de Incorporação no 1.º Oficio de Registro de Imóveis R-4/31.555

COMPARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. É muito fácil transferir responsabilidades, pessoas que deveriam ter o conhecimentos, não o tem.
    Pois bem, só pode ser pedagiado rodovias federais, caso contrario haverá bi-tributação de impostos, ou seja, IPVA (que é imposto estadual) e Pedágio.
    Vejam o exemplo da SC 401, tetaram pedagiar e tiveram que retornar ao Estado gerando um passivo aos cofres públicos que até hoje não foi pago.
    Att.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here