Coruja: Para animais deixarem de ser ‘coisas’

2
554

OAB e o Conselho Regional de Medicina Veterinária manifestaram apoio ao Projeto de Lei que reconhece cães e gatos como seres sencientes, ou seja, dotados de sentimentos, como os seres humanos. Proposta tramita na Alesc e foi tema de uma audiência pública.

ALTERAÇÃO DO CÓDIGO

O projeto é de autoria do deputado Fernando Coruja (PMDB), que presidiu a audiência. Ele altera o artigo 34-A do Código Estadual de Proteção aos Animais reconhecendo cães e gatos “como seres sencientes, sujeitos de direito, que sentem dor e angústia”. Coruja propôs aos participantes da Audiência Pública a discussão sobre a constitucionalidade da proposta, a sua necessidade e utilidade e a possibilidade de ampliação de seu alcance.

Vereador Bruno Hartmann (direita) foi convidado por Coruja, autor do projeto, e fez questão de participar da audiência pública. Hartmann é a voz no parlamento lageano nos debates e discussões que envolvem a proteção animal

A VISÃO DE CORUJA

Para o deputado Coruja vivemos um momento em que se discute a questão de novos direitos de forma geral e a questão do direito dos animais embora recente, é debatida em vários países  do mundo. “O tema é novo e é candente”, resumiu informando que em vários países, como Portugal, Nova Zelândia, França e outros, cães e gatos já deixaram de ser “coisas” perante a lei e aqui estamos dando o primeiro passo”. Os participantes do encontro manifestaram, de forma unânime, apoio ao projeto que foi considerado inovador.

ENCAMINHAMENTO

O PL 160/2017 está em análise na CCJ. Antes de ir para votação em plenário, deve passar pela Comissão de Turismo e Meio Ambiente.

Informações: Luci Franceschini/Alesc

COMPARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Agora só falta um político inteligente propor a criação de uma lei que considere as crianças abandonadas (pela família, pela sociedade, pelo Estado, por todos…) como seres sencientes…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here