Obras de Lages terão fiscalização reforçada

1
383

Observatório Social de Lages (OSL) conseguiu uma adesão importante na tarefa de fiscalização. Dessa feita, o trabalho voluntário se volta às obras de engenharia em execução. Acadêmicos de Engenharia e Arquitetura da Uniplac irão acompanhar licitações de obras públicas do município. Com isso, reforçam ou adquirem experiência e ajudam a filtrar eventuais incorreções na execução de todo e qualquer tipo de obra de engenharia que a prefeitura executa.

Os acadêmicos irão conhecer na prática os processos licitatórios, analisando projetos, editais e especificações técnicas, quantitativos de planilhas orçamentárias, entre outros aspectos técnicos cruciais para a qualidade das obras.

UM DADO NACIONAL

Segundo o presidente do OSL, o engenheiro civil e professor universitário Fabiano Ventura dos Santos, um estudo feito por comissão especial criada no Senado no ano de 2016, para estudar a situação de obras inacabadas no Brasil, apontou que 38% da paralisação de obras no país acontece por motivos técnicos, ou seja, problemas que deveriam ser corrigidos ainda na fase de licitação.

Presidente do OSL, Fabiano Ventura (direita) é engenheiro civil e professor universitário da área, sabendo da importância do filtro e acompanhamento na execução de obras públicas

CURSO SUPERIOR EM LAGES?

FIQUE DE OLHO NO PRAZO…

Até o próximo dia 29 você pode se inscrever para o vestibular da Unifacvest. Pesquise, compare e se informe. Você vai optar pelo segundo melhor Centro Universitário do Brasil, a Unifacvest de Lages!

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Em 19/10/2012 eu publiquei o artigo abaixo no blog Lages na Real… Em 2012 foi construído em Chapecó um Hospital maior do que o Tereza Ramos, a um custo de R$ 31 milhões… Já naquela época o Tereza Ramos foi orçado em R$ 59 milhões… Quase o dobro… Agora são citados R$ 100 milhões??? Quem explica isso??? (vejam o texto abaixo escrito em 2012)

    Quase sem querer encontrei no site da RBS a noticia de que em Blumenau… tao qual em Lages… será ampliado o Hospital Regional do Oeste (HRO)com o investimento de R$ 31 milhões, o número de leitos, que hoje é de 319, aumentará em quase 50% de sua capacidade, passando para 475 leitos…

    Atualmente, são 319 leitos para atender uma demanda crescente, o que, na avaliação do presidente Severino Teixeira da Silva Filho, está com a capacidade de atendimento esgotada. Por isso, o projeto prevê a ampliação para 475 leitos, além da construção de mais 26 leitos para a unidade de terapia intensiva (nove para UTI geral, dez UTI pediátrica e sete para UTI coronária) e mais 12 salas cirúrgicas.

    Dos novos leitos, 37 leitos receberão pacientes para tratamento intensivo, 56 para oncologia de longa duração, 36 para quimioterapia de curta duração e 27 para recuperação pós-cirúrgica, totalizando 156 unidades.

    Já na ampliação do Hospital Tereza Ramos serão oito pavimentos, divididos em 12,9 mil metros quadrados, ao lado da estrutura que já existe, em um terreno doado pelo município. As duas alas serão interligadas por passarelas construídas alguns metros acima da rua que os separa. O novo prédio terá setor de urgência e emergência, Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) com 30 leitos, centro de diagnóstico por imagem, centro cirúrgico com 10 salas e 18 leitos de recuperação, 92 leitos de internação, que se somarão aos 204 atuais, e heliporto.

    Vejam que hÁ muita semelhança nessas ampliações… contudo lá em Chapecó serão gastos R$ 28 milhões a menos…

    Dizem que lá a construção será através de parceria público-privada… já aqui…. tudo ficará a mercê da competência e da honestidade do Estado… talvez por isso esses R$ 28 milhões sejam necessários…

    CONTROLE SOCIAL NELLES…. ATENÇÃO TCE… MP… OAB… CNBBB.. ALGUÉM POR FAVOR VERIFIQUE ISSO….

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here