Lages e a cultura de esquecer seus líderes

5
236

Durante pelo menos 25 anos, Laerte Ramos Vieira foi uma das principais lideranças políticas de Lages. Vereador, Deputado Estadual, parlamentar federal, entre a metade da década de 1950 até finais da década de 1970 ele era referência em representatividade. Foi dono da atual Rádio Princesa, na época Diário da Manhã e um dos melhores oradores que a política lageana teve em sua história.

SEM RECONHECIMENTO ATUAL

O então grande líder das décadas de 50, 60 e 70 morreu no final de semana. Para os vividos da atualidade, embora com perfil diferente, Laerte Ramos Vieira lembra Ivan Ranzolin, com longa atuação legislativa e referência até dias atrás como liderança. Pois bem. Laerte faleceu e sua morte passou em silêncio em Lages. Nenhuma homenagem ou referência do Paço. Alerta à realidade para os atuais líderes. O esquecimento os aguarda ou haverá lembrança futura dos seus feitos?

Uma nota de pesar e ou reverência por tudo que representa Laerte Ramos Vieira para a história de Lages não custaria nada à Prefeitura. Mas…

 

ENSINO SUPERIOR EM LAGES?

ESTÁ AQUI O SEGUNDO MELHOR

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO BRASIL

Para que você leve em consideração na hora de escolher um curso superior para seus filhos, a Unifacvest está com campanha espalhada pelas ruas de Lages. São referências aos cursos melhor avaliados pelo Ranking Folha em todo o Brasil.

Faltam duas semanas para se encerrarem as inscrições ao vestibular de cursos presenciais. Considere o melhor, considere Unifacvest de Lages!

COMPARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Edson, muito pertinente a tua observação… contudo penso que não se trata de uma questão de esquecimento. mas de soberba… que é irma siamesa da hipocrisia…

    A hipocrisia histórica e crônica que se estabeleceu em nossa cidade… primeiro graças ao coronelismo e as oligarquias (a hipocrisia imposta pela força e pela violência)… ultimamente graças a elite politiqueira que aqui reina e é intocável (a hipocrisia dissimulada “imaculadamente” pela mídia), inclusive com as bençãos das igrejas, bispos, padres e pastores…

  2. na verdade nesta modernidade individualista não há lugar para o passado e o que importa é o que se vive agora, também não é o meu costume idolatrar a velha guarda da política que recheados os currículos fogem de Lages e vão se abrigarem na Ilha da Magia, pois sol e mar todos adoram. Não li sobre a história de Laerte e nem o que fez para Lages, a própria família poderia exigir uma homenagem pós mortem, mas como bem falou Rui, a hipocrisia e a soberba assolam de sobremaneira nossos políticos e os que sobram em Lages são os sem currículos, mas é a nossa cultura, evidente que Dória e Bolsonaro todos adoram.

  3. Caro Edson – a radio princesa não tem nada a ver com a radio diario da manhã – as duas eram emissoras distintas. Com relação aos ilustres – muitos são realmente esquecidos – até mesmo um lageano que fez muito pela cidade e o estado. E é homenageado em inumeras cidades de sc mas em lages nenhuma homenagem: Gov.Celso Ramos – Homenagear ilustres como celso ramos é turisticamente e culturalmente importante para Lages. Um abraço.

  4. um dos mandamentos de Maquiavel é: “não honreis a ninguém além de vos”, nem preciso dizer que muitos políticos seguem não só este mandamento como todos os outros a risca (inclusive aquele que diz: lograi o próximo sempre que puderes…
    De modo que todo homem que represente uma ameaça política ao estabelecimento da época é naturalmente suprimido naturalmente, ou seja, todos que representam uma ameaça ao castelo de cartas são suprimidos. Isto não significa que o povo esqueceu, significa que as pessoas que teriam condições de lembra-los não o fizeram. E existe o outro lado da moeda: pessoas desonestas, ladrões, tem suas falhas apagadas e estão aqui e agora em cargos importantes. A Política é a ciência da mentira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here