PM da reserva teria matado esposa policial

0
5163

Triste e lamentável o possível desfecho do caso envolvendo o desaparecimento da policial civil Karla Silva de Sá Lopes. O corpo dela foi encontrado por policiais da DIC na praia de Taquaras, distante 8,5 km da área central de Balneário Camboriú.

Os policiais chegaram até o corpo após o marido dela, um policial militar da reserva ter confessado ter matado a mesma com um tiro na cabeça. O que foi divulgado é que ele não se conformava com o fato dela também ser policial.

ELE ERA 23 ANOS MAIS VELHO

O policial militar da reserva tinha 51 anos, sendo bastante conhecido em Lages onde atuou na PM, tendo um grande círculo de amigos. Era 23 anos mais velho que Karla que ingressou na Polícia Civil no final do ano passado. Ela era de Lages, tendo atuado em Correia Pinto e havia pedido transferência para a Grande Florianópolis, onde iniciaria as funções na semana que vem em São João Batista.

O policial da reserva entregou a arma no Batalhão da PM em Balneário Camboriú e teria relatado circunstâncias do ocorrido. O policial, identificado como Luiz Fernando Lopes havia dito que Karla Lopes saiu para caminhar na quarta-feira logo cedo e não deu mais notícias.

ATUALIZANDO

Informações vindas do litoral apontam que o policial Luiz Fernando entregara a arma que possuía, porém, não confessara a prática do crime contra a esposa. Nesse tipo de situação é preciso aguardar os desdobramentos até porque cabe à investigação complementar concluir o desfecho do trágico ocorrido.

REGISTRE-SE

O policial militar era da reserva (aposentado) e as circunstâncias em nada tem a ver com a corporação até porque ele não estava trabalhando mais na ativa. A gente não libera os comentários que vieram fazendo juízo a respeito do referido oficial da PM e nem da corporação porque são situações adversas que, independente da profissão, esses fatos lamentáveis, infelizmente não são isolados. Por certo as instâncias competentes levantarão os dados, investigações, apurando circunstâncias e com as punições previstas em lei.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here