Em vídeo: Relato comovente da policial morta

1
1699

Com um emotion evidenciando tristeza, circula nas redes sociais o vídeo da conclusão da academia pela policial civil Karla Silva de Sá Lopes, 28 anos. Ela se formou ano passado e atuou na delegacia de Correia Pinto, aqui pertinho de Lages, antes de conseguir remoção que estava em curso para São João Batista.

Formada em Educação Física, no vídeo ela relata o amor pelo filho, o carinho pela mãe e o desafio até se tornar Policial Civil

 

DEFESA AFASTA CONFISSÃO

Advogado Luiz Eduardo Cleto Righetto informou à imprensa que o policial militar da reserva não confessou ter assassinado a esposa Karla e muito menos teria indicado o local onde ela teria sido enterrada na praia de Taquaras em Balneário Camboriú. O militar da reserva teria passado a noite no Batalhão da PM, mas não está preso. O advogado atribui a indicação de autoria ao policial da reserva a boatos.

POLICIAL DA RESERVA FOI PRESO

Como não houve flagrante, o policial da reserva Fernando Lopes teve a preventiva apresentada. O pedido foi deferido pelo Judiciário e na manhã de sexta-feira, 08, o militar foi preso no 12.º BPM em Balneário Camboriú. Embora a defesa alegue ausência de confissão, a informação dada por Fernando a um capitão da PM, inclusive com mapa para localização do corpo, teria indicado situação diferente dessa alegada pelo advogado. O revólver utilizado por Fernando será periciado.

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. No Direito e particularmente tudo é oficial, mesmo que o policial tenha dito e confessado que foi ele, na visão do advogado de defesa não existe o ato formalizado da confissão, então tudo que for dito é uma mera subjetividade de falas e é claro que a defesa vai se organizar e tentar diminuir ou extinguir o ato do policial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here