SC: Dois governadores a partir de fevereiro?

0
635

Esses cento e poucos dias que nos separam do prazo limite para desincompatibilizações para disputar outro cargo eletivo no pleito de 2018 serão marcados por uma situação anormal no Governo do Estado. É que antes de 6 de abril o governador Colombo não renuncia ao cargo. Porém, não permanece nele durante todo esse tempo. Informação foi confirmada pelo próprio Colombo durante almoço com colegas que atuam no noticiário político catarinense.

O QUE FARÁ COLOMBO?

Pelas informações compartilhadas pelo colega Milton Barão – que assim como nós e a colega Olivete Salmória foi convidado para o almoço com os colunistas políticos – Colombo iniciará em janeiro a transição para deixar o cargo. Passará três semanas na Espanha e, após o retorno, o vice Pinho Moreira seguirá a frente das tomadas de decisões. Como se Santa Catarina tivesse dois governadores. E a renúncia oficial acontece somente em 6 de abril.

Colombo na conversa com colunistas políticos confirmou que deixa o governo para concorrer ao Senado. A data final da renuncia é 6 de abril

RAZÃO DA DECISÃO

Essa ideia de uma espécie de transição entre Colombo e Pinho decorre de um aceno que teria sido feito ao vice-governador de que ele assumiria o governo até fevereiro. Assim, criou-se essa engenharia de ‘afastamento presente no cargo’. Pinho Moreira teria dito a mais de um interlocutor que, se fosse para assumir as rédeas do Estado apenas em abril, iria até repensar.

Pinho, vice-governador, cujo comando do Estado passa para ele a partir do final de janeiro com a ascensão definitiva ao cargo a partir de 6 de abril quando Colombo renuncia para disputar o Senado

PODE NÃO TER RENÚNCIA?

Existe sim uma possibilidade de Colombo não renunciar ao cargo de governador. E é por causa dessa possibilidade que se atrasa o desembarque do cargo apenas para 6 de abril. Mas isso é assunto para o noticiário jurídico.

Imagens: Milton Barão

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here