‘Num fim de tarde, de qualquer domingo…’

0
995

“O que é Natal Felicidade, nos matará um dia de saudade, belos tempos, belos dias. E nossos domingos serão doces recordações, com solos, sonhos e outros instrumentos nessas multidões. Belos tempos, belos dias”.

Parafraseando as jovens tardes de Roberto Carlos, o cantor, o advogado João Carlos Matias, numa saída às pressas na padaria, fez os registros abaixo:

A transição entre o calor e a chegada da frente fria fez o tempo se armar de fato pros lados de Palmeira…

Para ver a banda passar, tocando coisas natalinas, como arautos de Natal…

…Fazendo par com esses anjos mais lindos (sic!), aqueles das trombetas do apocalipse…

Apocalipse das ruínas daquilo que um dia foi um colégio chamado Aristiliano Ramos!

 

O CALÇADÃO AUMENTARÁ MUITO

SEM O COLÉGIO ARISTILIANO?

Perguntaram-me sobre o que representará em termos de espaço a demolição do colégio Aristiliano Ramos para a ampliação do Calçadão. Não posso responder (ainda) em metros, mas visualmente vamos tentar dar essa visão…

Essa imagem a gente fez num sobrevoo no helicóptero da Polícia Civil na metade do ano de 2014. Observe que quase dobrará o espaço da praça, considerando que além do pavilhão da frente, foi por terra parte daquela estrutura de alvenaria na parte alta da imagem e o ginásio de esportes à direita

Imagens do domingo: João Carlos Matias

P. S.

A frase do título ‘num fim de tarde de qualquer domingo’ integra uma das músicas mais bonitas escrita por José Atanásio Borges Pinto e Doroteo Fagundes chamada segredos do meu cambicho.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here