Coruja coloca segurança pública na pauta

2
695

“Como o Estado se prepara para enfrentar a onda de violência gerada com a vinda da maior organização criminosa do País, que se confronta com a facção local? 

Quais as políticas públicas implementadas nas comunidades conflagradas sob o domínio do crime? Quando eu falo de segurança e violência, eu imediatamente penso em Direitos Humanos”.

Palavras do deputado Fernando Coruja, que preside a Comissão de Direitos Humanos da Alesc e que lidera uma audiência pública na quarta-feira, 14, sobre o tema. Segundo o parlamentar lageano, a violência, infelizmente, constitui-se pauta mais importante para 2018 no País e em Santa Catarina. Secretário Alceu de Oliveira Pinto Júnior (Segurança Pública de Santa Catarina) confirmou presença na discussão.

Coruja quer na pauta a principal pauta da sociedade catarinense: segurança pública. Assunto vai a debate na quarta-feira, 14, na Alesc

 

POR FALAR EM SEGURANÇA

FINAL DE SEMANA EM LAGES…

Comerciantes passaram o final de semana contabilizando as perdas. Pelo menos quatro estabelecimentos comerciais (lojas) foram alvo de arrombamento na virada da sexta para o sábado na área central de Lages. Nem alarme e outros mecanismos de segurança está conseguindo impedir a ação dos arrombadores. Enquanto isso, nos discursos, o índice de criminalidade em Lages caiu. Sei…

Compartilhar a matéria

2 COMENTÁRIOS

  1. “Quais as políticas públicas implementadas nas comunidades conflagradas sob o domínio do crime? Quando eu falo de segurança e violência, eu imediatamente penso em Direitos Humanos”.

    Ainda bem que temos pessoas como Fernando Coruja, sempre pensando na resolução dos nossos problemas!

    Está só 10 anos atrasado na pauta, mas tudo bem. Esse “bla bla bla” humanista dá bons resultados.

    Os criminosos precisam mesmo é de mais amor e carinho. 🙂

  2. Se o Deputado pensa que vai resolver o sério problema da segurança pública pensando no “Direito dos mano” pode deixar como está que nada vai se resolver, a tendência é só aumentar, depois que inventaram esse tais Direitos Humanos a criminalidade só cresceu no Brasil.
    Ex: Um PM no uso extritamento do dever cumprido tem que matar um assaltante, aí vêm os movimentos de proteção aos “coitadinhos” injustiçados pela sociedade e condenam a atitude do policial, mas se for o contrário nenhum desses abençoados órgãos vão visitar a família do PM e ver se necessitam de ajuda ou de qualquer outra coisa.
    Os valores estão invertidos nesse país.
    Por isso sou Bolsonaro 2018.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here