Felício: Não existe blefe do suplente do MDB

0
107

Colegas têm noticiado que o suplente de vereador do MDB, Felício Martins, blefou ao anunciar que deixaria o partido. Entretanto, não ocorreu blefe, que seria a atitude de anunciar algo e não fazer para se valorizar. Ocorre que a decisão de Felício era mesmo por deixar o MDB, com tendência de ingressar no PSD. E a razão foi a indiferença pela qual foi tratado no partido pelo qual obteve 1.392 votos.

OCORRE QUE…

Se pedisse a desfiliação partidária, há entendimento que ele perderia a condição de primeiro suplente. E em caso de vagar a função, não assumiria. Diante disso, Felício recuou. Vai tocar a vida sem se desfiliar, mas não tem mais ânimo em relação à sigla que integra. Poderá inclusive trabalhar na busca de votos para candidatos de outros partidos nesta eleição. Não comparando, ficou igual uma relação conjugal onde o casal não pede divórcio, mas apenas convivem no mesmo teto. E nesse caso, Felício não corre o risco de ficar ‘sem teto’ partidário já que não caracteriza infidelidade.

Felício Martins, que era vereador no mandato anterior, recolhe-se da troca partidária. Mas não foi blefe o anúncio. Ideia era mesmo deixar o MDB

DUAS JANELAS PARA ASSUMIR

Felício Martins poderá assumir a função na Câmara em duas circunstâncias partidárias. A primeira delas numa eventual cassação do vereador Vone (pouco provável) ou então diante da vitória do MDB na eleição Estadual, quando o vereador Thiago de Oliveira se deslocaria para uma missão no futuro governo, abrindo a vaga na Câmara.

MUDA PEDACINHO DA

LEI ORGÂNICA DE LAGES

Presidente Luiz Marin (PP) publicou votação que alterou regras em relação à posse de vereador em cargos do Executivo em âmbito de Município, Estado ou União. O vereador se licencia da função, mas não pode optar pelo salário como legislador, devendo receber a remuneração do cargo para o qual é designado.

Compartilhar a matéria

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here