PP, PSDB, PSD e DEM: Juntos ou cada um por si?

1
126

Tentando atualizar você sobre as costuras a essas alturas dos bastidores que envolvem a formatação de coligação para concorrer ao Governo do Estado, eis o que sabemos:

MERÍSIO, AMIN E…

Pré-candidato ao governo, Gelson Merísio, esteve no DF onde dialogou com os deputados Kleinubing e Amin naquela ideia de formar uma coligação com 14 siglas, tendo Merísio (PSD) ao Governo, Kleinubing (DEM) de vice, Amin (PP) e Colombo ao Senado. O PSB indicaria suplentes ao Senado. Essa costura teve uma sequência com Amin indo ao gabinete de Merísio, após chegar dos trabalhos em Brasília, para seguirem alinhavando.

Amin com os progressistas lageanos nesse registro e o fato de estar bem nas pesquisas, mas haver certa resistência da bancada e dos prefeitos mais expressivos do PP em vê-lo como candidato a governador

AGORA O QUE OCORRE?

Haverá no domingo, 15, no período da manhã, outra rodada de diálogo com Amin, Merísio, Kleinubing e demais protagonistas. Mas o martelo dessa (ainda) hipotética coligação não deve ser batido. É que Amin ainda não disse amém. Ele quer trazer o PSDB para o grupo e, com isso, ter o fato novo para reivindicar a vaga de candidato ao governo.

Comenta-se que Merísio tem em Colombo um não-aliado não declarado. Porque para o ex-governador, a coligação dos sonhos é Amin ao governo, PSD de vice e as vagas do Senado para ele e Bauer numa mesma coligação com os tucanos, PSD e PP.

E NESSE SENTIDO…

O PSDB se reúne, a princípio, na segunda-feira, 16. Até lá o deputado Amin prefere esperar. Embora haja o fato novo do ‘risco de intervenção’ no reino tucano impondo que os progressistas tenham o PSDB apoiando o projeto de Amin ao Governo. Na segunda o PSDB bate novamente o martelo entorno de Bauer ou abre a banca para diálogo.

Além de Bauer e Napoleão, o PSDB tem Marcos Vieira como passível de ser escalado para uma vaga à majoritária

SIGNIFICA ENTÃO

Que se Amin conseguir o PSDB, terá com eles ainda Kleinubing que possui uma dívida familiar de parceria com o Careca. Formataria-se uma coligação PP + PSDB + DEM, enquanto Merísio seguiria seu rumo com o PSB, tendo ainda aquelas outras 10 siglas.

POR OUTRO LADO

O MDB segue ofertando duas vagas na majoritária ao PSDB. Vice a Napoleão Bernardes e uma vaga ao Senado a Bauer para reeleição. Porém, aí a porca torce o rabo. Nos bastidores a informação é de que Jorginho Mello coloca o PR com o MDB, desde que os pelegos deixem apenas ele como candidato ao Senado. Aposta que o segundo voto daqueles que não votariam em Amin e o segundo daqueles que não forem com Colombo, migrasse para ele. E com isso, eleger-se-ia Jorginho e um segundo.

Jorginho aceita seu PR com o MDB, mas não desejaria concorrer ao Senado com mais um nome à Câmara Alta na mesma coligação. Já Carmen Zanotto vê seu PPS com tendência à junção ao MDB.

OUTROS PARTIDOS TÊM CANDIDATOS

Essas conjecturas se referem à formatação de duas ou três coligações envolvendo aqueles partidos que protagonizam a polícia catarinense de forma mais presente e direta. Mas o PSOL já tem Camasão como pré-candidato ao governador e o nome do PT é Décio Lima.

Décio Lima nesse registro que tenho de arquivo com Kleinubing, cujo DEM deve estar onde estiver Esperidião Amin

Compartilhar a matéria

1 COMENTÁRIO

  1. Todos de mão dadas, trabalhando por um novo Brasil!

    Um Brasil potência, com renda per capita anual de US$ 50.000. Taxa de homicídios baixíssima;

    Uma nação respeitada, que participa da geopolítica mundial.

    Realidade: Passam mais 4 anos, ainda não somos o tal “país do futuro”.

    Políticos, você possuem muito mais poder do que eu, possuem os meios de ação. Então, quando é esse “futuro”? Quando o Brasil enriquece e desenvolve-se? Em 2022? 2040?

    Sugestão de leitura: “Por Que o Brasil É Um País Atrasado?” – Do Chefe da Casa Imperial do Brasil, Luiz Phillippe de Orleans e Bragança, que realmente parece estar preocupado com o país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here