Timber by EMSIEN-3 LTD
Cotidiano

0 115

Odila Waldrich entra para a lista daquelas pessoas que conheceram o outro lado da BR-282: o lado das vítimas de acidentes. Menos mal que foi – graças a Deus – apenas um susto. Mas a Secretária de Saúde de Lages precisou de atendimento, sofreu escoriações e passa o feriadão recolhida e em observações.


OCORRÊNCIA

O acidente que ela foi vítima foi uma saída de pista na BR-282 na altura do Km 190 – localidade de Pessegueiros – na divisa entre Lages e Bocaina do Sul. O veículo que ela estava saiu da pista e, segundo informações, teria capotado. Odila e o motorista que a conduzia numa viagem de retorno à Florianópolis onde estava a trabalho, passam bem.

Odila sofreu escoriações e um grande susto por conta da saída de pista na BR-282

0 739

Vereador Lucas Neves (PP) continua a cruzada pela fiscalização que certifica a qualidade do combustível em Lages. Sustenta que é de responsabilidade do Procon tal tarefa. E como o Procon não respondeu indagações sobre assuntos do setor, ele está insistindo na questão. Lucas cobra do Executivo (prefeito) e do Procon respostas aos questionamentos:

“Entregamos um documento oficial e não obtivemos nenhuma resposta. Pedimos mais respeito ao trabalho do vereador, pois estamos aqui representando a comunidade, a qual nos solicita esses esclarecimentos”.


MAS O PROBLEMA RESIDE

EM OUTRA SITUAÇÃO

O Procon não tem atribuição de aferir qualidade de combustível. E mesmo se tiver (algo que seria interessante), o órgão em Lages não possui equipamentos para tanto. A análise não é feita no zóio. São necessárias coletas de material (gasolina, diesel, etanol), realização de exames e outros procedimentos. Até onde a gente sabe, é a ANP que faz isso. E se constitui num procedimento tão complexo que o próprio dono do posto tem que pagar. E não é pouco pela aferição da qualidade.


PERGUNTAS DO VEREADOR

Assim, as indagações do vereador Lucas Neves ao Procon, podem encontrar respostas como essa:

Quantos postos foram fiscalizados?

Pelo Procon, nenhum!


Quais os postos que foram aferidos?

Pelo Procon, nenhum

E assim por diante…

Não sei se o vereador Lucas sabe, mas para a ANP – Agência Nacional do Petróleo analisar a qualidade do combustível, o custo para o proprietário é superior a R$ 2 mil. E não é esse valor por posto, mas por bomba aferida!

0 352

Executivo da Coordenação de Segurança e Transito (Diretran), Jacinto Bet, esteve na reunião semanal da Acil. Questionado sobre os entraves do trânsito da cidade, ele pontuou algumas melhorias que estão previstas para o trânsito do município. “Hoje nós temos 105 mil veículos emplacados em Lages. É difícil fazer trânsito em uma cidade mal planejada. Um fator negativo muito importante é a má educação da maioria dos condutores”, destacou Bet.


RÓTULA NO CRUZAMENTO DA

CAMÕES COM PRESIDENTE VARGAS

Segundo Jacinto Bete, com quatro meses de trabalho muitas questões estão sendo estudadas e outras já previstas como uma rótula para o cruzamento da Avenida Presidente Vargas com a Avenida Camões, além de uma fuga de saída em frente ao Hospital Seara do Bem e outra rótula em frente ao Parque de Exposições Conta Dinheiro. “Há muita coisa para ser consertada”, destacou o diretor que citou como exemplo o recuo das faixas de pedestres que ficam nas esquinas, pois hoje os motoristas precisam parar em cima das faixas para ter visibilidade se a passagem está livre.


QUESTÕES PONTUAIS

Segundo ele, também estão previstas a implantação de passagens em elevado onde há grandes fluxos de veículos como em frente a Caixa Econômica e Facvest, na Avenida Marechal Floriano, que logo receberá um elevado. O diretor mencionou, ainda, que há fortes reclamações na Avenida Papa Joao XXIII sobre a ciclovia. “Lá ela foi implantada equivocadamente em uma pista que poderia ser de rolamento. Já passamos para o Seplan para que estude e passe a ciclovia para o lado de decida ou parte da calçada”.

Executivo de Trânsito, Jacinto Bet, presente na reunião da Acil compartilhando informações


Informações: Puel Assessoria de Imprensa

0 251

Já se foi o tempo que aqueles assuntos de varejo nas reuniões precisavam de atenção. Agora aqueles que ficam em eventos focam mais os temas que interessam a seus municípios. Quando o assunto é mais distante, os prefeitos têm outros afazeres…

Prefeitos Tio Ligas (PSD) e Luiz Schmuller (PMDB) sintonizados nas questões de Otacílio Costa e Bocaina, enquanto a prefeita Fernanda Córdova (PR) e Alemão Neckel (Bom Retiro à direita) conferiam a prosa no evento do DNIT em Lages


Imagem: Robson Ribeiro – Jornal Correio Otaciliense

1 880

Prefeitura de Lages, através da Seplan, vai intensificar a fiscalização de obras irregulares no município. De acordo com o secretário Clayton Bortoluzzi, o objetivo é impedir construções sem os projetos aprovados pelos órgãos responsáveis. Ele cita:

“Nossas equipes de planejamento e obras estarão percorrendo a cidade acompanhando e identificando a execução de obras irregulares. As ações incluem desde invasões em áreas públicas, as chamadas áreas verdes, ou mesmo construções irregulares em áreas privadas, em que o proprietário, por desconhecimento, tenta ampliar ou construir sem aprovação prévia, e pode com isso colocar a construção em risco”.

Segundo Bortoluzzi, as ações de fiscalização acontecerão, inclusive, nos finais de semana. No caso das obras que não tiverem autorização prévia da Secretaria, os proprietários serão notificados e as obras poderão ser embargadas ou até mesmo demolidas.



A REGRA VALE PARA TODOS?

A informação acima foi repassada pela Secom do Paço. Porém, internauta e morador do bairro Sagrado Coração chega nos parar para indagar se está certa a situação na frente do empreendimento Stock Center, que será inaugurado dia 27. Para fins de manobra na frente do empreendimento, cerca de 40% da calçada deixou de existir, exigindo que o pedestre utilize a estreita faixa que restou do passeio ao passar na frente do estabelecimento. A providência contraria a tendência de ampliar espaços a pedestres, ao invés de reduzir. Embora o empreendimento seja super bem vindo, a situação colocada merece análise, se a ideia é tratar igual os iguais.

Lá na frente do estabelecimento cujas obras estão sendo finalizadas, a calçada foi reduzida para dar espaço a manobras de veículos. Situação que gera questionamento de morador que utiliza espaço para caminhada. Se cada empreendimento ‘comer’ um pedaço da calçada ao ser construído, daqui a pouco…


ALIÁS…

O CTB é bastante claro sobre o assunto. Nenhum empreendimento que gere fluxo de trânsito deve ser autorizado/aprovado pela municipalidade sem um estudo prévio e projeto de adequação de acesso e mobilidade.


ATUALIZANDO

Informação é de que houve um planejamento na execução da calçada na frente do Stock Center. Há de fato um avanço da via sobre a calçada, mas a largura do passeio para pedestres está preservada, sem prejudicar os transeuntes que utilizam o local.

0 1359

Ao invés de fechamento, a estrutura do Centro de Ensino à Distância – CEAD – amplia-se em Lages. Superada a questão debatida no começo do ano de que tudo seria desativado, a direção do CEAD chama atenção para as inscrições que estão abertas até 4 de maio. Até esse dia, no portal da Udesc o interessado (cursos são voltados aos professores) podem optar pela área de Licenciatura em Informática ou Ciências Biológicas. São 40 vagas para cada um dos cursos.

Professor David Daniel (Udesc) à direita quando da reunião com a equipe da prefeitura confirmando os dois cursos previstos para Lages


SEGUNDO A SECRETÁRIA

DA EDUCAÇÃO DE LAGES…

“A abertura desses novos cursos, em que a Udesc dispõe de profissionais e laboratórios devidamente equipados, sem custos para o município, viabiliza uma parceria para a formação de novos professores que atuarão em Lages e na região.”


SERVIÇO

As inscrições podem ser feitas acessando aqui. Custam R$ 70,00. As provas serão no dia 28 de maio e as aulas iniciam em agosto no Polo da Universidade Aberta, na rua Independência, no bairro Gethal.

0 846

Na tarde desta terça-feira (18), o laboratório do CAV/UDESC deixou de receber o malote remetido para análises de DNA. O Instituto Paternidade Responsável é quem fazia a logística dos testes repassada pela Comarca de Lages, oriundos das Comarcas de Santa Catarina. Os exames pararam em Lages, pelo fato da Secretaria de Estado da Saúde não renovar o convênio 36/2007 que expirou em 11/04/17. “Quem perde é a população que não tem condições de pagar pela realização do exame particular”, diz a presidente do IPR, Rita Medeiros.

O comunicado da suspensão das atividades por causa da Secretaria de Estado da Saúde


IDEIA DA DIMENSÃO DO TRABALHO:

MAIS DE 13 MIL LAUDOS DE DNA

Nestes 10 anos de convênio 17.355 kits foram enviados para as Comarcas. Destes, já atendeu cerca de, 14.191 casos. Ao todo 13.763 laudos foram entregues.


CONVÊNIO COM VÁRIOS ENTES

O Tribunal de Justiça firmou o Convênio nº 36 de 12 de abril de 2007 com o MP de Santa Catarina – Procuradoria-Geral de Justiça; a Secretaria de Estado da Saúde; o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado de Santa Catarina – COSEMS/SC; a UDESC; a FIEPE/CAV e o Instituto Paternidade Responsável, visando estabelecer parceria para a realização dos exames de DNA para o reconhecimento de paternidade nos procedimentos administrativos e judiciais em que fique comprovada a hipossuficiência de recursos das partes.

Colaboradores do Instituto Paternidade Responsável sem essa parceria que durou 10 anos com o CAV-UDESC de Lages

1 1987

Antes de participar de audiência na Secretaria do Tesouro Nacional, na tarde desta terça-feira, 18, o governador Raimundo Colombo falou pela primeira vez sobre as acusações por parte de executivos da Odebrecht:

“Nós vamos esclarecer todos os fatos, ponto por ponto, e vamos continuar nosso trabalho com muita fé, com muita coragem, para Santa Catarina se desenvolver e continuar enfrentando a crise com sucesso e vencendo as dificuldades”.


MOMENTO DE DOR

“É um momento difícil, de dor e sofrimento, mas a gente precisa ter força, aumentar a nossa fé, para continuar prestando serviço. Até porque a vida dos trabalhadores continua e eles precisam que a gente cumpra o nosso dever perante a gestão pública. Vamos continuar trabalhando até o último dia para realizar o melhor trabalho e com a mesma intensidade”.


‘NÃO HÁ DESONRA NISSO’

Colombo ressaltou que ainda não tinha acesso ao processo, portanto não conhecia as informações oficiais da acusação. Um advogado contratado pelo governador já está acompanhando os trâmites legais. Mas somente se a denúncia não for arquivada e o STJ decidir abrir o inquérito para investigação, o governador poderá fazer uma defesa formal para qualquer acusação apresentada:

“Se houver abertura de inquérito, não há desonra nisso. Vamos esclarecer os fatos, levar toda a contraprova, levar todos os nossos argumentos. Eu não sei como é que isso vai tramitar, mas eu estou à inteira disposição para esclarecer todos os fatos como é do meu dever e farei isso”.


NADA COM A ODEBRECHET

O governador explicou que chegou a encontrar executivos a Odebrecht, uma vez em um aeroporto em São Paulo, e outras em reuniões com outros empresários e representantes do governo catarinense em Florianópolis:

“O Governo do Estado recebeu centenas de empresas, do Brasil e do exterior, e todas foram bem recebidas. Sempre estávamos acompanhados de mais gente do governo para tratar de assuntos que fossem importantes, e tivemos sucesso em muitos dessas reuniões. A Odebrecht era uma das maiores empresas do Brasil e o fato de recebê-las era um ato absolutamente normal e praticado pelo governo com todas as outras, inclusive do próprio setor. O mais importante de tudo é que o Governo do Estado não vendeu nenhuma ação da Casan para a Odebrecht, não tem contrato com a Odebrecht, não realizou nenhum pagamento para eles”.


SOBRE A CASAN

Em relação ao interesse da Odebrecht pela Casan, o governador voltou a afirmar que nunca houve qualquer negociação no sentido de vender a estatal catarinense para o grupo empresarial. Quando assumiu o primeiro mandato como governador, chegou-se a criar uma lei prevendo que qualquer processo venda da estatal deveria ocorrer obrigatoriamente por leilão na bolsa, o que evitaria qualquer tipo de favorecimento. No entanto, diante de significativas dívidas trabalhistas e previdenciárias da Casan registradas na época, o Governo do Estado descartou a possibilidade de venda.

Colombo falando a jornalistas em Brasília sobre as questões relacionadas à Odebrecht