Timber by EMSIEN-3 LTD
Cotidiano

0 374

“Desculpem o palavrão, mas estou emputecido! Mais um pinheiro da região central indo ao chão em nome do concreto. Estragaram meu dia. Todas as manhãs eu olhava para esse pinheiro e dizia: Poxa! Você está crescendo dia a dia. Hoje ele não pertencerá mais a paisagem. Lamento meu amigo pinheiro, você chegou primeiro, mas o homem veio e não teve dó! Curitiba desvia estradas, calçadas, impede construções de imóveis em nome deste patrimônio. Na minha cidade vereadores preferem ficar brigando pelos seus egos do que trabalhar em nome duma lei que nos proporcione mais sombras, mais árvores”.

O desabafo e a imagem são de Adailton Camargo. O pinheiro araucária em questão tombou das proximidades da Rua Hercílio Luz no Centro de Lages


EM TEMPO

Esse tipo de corte é feito pelo proprietário do imóvel a partir de prévia autorização dos órgãos responsáveis. No caso desse pinheiro, o secretário Euclides Mecabô (Serviços Públicos e Meio Ambiente) informou na Clube FM que não passou nada pela sua área. Mas nem todas as solicitações passam, necessariamente, pela autorização do município, sendo competência da Defesa Civil avaliar risco e a Fatma, diante de laudo, autorizar a queda dos referidos pinheiros.

4 9134

Tem coisas em Lages que parece piada pronta.

A informação no meio da tarde da sexta-feira sobre o fechamento da Rua Correia Pinto por causa da presença do robô da Havan é um deboche com o motorista lageano. A referida rua é a principal porta de entrada ao Centro da cidade. E o horário das 16 horas é de movimento intenso e constante por parte de motoristas que se deslocam para as diversas atribuições da véspera do final de semana. Daí fechar a rua, obrigando o condutor a descer em direção ao Terminal Urbano é de uma insensatez sem tamanho.


ASSIM

Está na hora dos gestores que tomam essas decisões colorarem na cabeça que Lages não é uma cidadezinha perdida no mapa. E por mais respeito que se tenha à loja de departamento, não se concebe 5 horas de trânsito fechado no principal acesso ao Centro. Triste, lamentável e aborrecedor para aqueles que sofrem os transtornos decorrentes da medida.

Essa é geringonça que a Havan trouxe a Lages para chamar atenção e, naturalmente, causar transtornos no trânsito. Poderia colocar uma melancia no pescoço da coisa para reforçar o chamamento de atenção!


IMAGINE QUE…

Se a Havan pode fechar o trânsito por causa de  uma ‘atração’ dela, qualquer outra loja da cidade teria o mesmo direito. E daí nem precisa dizer no que a área central da cidade se transformaria!

0 171

Chapecó foi palco do evento da ADVB que reconheceu as empresas catarinenses mais comprometidas na atuação social, cultural, ambiental e comunitária.


BERLANDA

A rede de varejo Berlanda, por exemplo, foi reconhecida pelo trabalho que desenvolve de ressocialização de presos, a partir da instalação de uma fábrica de móveis no presídio de São Cristóvão.


CLUBE FM

E para o orgulho da gente que faz parte do time da Rádio Clube FM, a emissora recebeu o prêmio Empresa Cidadã pela atuação comunitária. O programa de Adilson Oliveira (Clube Comunidade) foi o case reconhecido pela ADVB por aproximar a comunidade da resolução de problemas.

Diretor da Clube FM, Celeste Basquerotte e o diretor presidente do SCC, Roberto Amaral, receberam a premiação promovida pela ADVB

Celeste Basquerotte e Nilso Berlanda (nos extremos da imagem da MB Comunicação) durante a premiação da ADVB

Parte do grupo de colaboradores da Clube FM presente no evento em Chapecó na premiação da ADVB



TERRA ENGENHARIA:

EMPREENDIMENTOS DE QUALIDADE

Terra Engenharia tem empreendimentos de qualidade com as unidades executadas fiéis ao projeto proposto. Converse com quem reside em imóveis construídos pela Construtora Terra. Você terá testemunhos do padrão e qualidade que a Terra oferece!

Isto é Terra Engenharia. Empreendimentos prontos, outros com obras em andamento e há novidades a caminho. Visite o portal e se informe sobre preços, formatos e opções de financiamento, através da Caixa. Ligue no (49) 99149 2327 ou 3226 2327 – contato@terraengenharialtda.com.br

0 194

Na segunda-feira, 17, quando havia previsão de neve com até 30 centímetros acumulados, Bom Jardim da Serra foi alvo de um apagão. Entre 12h15min e 17h15min a cidade ficou sem energia. Nem precisa falar sobre os transtornos que isso representou para a vida cotidiana local e aos turistas que frequentaram a cidade que registrou as mais baixas temperaturas desta invernia de julho.


CELESC ENTROU EM AÇÃO

De acordo com informações da Celesc, tão logo foi registrado o apagão, equipes se deslocaram para restabelecer a energia. Percorreram a rede na tentativa de localizar o problema. No final da tarde descobriram que o piripaque foi no perímetro urbano e não no meio rural, restabelecendo a energia para um Bom Jardim encarangado.


PROJETO QUER REDUZIR RISCOS

DE QUEDA DE ENERGIA NA REDE

Se os celesquianos já não partissem da hipótese de que o problema era na rede rural, talvez tivessem conferido primeiro o perímetro urbano e com isso resolvido mais rápido. Porém, a grande maioria dos casos de queda de energia é causada na rede rural por causa de árvores na fiação. E porque o assunto é pertinente, nesta sexta-feira, 21, tem agenda em Lages o deputado Dirceu Dresch (PT). Ele é autor do Projeto de Lei 71/2015. Essa matéria trata da fixação de limites para plantio de árvores exóticas (pinus, eucalíptos, etc) próximo à rede de distribuição de energia elétrica.


COMO É HOJE?

Hoje essa distância é de 10 metros e é fixada por normativas e não por lei específica. A lei construída por Dresch determina que o plantio de árvores exóticas respeite uma distância mínima de 20 metros de cada lado em relação às linhas de distribuição.


7 EM CADA 10 QUEDA DE ENERGIA

SÃO CAUSADAS POR ÁRVORES

Dados apurados mostram, que devido a pouca distância, mais de 70% das interrupções no sistema de distribuição de energia, principalmente na área rural, têm como causa o contato de árvores de reflorestamento com a rede energizada.

Aqui as informações sobre o evento desta sexta-feira em Lages

1 436

Secretaria de Serviços Públicos cortou dois pinheiros centenários que estavam no canteiro central em frente ao Aero New Clube no bairro Universitário. Para isso houve autorização da Fatma e acordo com a Curadoria do Meio Ambiente. Uma das exigências da Curadoria foi a de que a madeira das araucárias tivesse um fim social. Isso foi resolvido com a confecção, pelos marceneiros da prefeitura, de cinco urnas funerárias, muletas, bancos de madeira para pontos de ônibus e cavaletes.

Secretário Euclides Mecabô (Tchá-Tchá) aponta que toda madeira que possa ser aproveitada, proveniente de árvores que tenham de ser suprimidas do meio ambiente, é processada na marcenaria localizada junto à garagem da prefeitura de Lages, no bairro Coral.

As araucárias derrubadas viraram caixões (urnas funerárias) nas mãos dos marceneiros que atuam na equipe da Secretaria de Serviços Públicos.


COMPENSAÇÃO AMBIENTAL

A compensação ambiental pelo corte das araucárias foi a promessa de plantio de 200 mudas de araucárias, as quais são cultivadas no Horto Municipal. Tchá Tchá ponta que há um desafio de plantar 20 mil árvores em quatro anos na área urbana de Lages. “E já plantamos 1.000 mudas”, cita.

1 310

O vocalista dos Stones virou sinônimo de pé frio. Parafraseando a fama do beiçudo de onde ele está as coisas acontecerem em processo inverso, puxamos duas imagens da semana daquilo que acabou não acontecendo de acordo com o que os protagonistas esperavam. Em tom de brincadeira da nossa parte, é claro!

Os primeiros pés frios da semana foram o Pavan e o Pinheiro. Bastou ficarem sabendo que daria 30 centímetros de neve em São Joaquim que abandonaram os afazeres e se bandearam para os lados da terra da neve. Havia até sinais que a neve estaria caindo a qualquer momento. Mas eles chegaram e o fenômeno se recolheu. Se o prefeito Giovani tivesse que escolher entre a visita da neve e dos ilustres tucanos…

De férias na ADR, o corintiano e jornalista Pablo Gomes boleou a perna até a Ressacada para assistir mais uma vitória do seu Corinthians, afinal o time estava a 10 pontos de vantagem para o segundo colocado no Brasileirão. Juntamente com outro corintiano ‘doente’, Paulo Marques, os mick jagger viram um magro 0 a 0 do time paulista contra o Avaí que patina na zona de rebaixamento.

1 1218

Defesa Civil de Lages recebeu doação de um drone da delegacia da Receita Federal. O equipamento transmite imagens em tempo real e poderá ser utilizado em diversas ações. “Em algumas situações, em que não conseguimos chegar de carro, como um resgate ou enchente, esse equipamento será importante. Também poderemos ampliar o trabalho de fiscalização de áreas verdes”, explica Jean Felipe de Souza, Executivo da Defesa Civil.


DESODORANTE

Além do drone, a Defesa Civil também recebeu mais de 1.200 desodorantes tipo aerosol (feminino e masculino). As doações, que foram apreendidas em operações de crime de descaminho foram entregues pelo delegado Carlos Alberto Padlipskas.

Executivo da Defesa Civil mostra o drone doado pela Receita Federal ao prefeito Ceron sob o olhar ao fundo do Agente Delfes

6 2676

Motorista do lado chacoalha cabeça com irritação. Outro levanta as mãos num só por Deus. Gestos de protestos se repetem pela situação corriqueira, mas que causa transtorno. Técnicos do Inmetro – que é o órgão estadual de aferição – resolveram calibrar o furão do cruzamento das avenidas Carahá e Presidente Vargas no horário de maior movimento: 2 da tarde.

Furões estão nessas caixas no cruzamento da Carahá com Presidente Vargas


AUTORIDADE

O que causa a reclamação é o fato de, ao invés de se executar o procedimento em horário de menor fluxo, os técnicos o fazem no horário de pico. Daí sobra palavrão até ao prefeito. “Falta autoridade na cidade para dizer a hora que esse serviço deve ser feito”. De fato, como o Inmetro não vem fazer esse trabalho de graça, deveria se submeter!


EXPLICAÇÃO

Diante de comentários em rede social, colega Paulo Marques compartilha áudio do Executivo de Trânsito, Jacinto Bet:

“Essa aferição é feita uma vez por ano e programada por equipe que vem de fora. E ela dura normalmente no máximo meia hora. Pra quê? Pra dar segurança ao condutor de que esse sinaleiro esteja aferido pelo Inmetro. Portanto, durante um ano há uma perda de apenas 30 a 45 minutos num cruzamento desses. Mas o resultado é segurança. Portanto, há de se ter um pouco de paciência. Não é incompetência. Não há falta de sensibilidade. Isso é uma coisa programada, planejada…”.


AFERIÇÃO PARA NOTIFICAÇÕES

Não se trata de procedimento para aumentar ou diminuir a segurança do motorista. Objetivo é aferir o sistema que fotografa veículos que desrespeitam o semáforo ou excedem a velocidade durante a passagem. Sem tal aferição as multas podem ser derrubadas.


PIRIPAQUE NOS SEMÁFOROS

Outro problema que vem gerando reclamações nas redes sociais diz respeito a semáforos que deixam de funcionar de uma hora para outra. No cruzamento da Carahá com a Rua Frei Gabriel, por exemplo, a manhã de terça-feira foi de transtorno aos motoristas. Agentes de Trânsito ainda amenizaram orientando o trânsito. E o piripaque nos semáforos não é por causa do frio, já que em dias mais quentes também tem ocorrido problema. Provavelmente a idade dos aparelhos semafóricos contribua para essa situação!

0 181

A nevasca programada para a Serra Catarinense bateu asas. Mas a orientação por causa do gelo das geadas continua valendo: cuidado com gelo na pista. Já passamos pela experiência e é garantido que segurar um veículo na pista congelada é tarefa ingrato. E na maioria dos casos a gente só descobre isso depois das derrapadas. É tão arriscado que a polícia, em alguns casos, interrompe o tráfego. E quando não o faz, surgem alguns valentes como da Polícia Ambiental para ajudar. Foi o que aconteceu nesta madrugada na estrada Urubici a São Joaquim, na altura da localidade de Pericó.

Motorista do caminhãozinho deve ter enfrentado o que a gente já passou ao não tentar controlar o possante. Os policiais ambientais ajudaram os policiais militares rodoviários, jogando sal na pista

Foram 300 quilos de sal jogados na pista, numa pós-curva, para evitar acidentes. Ali amenizou os riscos e não houve registro de nenhum acidente mais grave envolvendo os motoristas que se aventuraram pelas rodovias da Serra na noite da neve