Timber by EMSIEN-3 LTD
Cotidiano

0 1494

Maio vai se despedir de Lages abaixo d’água.

Com previsão de uma garoinha a partir da noite desta sexta-feira, 26, e poucos períodos de melhoria, deverá chover até as primeiras horas da quinta-feira, 01 de junho, quando firma o tempo.


MAIS DE 100MM

No somatório previsto – e isso poderá mudar – deve chover em 5 dias mais de 100 milímetros de chuva. É uma quantidade que representa 70% da chuva prevista para o mês inteiro de maio.

Esta é a previsão para o sábado, domingo e segunda-feira. Na terça-feira, 30, há previsão de precipitação pluviométrico terá 27m. Importante apontar que esses índices mudam. A previsão está neste link!

2 4046

José Wanderlei Pereira especialista em Flamengo e correspondente para assuntos de farmácia em Lages compartilha em seu perfil o registro do aumento de 100% no número de unidades da Droga Raia e Lages. Havia uma unidade e agora serão duas…

Já se localizou onde está situada a nova unidade?


UFA!

Ainda bem que aparece mais essa farmácia na cidade. Já estávamos há quase 60 dias sem a implantação de nenhuma farmácia. Até cheguei a pensar que a economia lageana estava com problemas…

0 437

Proposto nesta semana um projeto de lei pelo vereador Lucas Neves (PP) para que a prefeitura ‘emplaque’ obras que estejam paralisadas, informando a população das razões disso. Porém, a informação é de que tal projeto de lei não prosperará. E a razão é simples. A norma legislativa extrapola a competência do vereador. Como é sabido, os vereadores não podem instituir lei que onere os cofres municipais. E como para fazer placa informativa haverá custo, a ideia de Lucas Neves vai por água abaixo. A menos que haja outra fonte de custeio das placas.

Vereador Lucas precisa se sintonizar nesses limites de atuação. Embora a ideia pudesse ser proposta em forma de sugestão ao Executivo. Mas qual prefeito iria se propor a instituir esse tipo de norma que, em tese, significa um atestado de incompetência?



POR FALAR EM OBRA INACABADA…

UMA DELAS COMPLETARÁ 10 ANOS

Ainda nesta quinta-feira, 25, morador da Rua Campos Sales ligou reclamando da situação da via. Ela recebeu uma primeira camada de asfalto no ano de 2008. Ano que vem se completará uma década que a rua que liga a Avenida Presidente Vargas à BR-282 aguarda por conclusão. A via é mal sinalizada, tem fluxo intenso e os riscos são constantes. Os motoristas utilizam como rota de fuga da Avenida Camões e o transtorno tem sido geral.

Imagem que vai completar uma década da Rua Campos Sales que recebeu primeira camada de asfalto e, depois, mais nada. Até hoje ela não foi finalizada


LOMBADA PSICOLÓGICA

A Rua Campos Sales é uma daquelas existentes em Lages onde há placa de lombada, mas a lombada não está lá. É a ‘lombada psicológica’ onde o motorista vê a placa e desacelera. O problema é que tem alguns que conhecem o trecho e mantêm a velocidade elevada!



EMPREENDIMENTOS DA

TERRA ENGENHARIA SE

DESTACAM EM LAGES

Terra Engenharia tem destacado a sua atuação no mercado de imóveis de Lages com empreendimentos de elevado padrão de qualidade.

Residencial Terra – no bairro Frei Rogério – assim bem pertinho da Avenida Duque de Caxias e do Centro de Lages é exemplo de empreendimento com a marca Terra Engenharia

Visite o portal e se informe sobre as opções e financiamento, através da Caixa. Ligue para a Terra Engenharia ou no (49) 99162 6278

0 446

Existem dois cemitérios municipais no perímetro urbano de Lages (Penha e Cruz das Almas). A partir de dados coletados no Cartório de Registros Civis, o vereador David Moro (PMDB) encaminhou um pedido de informações ao prefeito Ceron. Ele indaga sobre os dois cemitérios:

Qual espaço está sendo ocupado pelos túmulos?

Quantas vagas disponíveis existem para sepultamentos?

Existe projeto para a criação de novos cemitérios públicos?


AINDA SOBRE O ASSUNTO

De acordo com informações do vereador, atualmente o maior cemitério de Lages é o localizado na Penha e que devido a grande quantidade de túmulos ocupados no mesmo, a prefeitura já está disponibilizando gavetas em um cemitério particular, no bairro Guarujá, no conhecido Cemitério da Paz. “A preocupação é de que, com o aumento dos óbitos não haja mais espaço suficiente nos cemitérios municipais de nossa cidade”.


COMO ESTÃO OS NÚMEROS

DE ÓBITOS EM LAGES?

São do próprio vereador David Moro os dados que ele levantou para embasar a busca de informações sobre existência ou não de projeto para mais um cemitério público em Lages. Segundo ele, pelas informações repassadas pelo Cartório de Registros Civis, houve o aumento dos óbitos. “De abril de 2016 a abril de 2017, já ocorreram 1.757 óbitos nos município na Amures. Desse número, 530 óbitos são de lageanos”, cita o vereador. Por esse número oficial, portanto, temos uma média de 1,4 óbitos por dia, no intervalo de um ano.

David Moro (em primeiro plano) e a preocupação com espaços para sepultamentos em Lages

0 825

Lá vem o vereador Lucas Neves (PP) com outro projeto interessante apresentado na Câmara. Dessa feita não se trata de algo inédito, mas de uma cópia de um projeto também interessante em âmbito estadual. Lucas puxo a ideia do que tramita na Alesc e quer instituir em âmbito de Lages uma lei que determina à prefeitura a colocação de placa informativa, cada vez que uma obra ficar paralisada por mais de 90 dias.


TRANSPARÊNCIA OU CASTIGO?

A justificativa de Lucas Neves é focar a transparência, levando à comunidade a real razão de uma obra iniciada e que ficou pelo caminho (pelo menos enquanto os trabalhos não andarem). Porém, soaria também como um castigo ao gestor pelo fato de não ter dado conta. Aliás, se essa lei já existisse, empresas de placas em Lages teriam ganho muito dinheiro…

Vereador Lucas Neves que recentemente esteve nas obras da UPA atrás da rodoviária e ficou com essa cara de descrença por causa daquilo que viu!

0 2407

Prefeito Ceron esclareceu a respeito das readequações que resultaram na aprovação de cargos na Câmara de Vereadores. “Isso não significa nenhum centavo a mais de gasto”, começou apontando o prefeito. Ele explica que, de fato, as readequações são para atender as necessidades a partir da impossibilidade de manter contratados, naquilo que determinou a Justiça. “São 70 cozinheiras e 100 auxiliares de serviços gerais que irão atuar nas escolas. Esses cargos não existem na estrutura administrativa e foi preciso atender a norma, criando-os”. Ele aponta que tais cargos já existem, mas com contratações de outra forma e não pelo município. “E a partir de agora terá que ser direto pela prefeitura”, relata Ceron. O prefeito reitera que as contratações se dará por processo seletivo. “Por é dessa forma ou por concurso público para contratar. Não existe outra maneira”.


QUESTÃO DOS GARGALOS

NA ÁREA DA SAÚDE

“Passamos boa parte do dia discutindo a questão e buscando soluções. Para se ter ideia, no concurso público realizado ano passado, foram abertas vagas e chamados 40 médicos. Desses, apenas 4 se apresentaram. O salário não é atrativo”. Aponta o prefeito Ceron explicando um dos problemas na área da saúde de Lages. Nesse caso devido à falta de médicos. Ele pondera que está se buscando solução, mas é uma situação que requer adequações. “O que podemos é abrir processo seletivo para contratar médicos. Mas se não conseguimos profissionais pelo concurso que tem estabilidade, pelo processo seletivo pode ser mais difícil, por causa da temporariedade que esse modelo de contratação representa”.

Ceron e a secretária Odila Waldrich passaram parte da quarta-feira buscando soluções para uma série de reclamações que tem se enfrentado na área de saúde em Lages

2 3295

Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Lages deverá mastigar os dados e compartilhar informações que interpretem os projetos de lei aprovados bem devereda na Câmara esta semana. Ao todo estão sendo criados 429 cargos. Existe explicação e lógica para a providência, mas há burburinhos com várias versões. Algumas bem criativas, por sinal, sugerindo que a prefa está igual coração de mãe.


O FATO É QUE…

Esses cargos, pela interpretação prévia, são para readequar às vagas já existentes na prefeitura e abrigar aqueles aprovados no concurso e outros que chegarão através de processo seletivo – a única forma de contratação sem concurso, pelo caráter temporário das atividades a serem desempenhadas.


SUBSTITUIÇÃO AOS CPPS?

Num primeiro momento, analisando o rol de 429 cargos, por exemplo, há criação de 100 cargos de auxiliar de serviços gerais e outros 70 de cozinheiro. Como a demanda desses profissionais é nas escolas, o município pode estar suprindo a falta daqueles que eram contratados pelas CPPs e que o marco regulatório barrou.


HOUVE EXTINÇÃO DE CARGOS

Porque outros foram criados e detalhados para a Saúde da Família, os projetos aprovados na Câmara extinguiram 47 cargos.

Projetos sobre criação e extinção de cargos foram aprovados nesta semana em Lages

1 1869

Mais de 4 mil pessoas visualizaram em rede social a postagem relacionada ao problema de atendimento nos postos de saúde de Lages. Nas mensagens, internautas apontam que a situação é deveras caótica. O assunto ganha repercussão à medida que as pessoas que buscaram atendimento sem sucesso, engrossam a lista de reclamações. O clamor por melhorias não se limita a postos de saúde. Provavelmente decorrente de uma mudança no formato de atendimento implantado ano passado, o hospital Seara do Bem também tem motivado muitas reclamações.

Deficiências no atendimento na área da saúde em Lages tem causado reclamações. Do Pronto Atendimento aos Postos de Saúde o clamor é por mais profissionais atendendo com respostas mais imediatas aos problemas que chegam no dia a dia


ESPERA DE CINCO HORAS

A maior reclamação relacionada ao Hospital Seara do Bem é a longa espera por atendimento. Há uma avaliação e enquadramento em critérios de risco, priorizando casos mais urgentes. Em decorrência disso, há relatos de mães que ficam até 5 horas na recepção do hospital Seara do Bem à espera de atendimento. Cuide-se que não se trata de uma crítica àquilo que essa instituição representa em termos de atendimento em Lages ao longo da história, mas a um reclame geral pelo modelo de gestão que está causando demora, reclamações e chateação.


REPERCUSSÃO NA

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Deputado Fernando Coruja falou ontem (terça-feira) no plenário da Assembleia, sobre o episódio relatado aqui no blog, ocorrido num dos postos de Saúde de Lages que evidenciou uma situação preocupante e que merece a atenção das autoridades da área da saúde. Uma ameaça de levar o caso ao conhecimento da Rádio Clube, fez com que o atendimento a uma mãe com os dois filhos apresentando quadro de diarreia, fosse efetuado de imediato. Minutos antes, na Unidade Básica de Saúde, a mãe havia sido informada que não havia mais fichas para consulta e que deveria se deslocar ao Pronto Atendimento ou voltar para casa e tentar conseguir ficha no dia seguinte. Após a ameaça, foi levada com os filhos, de carro, para o Hospital Infantil Seara do Bem.

Coruja fez referência ao problema relatado aqui na página e contado por uma mãe no programa Clube Interativa (Clube FM) e apontou que as autoridades precisam tomar providências


PORTANTO

A única mudança que se visualiza na área de saúde em Lages está sendo a repercussão dos problemas. Que agora vão além das fronteiras da cidade. Que venham soluções e não desculpas!

7 545

Vereador Bruno Hartmann (PSDB) insiste num assunto que acabou sendo sufocado quando Marcius Machado tentou levar adiante. Trata-se de uma lei proibitiva em relação à circulação de veículos com tração animal (carroças). Os operadores precisam de apoio social, amparo de programas assistenciais, mas essa matéria é necessária tanto em relação à proteção de animais quanto a questão da mobilidade urbana.

Este é o teor do projeto de lei pensado desde março e que agora foi encaminhado para ter sequência no legislativo. Pelo texto, a proibição é válida apenas para o perímetro urbano. No meio rural, até como auxiliar de trabalho na lavoura, não há proibição.

Vereador Bruno Hartmann (PSDB) e uma iniciativa para combater maus tratos a animais que, desta vez, deverá ter sequência no legislativo

0 218

Câmara de Vereadores prestou reverências aos 100 anos de fundação do Asilo Vicentino de Lages. O atual presidente da instituição, George de Bona, recebeu uma placa comemorativa. O vereador Luiz Marin (PP), proponente da solenidade, recebeu um diploma especial de mérito em nome de todos os ex-presidentes. Marin esteve à frente do Asilo Vicentino por nove anos.

Marin que presidiu o asilo em mais de uma oportunidade e George de Bona atual presidente no ato que reverencia os 100 anos do Asilo Vicentino


A HISTÓRIA DO ASILO

O asilo foi fundado em 1917 e tem como mantenedora a Conferência Vicentina de Lages. São atendidos 81 idosos entre 60 e 107 anos, divididos em ala feminina e masculina.  A instituição filantrópica não tem fins lucrativos e se mantém com doações, aposentadorias, convênios com o poder público e iniciativas como a festa anual. A diretoria é composta por voluntários da sociedade lageana.


PROFISSIONAIS

A instituição também conta com profissionais como médico, psicóloga, nutricionista, fisioterapeuta, enfermeira, técnico em enfermagem, educador físico, assistente social, contador, administrador, assistente administrativo, cozinheiras, cuidadores, auxiliar de serviços gerais, além de estagiários e de oferecer serviços odontológicos em um consultório externo.


QUEM JÁ PRESIDIU O

ASILO VICENTINO DE LAGES

1917 a 1936 – Oscar Alves de Brito

1937 a 1938 – Custódio Campos

1939 a 1941 – Caetano Vieira da Costa

1943 a 1947 – Nelson de Castro Brascher

1948 a 1950 – Túlio Fiuza de Carvalho

1951 a 1960 – Joaquim Melim Filho

1961 a 1987 – Túlio Fiuza de Carvalho

1987 a 1988 – Antonio Inácio Correa

1988 a 1990 – Oswaldo Carvalho

1990 a 1993 – Mario Varela

1993 a 1996 – Paulo Edson Branco de Oliveira

1996 a 1999 – Adilson Pereira de Oliveira

1999 a 2002 – Luiz Marin

2002 a 2004 – Paulo Edson Branco de Oliveira

2004 a 2008 – Luiz Marin

2008 a 2012 – Gentil Lorenzetti Costa

2012 a 2014 – Paulo Edson Branco de Oliveira

2014 a 2016 – Luiz Marin

2016 a 2018 – George De Bona

Paulo Edson Branco de Oliveira e Luiz Marin (ao microfone) presidiram o Asilo Vicentino em três mandatos diferentes



EXEMPLO BACANA DOS

ACADÊMICOS DA UNIFACVEST

Curso de Enfermagem do Centro Universitário Unifacvest realiza várias ações junto à comunidade. Os acadêmicos ajudam a promover o bem-estar social em entidades filantrópicas, auxiliando diversos grupos. A agenda de atividades inclui um trabalho no Asilo Lar Menino Deus.

Os acadêmicos ajudam os idosos a cuidar do corpo e da mente, incentivando a qualidade de vida e desenvolvendo a autoestima. A atividade faz parte do programa de estágio Unifacvest.