Timber by EMSIEN-3 LTD
Obras

0 705

“A concessão das rodovias é a alternativa reconhecida mundialmente como a solução para manter as estradas com alto padrão. Não vamos federalizar as rodovias catarinenses, mas garantir a manutenção e qualidade delas. O Governo do Estado investiu R$ 4 bilhões em duplicação, restauração e construção de novas estradas pelo Pacto por Santa Catarina”. Palavras do secretário de Estado do Planejamento Murilo Flores. A princípio ele não se refere à concessão (pedagiamento) de rodovias a vulso. Mas daquelas que estão integradas a rodovias federais que serão privatizadas, como a Rodovia do Arroz e a estrada da Serra Dona Francisca, ambas relacionadas à concessão da BR-280, no Norte.


NA SERRA, POR ENQUANTO NÃO

No passado se cogitou a concessão do trecho da SC-114 entre a BR-282 e Otacílio Costa. Mas por enquanto tal traçado não integra os estudos, até porque, até meados de 2020 esse trecho deve estar em obras por conta da recuperação prevista. Mesmo que pretendesse concessionar rodovias como essa em direção a Otacílio Costa ou até mesmo a estrada para São Joaquim, o custo do pedágio seria relativamente barato. É que quando uma empresa vence uma concessão numa rodovia que está revitalizada, sem precisar fazer muitas obras, o custo para remunerar a manutenção é bem mais em conta.

Não há cogitação de incluir rodovias estaduais da Serra no plano de concessões. A estrada para Otacílio Costa está assim, em obras com a colocação de pavimento de concreto

2 407

Governadores Colombo (SC) e Sartori (RS) devem entrar no circuito para referendar a proposta de federalização da chamada rodovia Caminhos da Neve. A estrada se propõe a ser uma via de escoamento desde a Capital Catarinense até a Serra Gaúcha, passando por São Joaquim. O maior problema do traçado é o lado gaúcho da rodovia, entre o Rio Pelotas e o município de Bom Jesus. Há até um mosaico mostrando a situação…

Esse mosaico foi feito na época da Copa do Mundo e mostra o contraste de problemas enfrentados por usuários do lado gaúcho da estrada Caminhos da Neve



REUNIÃO EM SÃO JOAQUIM

Lideranças da região colocaram a questão da federalização da estrada na pauta. Atualmente o trecho estadual começa a BR-282 (trevo de acesso a Urubici), passa por São Joaquim e segue em direção à fronteira com o RS. O Exército pavimenta um trecho na saída de São Joaquim. A ideia seria transferir esse pedaço de estrada para o Governo Federal. O assunto esteve na pauta da reunião realizada em São Joaquim com a participação do secretário Murilo Flores (Planejamento) e a deputada Carmen Zanotto.

Presidente da Amures, Luiz Carlos Xavier (ao microfone) e prefeito Giovani Nunes (São Joaquim) na reunião sobre a federalização da estrada Caminhos da Neve


COMO FICARIA O TRAÇADO

INTERLIGANDO FLORIPA E SERRA/RS

Aqui uma ideia da rodovia, desde Floripa, seguindo pela BR-282 até Urubici. Ali começaria o trecho federalizado, passando por São Joaquim, atravessando o Rio Pelotas, saindo em Bom Jesus, São Chico de Paula, Canela e Gramado


AÇÃO PARLAMENTAR

A deputada federal Carmen Zanotto assumiu ainda, o compromisso de agendar um encontro entre as bancadas parlamentares catarinense e gaúcha para avaliar o melhor caminho político para uma solução ao impasse que se arrasta há anos. A proposta de federalização é defendida pelas lideranças do Rio Grande do Sul como a melhor saída para que as obras aconteçam do lado gaúcho.

Carmen quer parlamentares de SC e RS discutindo a federalização da rodovia para que a obra possa ser concluída


Imagens: Zé Rabelo e Onéris Lopes

2 726

Motivo inicial do ato realizado em Lages com a participação do Diretor Executivo do DNIT, Halpher Luiggi e o Superintendente Estadual, engenheiro Vissilar Pretto, a ordem de serviços para elaboração de projeto e posterior obra das cinco passarelas de pedestres na travessia urbana de Lages acabou ficando em segundo plano. Todos queriam saber a respeito dos estudos das terceiras faixas entre Lages e Floripa, assim como a existência de um cronograma para a concessão da BR-282. Em relação às passarelas, motivo de luta das associações de moradores que a deputada Carmen Zanotto (PPS) atuou firme para tornar possível, a ordem de serviços foi assinada.


PRIMEIRO O PROJETO

Antes que as pessoas não observem vestígios de obras nos próximos meses, carece deixar claro que inicialmente a empresa Zanco vai elaborar os projetos das cinco passarelas. Tem prazo até outubro deste ano para tanto. Depois disso que inicia a obra em si com previsão de término para o final de 2018.

Deputados federais Jorginho Mello (PR) e Carmen Zanotto (PPS) se somaram às autoridades como o prefeito Ceron e presidente Aida Hoffer, além do presidente da Azil, Sadi Montemezzo e técnicos do DNIT



PLEITOS AO DNIT

Antes das solenidades, os prefeitos aproveitaram para apresentar solicitações ao DNIT para aqueles municípios cortados pela BR-282.

Vilmar Neckel (Alemão) de Bom Retiro aproveitou e entregou o projeto ao diretor Halpher e ao engenheiro Vissilar, com a ajuda da deputada Carmen Zanotto. Ele quer melhorias no trevo de acesso ao município de Bom Retiro e na localidade de Santa Clara

Prefeita Fernanda Córdova (direita) veio prestigiar o ato com a presença do colega de PR, deputado Jorginho. Já a prefeita Milena Becher (do mesmo PR) pediu redutores de velocidade e iluminação nos acessos que ligam a BR-282 a Vargem, onde ela é prefeita


DOIS FEDERAIS E O GRINGO

Prefeito Ceron dialogou com a deputada Carmen Zanotto e o deputado Jorginho Mello. Na pauta questões administrativas já que os temas políticos estão em banho maria



UM PEDIDO DE CERON

Falando aos engenheiros do DNIT, durante a solenidade em Lages, o prefeito Ceron fez um pedido. Quer estudos para uniformizar o limite de velocidade na travessia urbana de Lages. “Na via marginal a placa indica 40 km/h e no eixo principal 50 km/h. Isso causa confusão nos motoristas e resulta em multas. E como o DNIT não quer multar, mas disciplinar a velocidade, fazemos esse pedido com carinho para a uniformização”.

Ceron também indagou se as terceiras faixas na BR-282 (entre Lages e Floripa) são obras para antes ou depois da concessão. Recebeu informação de que a as obras seriam antes até para baratear custo do pedágio


Imagens: Zé Rabelo

0 833

Que o trecho entre Lages e Florianópolis da BR-282 vai ser entregue à iniciativa privada com a implantação de praças de pedágio, isso é fato. Apenas a questão de quando isso ocorrerá que fica por definir. Os estudos nesse sentido já iniciaram e tiveram o prazo prorrogado até meados de outubro de 2017. Esse é o primeiro passo.


LOTE ÚNICO NAS

RODOVIAS 282 E 470?

Na solenidade da segunda-feira o prefeito Ceron chegou a indagar se haverá um único lote (BR-282 e BR-470) e os técnicos do DNIT esclareceram que são duas situações autônomas (até porque a BR-470 está com o processo de concessão mais adiantado).


MAS ATÉ A CONCESSÃO…

Superintendente do DNIT em Santa Catarina, engenheiro Vissilar Pretto, detalhou aos presentes no ato em Lages o estudo para a implantação de terceiras faixas e melhorias no trecho até Florianópolis. “Essas melhorias independem da concessão, mas repercutem nela. Porque com as obras já executadas acaba repercutindo no custo (a menor) da tarifa de pedágio porque a empresa vencedora não precisará fazer tais obras”, esclareceu aos presentes o Superintendente.


TERCEIRAS FAIXAS ENTRE O PERÍMETRO

URBANO DE LAGES E O DISTRITO DE ÍNDIOS

O engenheiro Vissilar Pretto apresentou os locais estudados para as terceiras faixas na BR-282. Observe que em Lages estão previstas duas delas, sendo no km 207 (a partir do trecho de Índios) com 4 km de extensão em direção a Lages e outra a partir do km 213 (em direção a Índios) com 2 km de extensão

O DNIT detalhou os locais ao longo da rodovia até Florianópolis que receberão as terceiras faixas tornando o trânsito mais seguro e rápido, visto que o tráfego pesado é deslocado para essa terceira faixa

No estudo foram apresentados custos médios por quilômetro (na ordem de R$ 1,5 milhão) para as terceiras faixas

O pequeno auditório PRF/DNIT recebeu lideranças políticas e empresariais, interessadas nas questões que envolvem a mobilidade a partir do uso da BR-282


Imagens: Zé Rabelo



CONSTRUTORA TERRA APRESENTA

O RESIDENCIAL CENTENÁRIO

Use seu FGTS para dar de entrada. Negocie e deixe de pagar aluguel. Conheça os valores e as condições de financiamento para adquirir uma unidade no Residencial Centenário.

Visite o portal e se informe sobre as opções e financiamento, através da Caixa. Poucas construtoras conseguem autorização para financiar pela Caixa. Ligue para a Terra Engenharia ou no (49) 99162 6278

0 81

“Assinatura da ordem de serviço para a construção das passarelas da BR-282 no perímetro urbano de Lages acontecerá na segunda-feira (17). A cerimônia marcará o início da implantação de cinco passarelas para atender os moradores”.

Essa é a informação que a deputada Carmen Zanotto (PPS) está fazendo circular através de sua assessoria em relação à implantação das passarelas no trecho urbano da BR-282 em Lages e ainda no distrito de Índios. Entretanto, carece certa cautela porque aquilo que se assinará na segunda-feira, 17, não é a ordem para o início das obras. Se quer existe projeto para as passarelas. Logo, não tem como assinar uma ordem de serviços para uma obra sem projeto.


O QUE ESTARÁ SENDO ASSINADO?

Na segunda-feira será assinado o contrato com a empresa vencedora da licitação -, a Zanco Construtora – para elaborar os projetos executivos das cinco passarelas. A empresa terá seis meses (portanto, até 17 de outubro) para concluir os projetos. Finalizada a elaboração dos referidos projetos e os mesmos devidamente aprovados, iniciará a obra propriamente dita, com prazo de execução de um ano.

Essa imagem aérea da época da obra em andamento dá ideia onde ficarão duas, das cinco passarelas. Uma delas bem na parte superior da imagem e a outra abaixo. A primeira ligará os bairros Passo Fundo ao Frei Rogério e a segunda o Santa Maria ao Gethal

0 421

Núcleo de Comunicação do DNIT confirmando o ato da próxima segunda-feira, dia 17. Trata-se do ato de assinatura e entrega da Ordem de Serviço para a elaboração dos projetos e construção das passarelas de pedestres na BR-282, trecho urbano de Lages.


OBRA DE R$ 5 MILHÕES

A obra foi licitada sob o regime de contratação integrada (RDCI – Edital 313/2017-16). A empresa Zanco Construtora Ltda, vencedora da licitação, será a responsável pela elaboração dos projetos básico/executivo e da construção das cinco passarelas previstas. O valor total da obra é de R$ 5.729.000,00.


SEIS MESES DE PROJETO E

UM ANO PARA FICAREM PRONTAS

De acordo com o cronograma a empresa terá até 6 meses para a elaboração dos projetos e, a partir deste prazo, 360 dias para conclusão das passarelas. As cinco novas passarelas para pedestres vão permitir a travessia da rodovia de forma absolutamente segura. As passarelas serão distribuídas ao longo da travessia urbana do município, conforme mostra o quadro abaixo:

Passarela (Bairro) Localização (km)
Distrito de Índios 206,5
Bairro Bates 216,0
Rua Campos Salles 217,4
Bairro Frei Rogério/Passo Fundo 218,8
Bairros São Francisco/São Paulo 220,9

TERCEIRAS PISTAS NO

TRECHO LAGES A FLORIPA

Além desse ato sobre as passarelas de pedestres, diretores do Ministério dos Transportes e do DNIT trarão novidades em relação a implantação de terceiras faixas em trechos da rodovia que liga Lages a Florianópolis.

As passarelas na BR-282 teve a articulação da deputada Carmen Zanotto que estará acompanhando o ato

0 1601

Analista de Comunicação Maria Christina de Oliveira e a Assistente de Projetos, Pamella Fragoso, profissionais da Auto Pistas Planalto Sul – empresa que detém a concessão da BR-116 – estiveram em reunião com o prefeito Ceron. Entre vários assuntos tratados, chamou atenção uma informação compartilhada pela prefeitura. Trata-se da decisão da empresa de incluir a duplicação da BR-116 até o final do território de Lages (divisa com Capão Alto) na ponte sobre o Rio Caveiras. Segundo informou a prefeitura, a empresa acabou um pedido do governador Colombo para que o projeto de duplicação da rodovia se estendesse até as imediações citadas.

Registro de Greick Pacheco para a conversa entre dirigentes municipais e as técnicas da Auto Pistas Planalto Sul que, entre outros assuntos, informaram sobre a duplicação da BR-116 até a ponte sobre o Rio Caveiras


PROJETO EM ELABORAÇÃO

De acordo com as informações, o projeto para a duplicação, estendendo-se até a ponte sobre o Rio Caveiras (ponte da antiga Perdigão) está sendo elaborado. Significa que a duplicação não se limitará à Área Industrial até o acesso ao bairro Bela Vista (entroncamento com a Avenida João Pedro Arruda), tendo continuidade, passando pelo trevo da Lactoplasa até a divisa com Capão Alto.

Essa imagem a gente ilustra para mostrar onde se situará a futura Berneck em Lages (embaixo da seta vermelha), mas serve também para ver até onde irá a duplicação, ali na ponte sobre o Rio Caveiras, pertinho da JBS (antiga Perdigão)


QUANDO ISSO?

De acordo com as informações compartilhadas pelas técnicas da Autopistas na conversa com o prefeito Ceron, o vice Polese e  Luís Carlos Pinheiro (Turismo), as obras de duplicação da BR-116, no perímetro urbano de Lages, devem iniciar em 2019. A duplicação da rodovia começará por Lages em direção ao norte de SC.

4 916

Um conjunto de cerca de 70 ruas está sendo projetado para pavimentação, pela Prefeitura de Lages, contemplando ruas do itinerário do transporte coletivo urbano, e também vias onde se localizam Unidades Básicas de Saúde, Centros Municipais de Educação Infantil, CRAS, entre outros órgãos públicos. Secretário de Planejamento e Obras, Clayton Bortoluzzi, disse que este projeto é uma promessa de campanha que o prefeito Antonio Ceron já está cumprindo.


PAVIMENTAÇÃO SOLIDÁRIA

Além destas, dezenas de outras ruas serão contempladas, através de programa de pavimentação solidária, no qual a prefeitura subsidiará parte dos custos das obras. Clayton não adiantou, porém, quais serão os percentuais que caberão à Prefeitura e aos moradores. “Uma coisa é certa: os moradores não terão de arcar com 100% dos custos de pavimentação”.


E…

Outro projeto que será desenvolvido, segundo Bortoluzzi, compreende obras de melhoramentos e reurbanização de cerca de 20 ruas que já estejam pavimentadas. “Os recursos para que a prefeitura possa executar esses projetos virão do Governo do Estado e também da própria municipalidade”, fala Bortoluzzi.

Pelo somatório, portanto, mais de 100 ruas devem receber reparos ou pavimentação no PAC – Programa de Aceleração do Ceron – em Lages