Timber by EMSIEN-3 LTD
Obras

0 331

Percorremos umas três vezes o caminho entre Urubici e Braço do Norte com a SC-370 em obras. É preciso visualizar o trecho para ter ideia do significado dessa obra que é executada pelo Governo do Estado. A rodovia que interligará a Serra Catarinense a partir de Urubici até a BR-101 em Tubarão, constitui-se um ‘atalho’ para quem quer chegar ao litoral sul sem utilizar a Serra do Rio do Rastro.


DIFERENÇA DAS SERRAS

Enquanto a Serra do Rio do Rastro é mais longa e cheia de curvas na pós descida, a Serra do Corvo Branco, embora mais acidentada, não possui prolongamento extenso em curvas, tornando a viagem mais rápida. Claro que em relação a visual, vai do gosto de cada passante, mas a Corvo Branco tem suas características peculiares. Do Vale do Canoas a partir de Urubici até a estrada acompanhando o rio entre Grão Pará e Braço do Norte, o trecho lembra muito regiões de turismo da Europa.


COMO ESTÁ A OBRA?

Governador Colombo percorreu os mais de 50 km de carro nesta semana para conferir o andamento dos trabalhos. O trecho de Grão Pará até a boca da Serra do Corvo Branco (antes de chão batido) está praticamente pronto. Agora o desafio se concentra na parte final que é o asfalto naqueles 5 quilômetros de Urubici até a chegada na fenda que caracteriza a travessia da Serra.

 

James Tavares fez esse registro de Colombo conferindo a obra que interligará Serra e Litoral a partir de Urubici

Tal obra tornará Urubici o município da Serra que mais se desenvolverá em termos de turismo. Atualmente já são mais de 100 pousadas. E com essa alternativa a mais de acesso, Urubici crescerá muito no setor turístico

Uma ideia de como está ficando a parte da rodovia desde Grão Pará até a boca da Serra do Corvo Branco

0 559

Vereador Vone Scheuermann (PMDB) já foi Secretário de Obras. E por causa disso tem entendimento que tal estrutura precisa estar localizada num espaço mais acessível à população Por isso está pedindo informações sobre a mudança de endereço da Secretaria de Planejamento e Obras. “O pedido justifica-se devido a reclamações da comunidade que sentem dificuldades de acesso ao novo local devido à falta de vagas de estacionamento nas ruas centrais da cidade”.

Vone não concorda com a mudança. Até porque o espaço onde a estrutura funcionava (Avenida Presidente Vargas) continua alugado pela prefeitura servindo outra estrutura (Secretaria da Mulher).


RAZÃO É A UNIFICAÇÃO

Desde maio a Secretaria de Obras funciona no prédio da Seplan (Rua Aristiliano Ramos, nº 100). A intenção da mudança foi unir em um único espaço os serviços de Planejamento e Obras (estruturas unificadas pelo prefeito Ceron).

0 845

Semanalmente a Prefeitura de Lages vem informando o andamento de algumas frentes de obras cujos trabalhos estão em andamento. A chamada Avenida das Torres que liga a BR-282 à principal avenida do bairro Guarujá, por exemplo, está com as obras de asfaltamento executadas. Faltam os serviços de pintura e caixas de direcionamento da rede de água fluvial. São R$ 2,5 milhões do Fundo Social – Governo do Estado – direcionados para essa obra que cria um acesso pavimentado alternativo ao bairro Guarujá.


UM PEDACINHO DE CHÃO (ASFALTADO)

Até hoje não se sabe a razão e o critério de ter sido escolhida uma extensão de apenas 127 metros da Rua Fortaleza no bairro Santa Helena para receber asfalto. Todo o restante da via segue de chão batido. Há promessas de incluir o restante num plano de asfaltamento, mas a obra pronta no local mostra um contraste interessante com a rua de poeira e lama e um pedacinho (um quadra) com asfalto.

Esse é o pedacinho da Rua Fortaleza que além de asfaltada ganhou calçadas, pintura e ficou bem bacana. Foram gastos R$ 119 mil para fazer esse pedaço da via


PRINCIPAL OBRA DO MOMENTO EM LAGES

Enquanto a Secretaria de Obras coordena a execução dessas vias que estavam por concluir (Rua Fortaleza, Avenida das Torres) uma obra começou na atual administração e, segundo a prefeitura, 55% da infraestrutura urbana está concluída. Trata-se da Avenida Nossa Senhora da Penha, que corta o bairro do mesmo nome. Com mais de 1 km de extensão (mais exatamente 1.010 metros), a obra executada em parceria com o Governo do Estado tem custo superior a R$ 1,6 milhão.

Esta é a obra da principal via do bairro da Penha que está com mais da metade executada e liga as ruas Manoel Antunes Pessoa (São Miguel) a Burno Luersen (Vila Mariza)

0 816

Sabem a razão de tanta atenção? É que o projeto de revitalização do Centro vai interferir (tomara que para o bem) no cotidiano do comércio da área central de Lages.


MUDANÇAS NO PROJETO DA

REVITALIZAÇÃO DO CENTRO

Apesar da concepção moderna, com referências de projetos já executados na Europa, algumas mudanças sugeridas pelos empresários foram incorporadas ao projeto. Como por exemplo, a criação de mais vagas de estacionamento e a implantação de mais banheiros e de uma estrutura exclusiva para a PM. Com a redução de canteiros e ampliação do pavimento, serão disponibilizadas 81 vagas de estacionamento em sentido oblíquo, nas ruas Coronel Córdova, Nereu Ramos e na Correia Pinto.

Carlos Olsen da empresa IDP que concebeu (e agora adaptou) o projeto, secretário Bortoluzzi e o prefeito Ceron na apresentação aos comerciantes

Os comerciantes de olho na nova concepção do projeto apresentado nesta sexta-feira


PALAVRA DA PRESIDENTE ROSANI POCAI (CDL)

“Nós ficamos cinco anos esperando para que fossem acatadas as mudanças e em dois meses o projeto finalmente foi encaminhado”.


PALAVRAS DE CERON SOBRE O PROJETO

“Eu não poderia ser responsável pela execução de um projeto que pudesse prejudicar os comerciantes”.


O QUE ACONTECIA E ACONTECERÁ AGORA, PREFEITO?

“Há 20 dias já não tínhamos mais os recursos para executar o projeto, mas nesta semana conseguimos viabilizar inclusive o pagamento do projeto. O próximo passo é encaminhar para a licitação, o que deve levar dois meses para conhecermos a empresa vencedora, se tudo correr dentro do prazo”.

0 355

Uma notícia boa e uma ruim sobre as obras de infraestrutura rodoviária do Governo do Estado na Serra Catarinense. A notícia boa é que há notícia porque há obra. E a ruim é que um pouquinho mais de celeridade não faria mal a ninguém.


CAMPO BELO A CAPÃO ALTO:

A ESTRADA CUJA OBRA NÃO ANDA

Motivo de reclamação, de piada, de transtorno e por coincidência a estrada da terra natal do secretário João Alberto (ADR), a obra de revitalização da SC-390 entre a BR-116 e Campo Belo segue envolta em mistério. Era para ter sido terminada em junho de 2015 – conforme a placa. Dois anos depois há trechos que foram refeitos, outros desfeitos e nada tem deixado o usuário satisfeito. Presidente do Deinfra, Wanderlei Agostini, que quer levar uma carrada de votos como candidato a deputado na Região dos Lagos passou por Lages nesta quarta-feira. Sobre a estrada do Campo Belo nenhuma informação oficial.

Pela placa, a estrada era para estar revitalizada há dois anos porque iniciara faz quatro anos. Mas há ainda há muito por fazer e corrigir. Sobre tal trecho da rodovia nada se fala e pouco se faz


REGISTRE-SE ENTRETANTO…

Que há esse problema pontuam na estrada do Campo Belo, mas no geral o Governo do Estado tem feito muito em termos de obras rodoviárias na Serra Catarinense. Não se trata, portanto, de apenas jogar pedras ao tartaruguismo dessa estrada SC-390 que passa por Capão Alto. Carece reconhecer que se fez muito em outros trechos de rodovias na região.


POR FALAR EM TARTARUGUISMO…

Como cumpriu expediente na Serra Catarinense na quarta-feira, presidente do Deinfra, Wanderlei Agostini proseou com o prefeito de Otacílio Costa, Tio Ligas. Naquele município e em Palmeira, embora se reconheça a importância da revitalização da estrada até Lages, há reclamações sobre a forma como a obra vem sendo conduzida. Sem contar (ou contando) que o desvio do tráfego na localidade de Cadeados foi anunciado  para 3 de julho e os ‘gestores’ erraram no calendário e até agora nada. O desvio do tráfego, pressupõem-se que aceleraria a obra. Coisa, portanto, que está tartarugando…

Tio Ligas com o vice Pindaco sem muita paciência por causa das reclamações que chegam às prefeituras por problemas que o Deinfra deveria estar administrando sobre a obra. Se Wanderlei ouviu e ele comanda o Deinfra, por certo que…

0 932

Internauta escreve apontando que a ideia de desassorear o Rio Carahá pode trazer outro problema. “Com a retirada da vegetação de gramínea o barranco pode ficar exposto causando erosão”. A ponderação até que faz sentido, mas deve estar prevista alguma ação complementar na margem do rio para não ficar apenas terra pelada dando sustentação como encosta. E de qualquer forma, se a palavra de ordem é desassorear, que se coloque as máquinas para roncar. Até porque, se ficarmos debatendo de forma interminável o que pode e o que não pode, não demora e vem outra chuva daquelas para deixar áreas que podem ficar livres de inundação, completamente debaixo d’água.


PALAVRA DO SECRETÁRIO

Sobre a ideia de desassoreamento, o trabalho deve ir além do Rio Carahá. O Ponte Grande também deverá receber o tratamento, conforme aponta o secretário Claiton Bortoluzzi:

“A retirada de terras e entulhos acumulados às margens e no leito do rio é fundamental para melhorar a vazão das águas das chuvas. Esta é uma obra essencial que faz parte do projeto da Avenida Ponte Grande”.

Um registro bem bacana de Carlos Alberto Becker (Comunicação do Paço) com o secretário Bortoluzzi acompanhando o roncar da amarela nos trechos da paróquia

1 1268

Moradores da região leste do bairro Guarujá passarão um verão menos traumático. O fluxo de veículos que utiliza a ligação entre a BR-282 e a avenida 31 de Março não produzirá mais poeira ou lama com o término das obras de um dos lados da Avenida das Torres. Faltam apenas algumas sinalizações, mas a camada asfáltica já está colocada e com parte da sinalização pronta.


OUTRO LADO

O asfalto compreendeu um dos lados da avenida. Secretário de Planejamento e Obras, engenheiro Claiton Bortoluzzi disse que a pavimentação da segunda pista da Avenida das Torres é uma obra que também está nos planos, porém ainda não há prazo definido para o início dos trabalhos.

Providência que precisa ser pensada com uma certa urgência é o cruzamento da rua Porto Seguro (centrinho do Guarujá) com a Avenida 31 de Março. É que ali desemboca o trânsito da Avenida das Torres e uma rótula seria bem pertinente no local



INVISTA EM EMPREENDIMENTOS

COM A QUALIDADE TERRA ENGENHARIA

Terra Engenharia tem a opção na medida. Empreendimentos de elevado padrão de qualidade. Residencial Terra é exemplo de lugar ideal para morar bem. O prédio no bairro Frei Rogério tem a marca Terra Engenharia. Tem ainda a opção abaixo no bairro Centenário e em breve grandes novidades em Lages!

Visite o portal e se informe sobre preços, formatos e opções de financiamento, através da Caixa. Ligue para a Terra Engenharia no (49) 99149 2327 ou 3226 2327 – contato@terraengenharialtda.com.br

0 339

“É preciso que esses recursos sejam transferidos com urgência porque meia pista está interditada. Com as fortes chuvas que caíram em nossa região, a situação se agravou. O nosso temor é que o controle do espaço aéreo seja comprometido”.

Não sei se esse tom faz parte do release ou se a deputada Carmen Zanotto foi enérgica assim com o ministro dos Transportes, Maurício Quintella. O fato é que ela e o deputado Jorginho Mello (PR) prosearam com Quintella para agilizar a transferência de recursos orçamentários para o Ministério da Defesa. A providência é para a obra de recuperação do acesso ao Morro da Igreja em Urubici.


PARA ENTENDER A SITUAÇÃO

Os recursos, no valor de R$ 12 milhões, são provenientes de emenda elaborada em conjunto com a bancada  catarinense e o Ministério da Defesa. Como a via está localizada na área patrimonial administrada pelo Comando da Aeronáutica, a obra será executada pelo Exército. Quintella informou aos parlamentares que está agilizando a transferência dos recursos para o Ministério da Defesa.

Deputada Carmen Zanotto e deputado Jorginho Mello na prosa com o Ministro Quintella e o pedido de celeridade nas providências para o Morro da Igreja em Urubici cujo acesso se dá em meia pista


A TÍTULO DE CURIOSIDADE

O Morro da Igreja é ligado à rodovia estadual pela BR-475. Essa rodovia federal tem traçado inicial aqui em Lages. Mais exatamente na altura do trevo do aeroporto perto da ADR.

0 485

A NOTA DO DEINFRA

“O Deinfra objetivando oferecer mais segurança aos usuários da rodovia SC-114, no trecho de terra onde será o desvio de 17,6 Km, entre a localidade de Cadeados até o posto da Policia Militar Rodoviária, em Palmeira,  informa que as obras  de melhoria para liberar o trânsito seguem em ritmo acelerado, com a colocação de cascalho nos trechos mais críticos. Segundo o engenheiro Waldir Zanette do Deinfra, responsável pela manutenção do trecho, não foi possível ainda a sua liberação total, devido ao estado  precário, causado pelas as fortes chuvas do último mês. Uma nova data para iniciar o desvio será marcada”.

Robson Ribeiro (Correio Otaciliense) fez o registro do trecho por onde passará o tráfego enquanto a SC-114 estiver em obras. Mas a estrada de chão não está preparada para servir de desvio


CULPARAM A CHUVA

Não chove na Serra Catarinense desde 08 de junho de maneira intensa e regular. E o desvio está previsto desde meados de abril. Agora vem a informação do atraso no deslocamento do trânsito por causa das chuvas. Acredito que não faz diferença para a comunidade atrasar uma ou duas semanas para iniciar o desvio. Atraso que também não deve causar problemas na obra de revitalização à concreto da SC-114. E sendo assim, o Deinfra não precisaria se agarrar na chuva para justificar que foi feita coletiva à imprensa, combinado o desvio e ‘esquecido’ do mais importante: deixar a estrada de chão em condições de receber o tráfego deslocado da SC-114.


ADR VAI DIALOGAR COM

A PREFEITA DE PALMEIRA

Informação é de que o secretário João Alberto Duarte (ADR) deverá procurar a prefeita Fernanda Córdova (PR), nesta terça-feira, Vai dialogar sobre as obras necessárias na estrada municipal que permitirá o desvio do tráfego da SC-114. Até agora a ADR, Deinfra e Consórcio Dalva/SBS ignoraram que teria que ter parceria com a prefeitura, visto que a entrada de máquinas para ajeitar a estrada municipal está levando transtornos aos moradores locais e esses estão batendo à porta da prefeitura de Palmeira em busca de socorro.

Embora estejam desencapando uns fios pelo caminho na relação entre os entes envolvidos na obra, a pavimentação à base de concreto está ficando muito bom no trecho entre Lages e Otacílio Costa passando por Palmeira