Timber by EMSIEN-3 LTD
Política

0 580

Se na Comissão de Finanças da Assembleia o deputado Coruja optou pelo muro, quando o projeto de criação do Fundam II foi a plenário ele não teve dúvida. Votou favorável. Aliás, não teve dúvidas, mas não deixou de estranhar alguns encaminhamentos de origem do Executivo. O fato do Governo do Estado fazer emendas ao próprio projeto de origem do Executivo motivou questionamentos do parlamentar lageano. Mas no final, para garantir a unanimidade, Coruja votou pela aprovação do Fundam II. E ele argumentou:

“Vou votar a favor do projeto, do empréstimo… Acho meio absurdo o governo que está saindo emprestar um bilhão e meio para os outros pagarem (…). Vou votar a favor para não dizerem por aí que a gente é contrário aos municípios. Mas é completamente inadequado fazer um empréstimo nesta hora (fim de mandado). Vou votar a favor para depois não ser contestado. E foi bom não aprovarem as emendas, senão iriam dizer depois que não tinham dinheiro…. Assim não há justificativa. E eu quero ver esse dinheiro sair. Quero ver esse dinheiro sair. Eu vou cobrar todo dia… e duvido muito que esse dinheiro saia”.

Deputado Coruja, no seu estilo combatido, argumentou sobre o teor do projeto Fundam II que libera R$ 1,5 bilhão de empréstimo (via BB e BNDES) para que o Governo Colombo faça investimentos em SC.


CONTRAPONTO DE BASTIDORES

Há quem veja o Fundam II como um cheque em branco para que o governador Colombo carimbe a eleição ao Senado. Há leituras de que, em passando pelas tormentas de julho, Colombo seguirá nas ações administrativas distribuindo os recursos desse projeto aos municípios e, com isso, pavimentando a eleição ao Senado. Embora as tormentas de julho sempre causem barulho, é claro!

0 697

No programa A Hora da Corneta da Clube FM juntamente com Adilson Oliveira e J. Amarante a gente apontava como estranha a posição do deputado Fernando Coruja (PMDB) de não ser favorável ao Fundam II nas Comissões da Alesc. Na Comissão de Finanças da Assembleia, onde o assunto foi discutido antes de ir a plenário, o parlamentar lageano se absteve: nem sim, nem não. Coruja argumenta que é um empréstimo a ser pago posteriormente pelo Estado e tem vestígios de ação eleitoreira.


CORUJA ESTÁ CERTO E ERRADO

(SE É QUE ISSO É POSSÍVEL)

Coruja está certo: É um empréstimo de R$ 1,5 bilhão (Banco do Brasil e BNDES) que terá que ser pago depois. Estaria certo por causa do eventual cunho eleitoral da questão. Mas estaria errado se votasse contra ou ficasse neutro. É uma verba que cai do céu – sem precisar pagar depois. Estamos falando de quase R$ 800 milhões que chegarão para os prefeitos realizarem obras e ações. Nenhum prefeito vai ser contra isso ou rejeitar os pilas no pires.


OBSERVE-SE QUE…

Tem prefeito administrando encrenca: Folha, Saúde, Educação e acabou o dinheiro. Não dá para fazer nem conservação de estrada no interior. Assim, quando chegarem os recursos do Fundam II (serão pelo menos R$ 800 mil para cada município), algumas ações que se pretendia fazer e não havia dinheiro para tanto, tornar-se-ão possíveis com esse aceno de Colombo.


AGORA SE…

Colombo vai contabilizar dividendos eleitorais com esse aceno aos prefeitos, vale a regra de que quem está no comando do Estado direta ou indiretamente vai se beneficiar politicamente com ações. E criticar Colombo por causa disso faz lembrar a filosofia repetida pelo ex-vereador Canônica: Política é igual carga de porco. Geralmente reclamam aqueles que estão por baixo (da carga, é claro).

Fora as pauladas verbais do deputado Coruja no governo Colombo na Alesc, a relação de ambos é assim, meio turbulenta às vezes e, cheia de ternura em outros momentos, como aponta a imagem de arquivo

0 4630

Tem quem o critique. Tem quem o idolatre. Há aqueles que torcem o nariz para ele. E aqueles que abrem aquele sorriso na cara quando o encontram. Trata-se do maior líder político da história recente que Lages possui. O governador Raimundo Colombo. Protagonista de uma engenharia política cujo desdobramento é uma incógnita, Colombo aproveitou a passagem por Lages nesta semana para gravar o programa que possui na internet – Com a Palavra o Governador – na frente do principal símbolo turístico e de religiosidade da cidade: A Catedral Diocesana.

Colombo fazendo uma das coisas que mais gosta: Comunicar-se com as pessoas. A gravação do programa aconteceu em plena praça na frente da Catedral


AS ENGENHARIAS DE 2018

A princípio está desenhado que até o dia 7 de abril do ano que vem, Colombo renuncia ao cargo de governador para disputar uma das duas vagas ao Senado por Santa Catarina. Com isso, entrega o governo ao PMDB do vice Pinho Moreira. Há variantes indicando a hipótese dele renunciar antes e até de Colombo não chegar a deixar o governo e concluir o mandato sem disputar nada. Na última entrevista que ele nos deu na Clube FM ele deixou clara a disposição em concorrer ao Senado.


MAS HÁ DÚVIDAS

As dúvidas recaem sobre quem estará com Colombo no desafio de 2018. Há alguns cenários. O PSD de Colombo lança Merísio ao governo e trás com eles o PP, PDT, PSB e outras siglas com menor expressividade. O sonho de consumo para essa coligação seria atrair o PSDB cujo pré-candidato Paulo Bauer lidera as pesquisas para consumo. Nesse caso teria como adversário o próprio PMDB, que estaria no outro lado do balcão lançando candidato ao Senado. Outro viés seria o PSD não lançar Merísio, mas sim um vice ao PMDB, o que tornaria a eleição de Colombo para a Câmara Alta algo bem menos difícil. Por isso há dúvidas e incógnitas sobre as costuras e desdobramentos. E tudo passa por aqui que o homem da foto, em conjunto com os colegas de PSD, definir!

0 935

Festa do Pinhão tem sido palco de atrações musicais, multidão no parque e daqueles encontros diversificados na política. Porque não se sabe se PSD e PSDB estarão no mesmo muro, digo, na mesma coligação ano que vem quando da disputa ao Governo do Estado, por enquanto as duas siglas ‘estão ficando’ juntas nas prosas e nas engenharias pré-eleitorais. Observe esse registro na Casa do SBT Santa Catarina, Clube FM e Massa FM no Conta Dinheiro…

Inspetor Magno da PRF (esquerda) testemunha o encontro dos diretores do SBT Carlos Amaral e Beto Amaral com o pai e pré-candidato a Estadual (pelo PSDB, por enquanto), Ceron e Merísio (ambos PSD), acompanhados do Senador Dalírio e o presidente do PSDB no Estado, deputado Marcos Vieira. De uma prosa dessas, inevitavelmente, sai algum tipo de aproximação. Se é para as urnas ou não, o tempo dirá!


PAULO BAUER VEM AÍ…

Na agenda de presenças políticas na Festa do Pinhão o pré-candidato ao Governo Catarinense no ano que vem, Senador Paulo Bauer, tem visita prevista para este sábado, 17 em Lages. Durante o dia ele participa de algumas agendas e à noite circula no Conta Dinheiro. Bauer que nas pesquisas para consumo realizadas pelo Instituto Mapa já apareceu com quase 1/3 dos votos dos catarinenses na preferência para 2018. Porém, no último levantamento, por circunstâncias diversas, o percentual caiu bastante, ficando bem abaixo dos 30%.

Bauer, que lidera a corrida eleitoral em SC e que ano passado apoiou Amaral em Lages, estará na cidade neste sábado, 17


OS FIASQUENTOS DO PAGO

Se tem algumas lideranças políticas discretas que orientam assessores a adquirir ingressos para entrar sem alarde no local da Festa do Pinhão, há outras que se sentem verdadeiros artistas. Na noite de quarta-feira, por exemplo, deputado Rodrigo Minotto passava do lado de fora do Parque Conta Dinheiro mensagens a interlocutores perguntando como é que ele entrava no evento. Se fosse para mim a mensagem, responderia:

– Passa na bilheteria, paga ingresso e entra!

0 1390

Quem mira continuar se servindo das antigas SDR (hoje com novo nome – ADR – e mesma roupagem) não deverá votar em Gelson Merísio em se confirmando sua candidatura ao Governo em 2018. Com palavras bem cautelosas para não ofender LHS que trouxe o modelo ao mundo catarinense e nem Colombo que deu sustentação ao inchaço, Merísio foi categórico ao falar na Clube FM:

– Naquilo que depender de mim, a extinção das SDR será meu primeiro ato de governo. É um modelo que já se prestou àquilo que foi criado. Hoje elas não precisam mais existir. São R$ 250 milhões por ano que podem muito bem serem canalizados para investimentos no Estado!


QUEM FARIA PAPEL DAS ADR

Na visão do pré-candidato ao governo catarinense pelo PSD, o modelo ideal é das associações de municípios – no caso da Serra a Amures – com pouca gente e muita funcionalidade, fazerem o papel que hoje é atribuição das ADR:

– O que os municípios precisam é de uma estrutura técnica para elaborar projetos e fazer esse meio campo entre as regiões e o Estado. Essas associações devem ser incentivadas e estruturadas para esse papel!

Fabrício (Gralha Azul FM) com Roberto Amaral, Carlos Amaral e Beto Amaral ouvem com Ceron as pregações do pré-candidato Merísio durante entrevista que ele deu nos estúdios da Clube FM

0 139

Enquanto a gente domava uns vinhos ou fugia do frio neste final de semana de temperatura de encarangar, deputado Gabriel Ribeiro (PSD) turbinou a agenda. Nada de fincar bandeira no parque Conta Dinheiro e ficar apenas no entrevero com os visitantes da Festa do Pinhão. Depois de conferir a abertura na sexta-feira, sábado ele esteve em Curitibanos na posse da Associação Comercial. No domingo, logo cedo, foi à Festa da Colheita em Campo Belo. “Adiamos uma agenda em Caçador na segunda-feira pela manhã porque vamos acompanhar o governador Colombo e o ministro da Integração Nacional na constatação in loco da situação deixada pelas chuvas intensas na região”, cita o parlamentar.


RITMO DE CAMPANHA?

Indagado se o pique do final de semana é decorrente do foco na campanha eleitoral ano que vem, Gabriel Ribeiro aponta que vem fazendo isso constantemente. “Agora chama atenção essa correria porque, em tese, deveria estar mais presente no parque Conta Dinheiro. Mas estamos presentes também ali”. Segundo o parlamentar não se trata de pré-campanha, mas de uma espécie de operação presença. “Onde há eventos e somos convidados, estamos misturados ajudando, articulando. Isso tem sido nosso papel”.


E SOBRE O PROJETO DE 2018?

“Meu nome está pré-colocado para uma candidatura a Deputado Federal não por um projeto ou inspiração pessoal. Quem entra na política não tem direito de decidir o que deseja fazer. Precisa se submeter ao projeto do partido que integra e das cidades que representa. Lá na frente se a decisão for para disputar uma vaga a Federal estamos aí para isso. Se a ideia for outra, também nos submetemos”.

Deputado Gabriel com Nilson Berlanda e o comando da Associação Comercial de Curitibanos

Aqui na agenda de domingo na celebração da colheita em Campo Belo do Sul

0 564

Escrevemos em O Momento desta quinta-feira, 08:

Carmen Zanotto vai à reeleição para Federal ou disputa a Estadual? Gabriel Ribeiro tentará vaga a Federal ou buscará a reeleição para Estadual? Talvez nem essas lideranças tenham respostas a essas indagações. Com a decisão do deputado Coruja de não concorrer à reeleição, o foco maior é em Carmen e Gabriel. Porque depois irão aparecer vários nomes. Alguns com potencial e outros se constituindo verdadeiras piadas em forma de candidatura.

Se Carmen Zanotto segue aquele seu estilo quase de freira falando quase nada, Gabriel Ribeiro tem claro o rumo. Em nome do projeto do PSD, ele está convocado para tentar vaga a Federal. Nada definitivo, mas bem ‘encaminhativo’. O PSD tem pensado inclusive num nome para a vaga a Estadual, com o eventual deslocamento de Gabriel a Federal. É o prefeito Tio Ligas de Otacílio Costa. Liderança jovem e leve, ele tem sido cortejado para encarar o projeto.

Tio Ligas até vê com bons olhos a ideia. Mas repete discurso de que ‘não pode ser candidato dele mesmo’. Segundo o prefeito de Otacílio Costa, se for para servir ao PSD, pode até considerar a hipótese de candidatura. Embora saiba que para isso teria que renunciar a um mandato de 33 meses para o vice Pindaco. Como para ser mais que mero prefeito serrano carece sacrifícios, Tio Ligas se coloca como pré-escalado. Se vai dar liga, o tempo e as engenharias da política regional dirão!


CONDICIONANTES

Projeto de Tio Ligas a Assembleia Legislativa estaria ancorado em várias condicionantes. A primeira delas é claro, seria a confirmação de Gabriel Ribeiro a Federal. Mas tem outras. O prefeito otaciliense, por exemplo, não dá um passo no projeto se não tiver o apoio de Ceron. Um pré-planejamento aponta que os votos de Lages e Otacílio Costa representariam 75% daqueles que Tio Ligas buscaria para se eleger. E sem Ceron não se dará nenhum passo. Bem querido esse Gringo!

Tio Ligas, Ceron e Gabriel Ribeiro, o trio do PSD na prosa com tudo certo e nada definido… ainda!

0 1124

Com um espaço enorme no eleitorado entre Lages e a Grande Florianópolis, o vereador Thiago de Oliveira (PMDB) não vai perder o bonde da história para participar da disputa eleitoral de 2018. Pinho Moreira quer Juarez Mattos disputando na proporcional pelo PMDB na Serra. Elizeu Mattos se não for condenado (ele pode ser inocentado no processo da Operação Águas Limpas) até as eleições deve disputar o pleito. Assim, com esse congestionamento no reduto pelego, Thiago de Oliveira não ficará aguardando acomodado. O vereador lageano já tem inclusive participado de algumas reuniões do PSB. Esse será seu possível novo partido, no qual pretende disputar a eleição a Estadual em 2018.

Thiago de Oliveira, o vereador de Lages (diamarelo) na prosa com lideranças do PSB no Estado no planejamento das eleições de 2018. Deputado Salvaro, o Executivo Cau do PSB e outras lideranças nessa conversa em Floripa


PASSOS DE THIAGUINHO

É dada como certa a criação de uma janela partidária antes da eleição do ano que vem. Num primeiro momento não abrangeria vereadores, pode ocorrer também entre esses para mudar de partido sem incorrer em infidelidade partidária. Thiago de Oliveira aguarda apenas essa janela para se desfiliar do PMDB e ingressar no PSB e, com isso, disputar o pleito a Deputado Estadual.



BATALHA TAMBÉM NAMORA PSB

E não é apenas o vereador Thiago de Oliveira que tem pretensões no PSB. Vereador Maurício Batalha, num passado recente, estreitou diálogos com lideranças dessa sigla. Seu desligamento do PPS para ingressar no novo partido não está fora de cogitação.

Vereador Maurício Batalha de olho na janelinha partidária para, de repente, migrar também para o PSB

0 463

No pleito de 2014 o peemedebista Juarez Mattos construiu projeto para disputar uma vaga de deputado estadual. Fazia as contas e com os votos de municípios onde o PMDB atuava, via a eleição como bem viável. Em cima do laço acabou tendo que se recolher e apoiar Coruja para a vaga. O médico não fez votação expressiva, mas assumiu a função de deputado, levando Juarez Mattos como chefe de gabinete.


E…

Para a eleição do ano que vem a ideia é a mesma. Sem Coruja na disputa (o deputado já disse que não busca a reeleição), Juarez argumenta que cumpre um chamado de Pinho Moreira. Vai disputar a eleição. Falta definir se a Estadual ou Federal.

Na primeira reunião do PMDB de Anita Garibaldi sob o comando do presidente Maneco, Juarez Mattos recebeu apoio incondicional para ir para o trecho

0 640

Deputado Patrício Destro boleou a perna até o município de Vargem. A exemplo do que fez recentemente o deputado Salvaro, Destro esteve no município para conversar com lideranças a respeito do fortalecimento do PSB. Lideranças de São José do Cerrito, Campos Novos, Celso Ramos, Abdon Batista e Vargem se integraram na prosa, sob a articulação do vereador Roberto Mendes.

Lideranças de cinco municípios da Serra Catarinense Meio Oeste no encontro regional do PSB realizado em Vargem

Vereador Roberto Mendes (esquerda) de Vargem foi o anfitrião do encontro com a presença do deputado Patrício Destro cujo foco é fortalecer o PSB para 2018



POR FALAR NO DEPUTADO

PATRÍCIO DESTRO…

É dele a autoria de um projeto bastante interessante que deu entrada na Alesc para combater o comércio criminosos de peças de veículos roubados ou adulterados. O projeto prevê a cassação da inscrição estadual de estabelecimentos comerciais que adquirirem, distribuírem, estocarem ou venderem veículos ou peças que tenham sido furtados ou roubados ou que contenham adulteração nas características originais.


OU SEJA

A lei se aplicaria desde revendas até autopeças e ferro velho. É que na maioria dos casos, carros, motos e caminhões acabam indo para desmanches e em seguida as peças são comercializadas com valores bem abaixo dos praticados pelo mercado. A proibição de retomar o serviço, caso a lei seja aprovada, será de cinco anos.


17.000 FURTOS E

ROUBOS EM 2016

Um dado que justifica a boa iniciativa do projeto. Durante o ano passado foram registrados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública 17.960 furtos/roubos de veículos no Estado. Já em 2017, no primeiro bimestre, o estado já tem contabilizado mais de 2.881 furtos/roubos de veículos.

Deputado Destro e uma proposta interessante que ataca o receptador em caso de furto e roubo de veículos em SC


Com informações de Tatiana Sabatke