Timber by EMSIEN-3 LTD
Blog Page 3

2 3295

Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Lages deverá mastigar os dados e compartilhar informações que interpretem os projetos de lei aprovados bem devereda na Câmara esta semana. Ao todo estão sendo criados 429 cargos. Existe explicação e lógica para a providência, mas há burburinhos com várias versões. Algumas bem criativas, por sinal, sugerindo que a prefa está igual coração de mãe.


O FATO É QUE…

Esses cargos, pela interpretação prévia, são para readequar às vagas já existentes na prefeitura e abrigar aqueles aprovados no concurso e outros que chegarão através de processo seletivo – a única forma de contratação sem concurso, pelo caráter temporário das atividades a serem desempenhadas.


SUBSTITUIÇÃO AOS CPPS?

Num primeiro momento, analisando o rol de 429 cargos, por exemplo, há criação de 100 cargos de auxiliar de serviços gerais e outros 70 de cozinheiro. Como a demanda desses profissionais é nas escolas, o município pode estar suprindo a falta daqueles que eram contratados pelas CPPs e que o marco regulatório barrou.


HOUVE EXTINÇÃO DE CARGOS

Porque outros foram criados e detalhados para a Saúde da Família, os projetos aprovados na Câmara extinguiram 47 cargos.

Projetos sobre criação e extinção de cargos foram aprovados nesta semana em Lages

1 981

Atualmente a cidade de Lages possui três zonas eleitorais (21.ª – 93.ª – 104.ª). Essas três estruturas são responsáveis por cuidar dos processos eleitorais a cada dois anos e todo o trâmite que envolve cadastramento de novos eleitores, baixas e novos títulos eleitorais e assim por diante. Para se ter ideia, são quase 170.000 eleitores atendidos pelos profissionais que atuam nessas estruturas. E há casos da retaguarda trabalhar em finais de semana e feriados para dar conta da demanda de trabalho quando o fervo das campanhas eleitorais aperta. E tudo tem se desenvolvido tranquilo. Porém, essa situação corre o risco de ser afetada.


DESMONTE DAS ZONAS ELEITORAIS

Uma portaria publicada de forma unilateral pelo Presidente do TSE, Ministro Gilmar Mendes, dentro outras previsões, possui conteúdo que irá acarretar na extinção de duas das três zonas eleitorais de Lages. É uma medida que não tem absolutamente nada de economicidade, repercutindo apenas em transtornos aos cidadãos (eleitorais) e instabilidade nos processos eleitorais (eleições).


GRANDE PREJUÍZO AO

PROCESSO ELEITORAL

Embora Magistrados, Promotores de Justiça Eleitoral e os próprios servidores da Justiça Eleitoral não se manifestem sobre o assunto, até por uma questão de cautela, os próprios advogados são conscientes e têm ponderado do grande prejuízo que isso representará para os procedimentos em Lages e nos outros sete municípios da Serra abrangidos pela atuação das três zonas eleitorais aqui existentes.


SILÊNCIO DA OAB

Um dos colegas advogados que relatou o cenário negativo dessa mudança estranha, inclusive, o silêncio da OAB de Lages diante da portaria portaria n. 372/2017 do TSE que pode causar esse desmonte. “Talvez a OAB não saiba ou não se deu conta do que está acontecendo”.


ALÔ CARMEN ZANOTTO

O primeiro nome que vem à cabeça dos profissionais de Direito para tentar intervir na questão é da deputada Carmen Zanotto (PPS). Com uma agente bastante presente no DF, a parlamentar poderia se inteirar sobre o teor da portaria 372/17 e a repercussão disso em Lages e nos municípios próximos. Da mesma forma, outras lideranças políticas, que deveriam ter interesse no processo eleitoral claro, adequado e sem transtornos ao cidadão, deveriam estar atentas. Para se ter ideia, o retrocesso é tanto que, em termos de estrutura da Justiça Eleitoral, Lages pode estar voltando ao início dos anos 80.

Logo agora que se encaminha cadastramento de eleitores para voto biométrico, com uma demanda de trabalho significativo, sem contar todo o trabalho in loco nas eleições, aparece essa possibilidade de, em 60 dias, ficarmos com apenas uma zona eleitoral em Lages


P. S.

O teor da portaria do TSE está aqui!

0 372

Quem paga boletos ou faz apostas em loterias como Lotofácil, Mega Sena, Quina e etc nas lotéricas, não faz ideia do que enfrentam os empresários revendedores. Os preços praticados pela Caixa Econômica como retribuição pelos serviços prestados estão muito baixos e é necessário cumprir uma série de requisitos para continuar como revendedor lotérico. Por isso que a terça-feira, 23, foi dia de marcha à Brasília com representantes lotéricos de todo o Brasil. Eles querem o reajuste nas tarifas.


CLAMOR DOS LOTÉRICOS

Deputada federal Carmen Zanotto defendeu a urgência na votação do projeto que prevê tal reajuste. Para a parlamentar, a solução definitiva dos problemas financeiros enfrentados pela rede lotérica passa pela aprovação da proposta, que conta com o apoio de parlamentares de todos os partidos. “Esta Casa precisa atender, com urgência, o clamor dos lotéricos. Este projeto é uma pauta positiva para o Brasil, principalmente neste momento de crise econômica. É hora de votar”, ressaltou a deputada, na audiência pública que debateu a situação dos permissionários lotéricos de todo o país.

Deputada Carmen no debate sobre a situação dos lotéricos do Brasil no evento desta terça-feira em Brasília


TARIFAS NÃO AUMENTAM

DESDE O ANO DE 2007

O projeto contempla uma correção imediata de todas as tarifas, bem como um modelo que permitirá uma atualização de valores sempre que os movimentados pela rede lotérica sofram um incremento. As tarifas não são revistas há mais de 10 anos pela Caixa Econômica. Os representantes da rede lotérica reivindicam que o transporte de bens e valores passe à responsabilidade da Caixa. Na avaliação de Carmen Zanotto, a Caixa precisa reconhecer a importância das loterias para a população.


PORTANTO

Fica a torcida pela aprovação do projeto para que empresários tenham compensação pelo que investem para manter funcionando estruturas como A Cutia, ali na Camões do Coral onde frequentamos toda semana, a Lotérica Cruzeiro da esquina do Calçadão que é outra referência na paróquia, assim como as demais existentes na cidade.



EMPREENDIMENTOS DA

TERRA ENGENHARIA SE

DESTACAM EM LAGES

Terra Engenharia tem destacado a sua atuação no mercado de imóveis de Lages com empreendimentos de elevado padrão de qualidade.

Residencial Terra – no bairro Frei Rogério – assim bem pertinho da Avenida Duque de Caxias e do Centro de Lages é exemplo de empreendimento com a marca Terra Engenharia

Visite o portal e se informe sobre as opções e financiamento, através da Caixa. Ligue para a Terra Engenharia ou no (49) 99162 6278

1 1869

Mais de 4 mil pessoas visualizaram em rede social a postagem relacionada ao problema de atendimento nos postos de saúde de Lages. Nas mensagens, internautas apontam que a situação é deveras caótica. O assunto ganha repercussão à medida que as pessoas que buscaram atendimento sem sucesso, engrossam a lista de reclamações. O clamor por melhorias não se limita a postos de saúde. Provavelmente decorrente de uma mudança no formato de atendimento implantado ano passado, o hospital Seara do Bem também tem motivado muitas reclamações.

Deficiências no atendimento na área da saúde em Lages tem causado reclamações. Do Pronto Atendimento aos Postos de Saúde o clamor é por mais profissionais atendendo com respostas mais imediatas aos problemas que chegam no dia a dia


ESPERA DE CINCO HORAS

A maior reclamação relacionada ao Hospital Seara do Bem é a longa espera por atendimento. Há uma avaliação e enquadramento em critérios de risco, priorizando casos mais urgentes. Em decorrência disso, há relatos de mães que ficam até 5 horas na recepção do hospital Seara do Bem à espera de atendimento. Cuide-se que não se trata de uma crítica àquilo que essa instituição representa em termos de atendimento em Lages ao longo da história, mas a um reclame geral pelo modelo de gestão que está causando demora, reclamações e chateação.


REPERCUSSÃO NA

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Deputado Fernando Coruja falou ontem (terça-feira) no plenário da Assembleia, sobre o episódio relatado aqui no blog, ocorrido num dos postos de Saúde de Lages que evidenciou uma situação preocupante e que merece a atenção das autoridades da área da saúde. Uma ameaça de levar o caso ao conhecimento da Rádio Clube, fez com que o atendimento a uma mãe com os dois filhos apresentando quadro de diarreia, fosse efetuado de imediato. Minutos antes, na Unidade Básica de Saúde, a mãe havia sido informada que não havia mais fichas para consulta e que deveria se deslocar ao Pronto Atendimento ou voltar para casa e tentar conseguir ficha no dia seguinte. Após a ameaça, foi levada com os filhos, de carro, para o Hospital Infantil Seara do Bem.

Coruja fez referência ao problema relatado aqui na página e contado por uma mãe no programa Clube Interativa (Clube FM) e apontou que as autoridades precisam tomar providências


PORTANTO

A única mudança que se visualiza na área de saúde em Lages está sendo a repercussão dos problemas. Que agora vão além das fronteiras da cidade. Que venham soluções e não desculpas!

1 449

Estrutura da Secretaria de Assistência Social de Lages conta com um banco de alimentos, responsável por ações que acontecem semanalmente e que atuam na área de segurança alimentar. Isso nada mais é do que distribuir, gratuitamente, alimentos para famílias carentes do Município. João Volni Madruga, coordenador do banco de alimentos em Lages, aponta que neste ano já foram distribuídas mais de 80 toneladas de alimentos, dentre eles, feijão, batata, batata-doce, moranga, cebola, beterraba, cenoura, alface, couve, brócolis, tempero-verde, pinhão, pimentão, caqui, kiwi, laranja, milho verde e muitos outros produtos.


APOIO DA CONAB

Aquilo distribuído pelo banco de alimentos em Lages advêm de parceria com a regional da CONAB/SC que tem como representante Rui Alvacir Netto. O banco recebe os alimentos que são indicados pela CONAB/SC e são retirados nos municípios de Caçador, Anita Garibaldi, Curitibanos e Ponte Alta. Todas as semanas, ao menos uma vez por semana, é deslocado um caminhão da secretaria de assistência social para estes municípios, que traz por viagem entre seis e oito toneladas de alimentos.


DESTINO DOS ALIMENTOS

O banco de alimentos faz a distribuição dos alimentos para as ONG´s do município, e para asilos, hospitais, sopões, cozinhas comunitárias, e associações de moradores, bem como faz distribuição diretamente à população carente.


REUNIÃO EM CERRO NEGRO,

ANITA GARIBALDI E ABDON

Foram realizadas nesta terça-feira, 23, em Cerro Negro, Anita Garibaldi e Abdon Batista reuniões da CONAB/SC para execução do programa PAA (programa de aquisição de alimentos). Nestas reuniões a CONAB, através do Rui Alvacir Netto, realizou as tratativas diretamente com os agricultores familiares, reassentados de reforma agrária, pequenos produtores rurais e Cooperativas, para a aquisição dos produtos oriundos da agricultura familiar. O governo federal é quem paga os valores aos agricultores, que por sua vez entregam os produtos para serem distribuídos pelos bancos de alimentos no Estado de SC, a exemplo do existente em Lages.

Na reunião em Anita Garibaldi, nesta terça João Volni Madruga do Banco de Alimentos de Lages, Schayane, Secretária da Cooper Anita e Rui Alvacir Netto da CONAB/SC.


PALAVRAS DE JOÃO VOLNI

DO BANCO DE ALIMENTOS

João Volni Madruga num gesto de parceria faz um relato e agradecimento:

“O apoio da CONAB/SC tem sido fundamental para o desenvolvimento deste trabalho, e o apoio que o Rui Alvacir tem nos dedicado tem sido muito importante na interlocução deste projeto do governo federal para que este programa se desenvolva em Lages e possamos combater um dos problemas sociais que mais aflige nossa cidade. A recessão econômica, a falta de empregos e outros problemas locais atingem diretamente as pessoas com menor poder aquisitivo e, em nome do prefeito Ceron e toda a equipe da Prefeitura de Lages, fazemos o agradecimento a todos que tem proporcionado a execução deste projeto, do pequeno agricultor que se mantém no campo produzindo, à CONAB que organiza toda a logística dos trabalhos”.


IMPORTANTE

O relato acima dá uma noção ampla e prática de que existe esse trabalho formiguinha e constante para ajudar quem precisa. Tudo assim bem discreto, com ajuda de parceiros importantes, como o Rui Alvacir, por exemplo. Porque, o que a mão direita dá, a esquerda não precisa saber. Mas não custa a gente dar publicidade a isso até para que a sociedade veja que há uma mobilização constante nessa área para ajudar quem precisa.

0 1045

Aprovado nesta terça-feira, 23, na Assembleia Legislativa, projeto de lei que institui o fundo garantidor das parcerias público-privadas em SC. Objetivo é dar garantia de pagamento de obrigações pecuniárias assumidas pelo poder público em caso de parcerias público-privadas. O fundo das PPPs é composto por dinheiro e várias outras fontes como títulos da dívida pública federal, ações preferenciais ou ordinárias, direitos econômicos e creditórios, bens imóveis dominicais, entre outros.


INDIGNAÇÃO DE CORUJA

Deputado Fernando Coruja votou contra a criação desse Fundo por considerar que “o projeto, de forma indireta, privatiza empresas estatais como Casan, Celesc e SCGás, já que 49%  das ações dessas empresas compõem o fundo que o governo vai oferecer como garantia”. Ele pondera:

“É necessário colocar a lupa sobre projetos como este”, indignou-se Coruja dizendo que não é contra esse tipo de iniciativa que vem sendo adotada em várias partes do mundo. “Mas aqui estamos diante de um Fundo Garantidor muito benevolente, é muito dinheiro para garantir um capitalismo sem risco”.


AINDA

Coruja apresentou quatro requerimentos, que foram rejeitados, com o objetivo de alterar o projeto tornando-o adequado ao momento em que vivemos. “O Brasil vive um terremoto, é preciso mudar o Brasil, não só as pessoas, é importante mudar as práticas e uma série de questões para impedir que os recursos sejam deslocados do público para o privado”.

Deputado votou contra a criação do referido fundo que foi aprovado na Alesc

7 545

Vereador Bruno Hartmann (PSDB) insiste num assunto que acabou sendo sufocado quando Marcius Machado tentou levar adiante. Trata-se de uma lei proibitiva em relação à circulação de veículos com tração animal (carroças). Os operadores precisam de apoio social, amparo de programas assistenciais, mas essa matéria é necessária tanto em relação à proteção de animais quanto a questão da mobilidade urbana.

Este é o teor do projeto de lei pensado desde março e que agora foi encaminhado para ter sequência no legislativo. Pelo texto, a proibição é válida apenas para o perímetro urbano. No meio rural, até como auxiliar de trabalho na lavoura, não há proibição.

Vereador Bruno Hartmann (PSDB) e uma iniciativa para combater maus tratos a animais que, desta vez, deverá ter sequência no legislativo

0 565

Antes de fechar os 150 dias da nova administração, já foram concluídos trabalhos de manutenção e melhoramentos em mais de 400 quilômetros de estradas do interior do município de Lages. A informação é da Secretaria de Agricultura tocada por Osvaldo Uncini. “Foram feitos serviços de patrolamento, nivelamento, cascalhamento, desobstrução de bueiros e abertura de pontos de saída de água entre outras obras de melhorias nas estradas vicinais”, aponta.


PONTES

Segundo o relatório, foram reconstruídas seis pontes de madeiras e recuperadas estruturas de outras nove, entre as quais as pontes de Penteados, Bodegão, Taimbé, Santa Terezinha do Salto e Arroeira. A ponte do Passo dos Fernandes, com 145 metros de extensão, na divisa entre os municípios de Lages e São José do Cerrito, também será recuperada com a substituição de pranchas e vigas, esta em parceria com a prefeitura do Cerrito.

Uncini e Arno Marian, na fronteira de Lages com o Cerrito, naquela ponte que volta e meia a água leva no Passo dos Fernandes


AÇÃO PARA A SAFRA

Secretário Uncini disse que nesta primeira fase de trabalhos, o objetivo foram melhoramentos das estradas para garantir o transporte da safra agrícola e da pecuária para comercialização de gado, ovinos e equinos. “Em uma segunda fase, as equipes de estrutura das estradas irão executar serviços de melhorias e obras nos acessos às propriedades rurais (porteira adentro)”, garante. Lei municipal permite a realização desse tipo de melhorias, com 90% dos custos dos serviços pela prefeitura e  o restante por conta dos proprietários rurais.

0 218

Câmara de Vereadores prestou reverências aos 100 anos de fundação do Asilo Vicentino de Lages. O atual presidente da instituição, George de Bona, recebeu uma placa comemorativa. O vereador Luiz Marin (PP), proponente da solenidade, recebeu um diploma especial de mérito em nome de todos os ex-presidentes. Marin esteve à frente do Asilo Vicentino por nove anos.

Marin que presidiu o asilo em mais de uma oportunidade e George de Bona atual presidente no ato que reverencia os 100 anos do Asilo Vicentino


A HISTÓRIA DO ASILO

O asilo foi fundado em 1917 e tem como mantenedora a Conferência Vicentina de Lages. São atendidos 81 idosos entre 60 e 107 anos, divididos em ala feminina e masculina.  A instituição filantrópica não tem fins lucrativos e se mantém com doações, aposentadorias, convênios com o poder público e iniciativas como a festa anual. A diretoria é composta por voluntários da sociedade lageana.


PROFISSIONAIS

A instituição também conta com profissionais como médico, psicóloga, nutricionista, fisioterapeuta, enfermeira, técnico em enfermagem, educador físico, assistente social, contador, administrador, assistente administrativo, cozinheiras, cuidadores, auxiliar de serviços gerais, além de estagiários e de oferecer serviços odontológicos em um consultório externo.


QUEM JÁ PRESIDIU O

ASILO VICENTINO DE LAGES

1917 a 1936 – Oscar Alves de Brito

1937 a 1938 – Custódio Campos

1939 a 1941 – Caetano Vieira da Costa

1943 a 1947 – Nelson de Castro Brascher

1948 a 1950 – Túlio Fiuza de Carvalho

1951 a 1960 – Joaquim Melim Filho

1961 a 1987 – Túlio Fiuza de Carvalho

1987 a 1988 – Antonio Inácio Correa

1988 a 1990 – Oswaldo Carvalho

1990 a 1993 – Mario Varela

1993 a 1996 – Paulo Edson Branco de Oliveira

1996 a 1999 – Adilson Pereira de Oliveira

1999 a 2002 – Luiz Marin

2002 a 2004 – Paulo Edson Branco de Oliveira

2004 a 2008 – Luiz Marin

2008 a 2012 – Gentil Lorenzetti Costa

2012 a 2014 – Paulo Edson Branco de Oliveira

2014 a 2016 – Luiz Marin

2016 a 2018 – George De Bona

Paulo Edson Branco de Oliveira e Luiz Marin (ao microfone) presidiram o Asilo Vicentino em três mandatos diferentes



EXEMPLO BACANA DOS

ACADÊMICOS DA UNIFACVEST

Curso de Enfermagem do Centro Universitário Unifacvest realiza várias ações junto à comunidade. Os acadêmicos ajudam a promover o bem-estar social em entidades filantrópicas, auxiliando diversos grupos. A agenda de atividades inclui um trabalho no Asilo Lar Menino Deus.

Os acadêmicos ajudam os idosos a cuidar do corpo e da mente, incentivando a qualidade de vida e desenvolvendo a autoestima. A atividade faz parte do programa de estágio Unifacvest.

0 377

Com o passamento do Cavaleiro da Rainha Roger Moore, o empresário Roberto Amaral já se apresentou. Sir Amaral está em Londres desde esta segunda-feira, 22.

Nada de tratar de questões com a monarquia inglesa ou dos encaminhamentos tucanos para o pleito do ano que vem no reinado brasileiro, o presidente do Instituto Órion Parque e de um dos principais grupos de comunicação de Santa Catarina – aliás o maior genuinamente catarinense – atravessou o Atlântico em busca de conhecimento. Participa na Inglaterra de congresso sobre a chamada Internet das Coisas. E devereda já foi se enturmando…

Roberto Amaral, que conhece bastante de tecnologia, ficou impressionado com inovações como essa que se apresenta no registro acima. Um robot que faz quase tudo e ainda sintoniza a Clube FM. Amaral é esse da esquerda!