Edson Varela - Página 4 de 281 - Sobre Lages e Serra de SC

Facvest
FP30
Início Site Página 4

Despacho e aceno para solução sobre CPP

0

Juíza do Trabalho, Patricia Pereira de Santanna, emitiu despacho favorável a presidentes de CPP – Conselho de Pais e Professores, através dos quais a área de educação contratava pessoal para prestar serviços. Com o fim das relações, muitos entraram na Justiça. A Magistrada não vê responsabilidade dos presidentes pelos supostos débitos.

NÃO HÁ DESPACHO

A Juíza reforçou aquilo já apontado pelo procurador do município, Agnelo Miranda, de que ‘a questão quanto à responsabilização do Município de Lages nos processos que versam sobre direitos de empregados de CPP não está ainda definida’. Patrícia Santanna esclarece que não houve despacho direcionando a execução das ações cujos réus são os CPP para seus presidentes ou responsáveis.

APONTA A MAGISTRADA QUE…

“Este Juízo registra, desde já, que entende que os presidentes de CPPs não são responsáveis pelos débitos destes com seus empregados, referentes às ações que tramitam no Fórum Trabalhista de Lages, posto que, conforme consta da sentença do processo número 11-57.2017.5.12.0007, a gestão do numerário que as CPPs recebiam não era feita pelos seus presidentes, não se podendo, portanto, a princípio, cogitar de má gestão, única hipótese que faria com que fossem responsáveis”.

Segundo o Procurador Agnelo, esse despacho é muito importante. “Sempre procuramos deixar bem claro que, até chegar ao presidente do CPP, é um longo caminho”.

PRAZO ATÉ AGOSTO

A Juíza do Trabalho conclui o despacho determinando que o Município, até 31 de agosto, verifique a possibilidade de fazer o pagamento das execuções das ações trabalhistas, bem como celebrar acordos, utilizando o mesmo procedimento adotado pelo Estado nas ações que figuram como demandadas as APPs. “O Município vai estudar a possibilidade sugerida pela juíza dentro do prazo determinado”, diz o procurador Agnelo Miranda.

O QUE DIZ CERON

O prefeito Ceron já havia declarado que se houver uma forma de pagar, desde que dentro de uma segurança jurídica que não lhe cause processo por crime de responsabilidade futuro, o município teria interesse na resolução dessa questão.

Compartilhar a matéria

Caminhos da Neve: Exército pode parar obra

0

Alerta e preocupação em São Joaquim e na Serra Catarinense. A obra que representa avanço em termos de turismo na ligação com a Serra Gaúcha pode sofrer uma descontinuidade em menos de dois meses. Motivo seria a falta de repasse de recursos pelo Governo do Estado. Trata-se do asfaltamento de um pedaço da SC-114, a rodovia Caminhos da Neve, entre São Joaquim e a divisa com o RS.

O QUE ESTÁ ACONTECENDO?

Informações oriundas de São Joaquim indicam que o 1.º Batalhão Ferroviário fez plano de trabalho para outros 5,5 km da obra, que está sendo executado. Isso permitiria trabalho até outubro. Entretanto, não há regularidade no repasse para custear a execução desse trecho, ligando o alerta do risco de parar tudo. E pior que a paralisação seria a desmobilização (saída de máquinas e homens do trecho).

BATALHÃO NÃO É EMPREITEIRA

Para entendermos, esse trabalho que o Exército faz, executando obras de engenharia, ocorre a partir do aporte prévio do ente contratante (no caso o Estado). Ao contrário de uma empreiteira que pode bancar trecho de uma obra enquanto não recebe, o 1.º Batalhão Ferroviário não possui recursos próprios para tal custeio. Significa que se a verba não vem, a obra não é executada. Daí a preocupação com o eventual não repasse ou atraso do Estado.

EM QUE PÉ ESTÁ A OBRA

A rodovia Caminhos da Neve segue por um trecho de difícil execução. Para se ter ideia, caso se conclua esses 5,5 km do Plano de Trabalho elaborado pelo 1.º Batalhão Ferroviário, faltariam pouco mais de 10 km para chegar à divisa com RS (Rio Pelotas). Mas a hipótese de uma empresa – e não o Batalhão – executar esse restante, é pouco provável, por causa da sinuosidade, pedra, frio e outros atrapalhos que dificultariam o trabalho. Ou seja, o Governo do Estado precisa manter essa relação com o Exército, sob pena da estrada ficar incompleta.

O QUE DIZ O BATALHÃO?

Dentro daquela linha de disciplina militar, o 1.º Batalhão Ferroviário não se manifesta sobre esse risco de paralisação das obras por falta de recursos. Até para não confrontar e nem pressionar o Estado para regularizar os repasses – porque o Exército não precisa recorrer a isso. Porém, nas internas, a informação é de que, sem repasse regular, vai parar tudo. E isso seria um prejuízo enorme para a obra e para a região.

Caminhos da Neve: O Exército em ação numa estrada difícil de executar, sob o risco da obra parar em menos de dois meses por falta de repasse do Governo do Estado ao convênio com o 1.º Batalhão Ferroviário

Compartilhar a matéria

Boletim Médico: Pavan segue maleixo

0

Hospital da Unimed de Balneário Camboriú expediu nota no final da tarde da quarta-feira, 16. Apontou que o deputado e ex-governador Leonel Pavan segue sedado. Segundo o conteúdo da nota, ele segue internado na UTI em estado grave, sob monitoramento neurológico. Com a sedação, Pavan respira com a ajuda de aparelhos.

OTIMISMO

Médico Humberto Jorge, que também é diretor técnico do hospital, diz que se espera que até hoje o quadro melhore. E o fato de não ter ocorrido agravamento da situação é um indício positivo.

 

Pavan nesse registro de arquivo com Ceron em outubro do ano passado quando secretário de Turismo de SC. Ele sofreu um AVC quando fazia pilates

NA ALESC

Mesmo superando esse estado crítico – e a torcida é para que supere – Pavan que obteve 43.470 na eleição de 2014 poderá ter que se ausentar dos trabalhos na Alesc. Nesse caso, será substituído enquanto perdurar a ausência pelo primeiro suplente da coligação PSDB/PEN. Nesse caso quem assumiria seria Dóia Guglielmi.

Compartilhar a matéria

PM: Ação no interior e prisão em Campo Belo

0

Aproveitando a realização de uma sessão legislativa na localidade de Rancho de Tábuas – 50 km de Lages – Tenente Eduardo Nunes levou informações sobre o programa Rede Rural de Segurança, realizado pelo 6º Batalhão de Polícia Militar em parceria com Polícia Militar Ambiental. Foco é mobilizar moradores de áreas rurais na Serra Catarinense no combate ao crime.

PROPÓSITO

Ideia é fazer com que as pessoas, a exemplo do que já ocorre na área urbana com a Rede de Vizinhos, atuem em conjunto com a PM também no interior para ações de prevenção e repressão ao crime, como por exemplo, o de furto de gado, considerado um dos maiores problemas enfrentados pelos moradores do interior.

 Tenente Eduardo Nunes (direita) reforçou aos participantes que é preciso ter muita atenção e cuidado e tomar algumas atitudes pode prevenir crimes no interior:

“A gente sempre orienta as pessoas a não fornecerem informações e nem abrirem a porta de casa para pessoas estranhas, manter as propriedades bem iluminadas e comunicar a PM sobre qualquer atitude suspeita nos arredores de casa”.

 

PM FAZ OPERAÇÃO

EM CAMPO BELO DO SUL

Com ajuda do PPT de Lages, policiais militares de Campo Belo do Sul fizeram uma ação nas primeiras horas da manhã da quarta-feira. Apuravam reclamações de que havia um homem que parava carros em via pública com um fuzil. Com mandado judicial na mão, os policiais foram à casa do suspeito onde levaram três pessoas para depoimento. Foram apreendidas armas e munições. Um dos presos acabou transferido para o presídio de Lages.

Não era fuzil, mas o armamento é de grosso calibre apreendido em Campo Belo na ação da PM do município e de Lages

Com informações da PM e de Rodrigo Antunes – Rádio Explosão FM

Compartilhar a matéria

Bauer: PSDB silencia sobre pedido ao STF

0

A nova chamuscada protagonizada pelo senador Bauer por causa do pedido de abertura de inquérito pela PGR – Procuradoria Geral da República ao STF por causa do suposto recebimento de R$ 11,5 milhões para a campanha a governador, deu uma recolhida nos tucanos.

SILÊNCIO

Não houve nota oficial (ainda) do presidente Marcos Vieira, em defesa de Bauer e agora se aguarda os desdobramentos do que isso pode representar. A hipótese do PSDB rever o nome de quem disputa o pleito ao Governo existe. Inclusive com a possibilidade de Napoleão Bernardes ser escalado para tanto.

– O que o Raimundo diz sobre a situação do Bauer, deputado Gabriel?

– Olha presidente Marcos Vieira, o Raimundo não tem dito muita coisa. Aponta apenas que no final vai dar tudo certo!

– Mas tudo certo para quem?

– Daí eu não sei. Mas acho que é para o PSD!

 

EM LAGES CONHEÇA O RESIDENCIAL MARIAH:

EMPREENDIMENTO DA CONSTRUTORA TERRA

Imagem simulada vista a partir da Avenida Papa João XXIII. Obra em andamento distante 500 metros do Centro. Maiores informações acesse aqui! Registro de Incorporação R-4/31.555 no 1.º Ofício de Registro de Imóveis de Lages

Compartilhar a matéria

Sobras: Luiz Marin opta por estilo Pilatos

0

Antecipamos com exclusividade na coluna do Jornal O Momento – circulando nesta quinta-feira, 17 – a informação de que o presidente Luiz Marin não vai reter dinheiro público (do repasse constitucional) para doar no final do ano para entidades e instituições. Eis o que diz trecho da coluna em O Momento:

Presidente Luiz Marin (PP) não vai abrir o saco de bondades no final do ano e distribuir dinheiro aqui e acolá da suposta sobra de recursos daquele valor repassado pela Prefeitura à Câmara. Sem entrar no mérito da forma como a presidente anterior (vereadora Aida) agiu em relação às sobras, Marin oficiou que a prefeitura só repasse aquilo que o legislativo realmente precisa para custeio. Significa que não se repassa valor a mais, além do montante utilizado para pagar salários e mantença da Câmara.

“Esse dinheiro é público, é do município e não é da nossa competência determinar que se execute esta ou aquela ação, nem se destine valor a quem quer que seja. Essa atribuição é do prefeito”.

E…

Vereador Luiz Marin tem razão. O uso da sobra para executar uma ou outra obra, também para fazer aquisições, constituiu-se uma concessão do prefeito a pedido da vereadora Aida, ano passado. É que o dinheiro que não é usado pela Câmara para custear despesas segue pertencendo à municipalidade para ações coletivas.

MAIS

O presidente Marin não detalha a razão dessa postura, mas consta que houve uma corrida ao legislativo de entidades e instituições querendo integrar a lista dos beneficiados pelas sobras. E para não descontentar ninguém, ele optou por deixar tais recursos nos cofres do Paço. Agiu como Pilatos e com isso evita incomodação!

Compartilhar a matéria

Começa entrega de casas na Ponte Grande

2

Aquele aspecto de obra abandonada em relação ao conjunto habitacional construído para abrigar família deslocadas do eixo da futura avenida Casemiro Colombo (Ponte Grande) vai ficando para trás. Pelo menos se visualiza isso com a ação prática da Prefeitura de Lages, em sintonia com a Caixa Econômica, que financia o projeto do Complexo.

SORTEIO

Depois da visita na terça-feira, 15, na noite da quarta foi a vez das famílias que irão morar nas casinhas participarem de sorteio que lhes dá a preferência na hora da escolha. O sorteio é apenas entre aquelas famílias que irão morar no local para que, na hora de escolher a unidade, possam apontar aquela de sua preferência.

São quase 200 famílias que têm direito às casas construídas entre o bairro da Várzea e a linha férrea. A maioria esteve no sorteio realizado no Teatro Marajoara

MÃE E FILHA

Nadir Alves dos Santos, de 66 anos, acompanhada pela filha Daniela Alves dos Santos, 31 anos, foram as primeiras famílias sorteadas pela Caixa Econômica Federal para escolherem suas residências no Complexo Ponte Grande. “De forma estratégica, levamos em consideração dois aspectos fundamentais para o nosso bem-estar: decidimos ser vizinhas para que possamos cuidar uma da outra e também optamos por casas distante dos trilhos por causa do barulho”, explica Daniela.

DEZ ANOS

Segundo o secretário de Assistência Social e Habitação, Samuel Ramos, é compreensível a ansiedade e cobrança pela obra devido ao tempo de construção. “Nem tudo aconteceu como esperávamos, mas a partir de agora, não haverá mais prorrogações. Todas as residências serão entregues nas melhores condições de moradia”.

E…

Por sua vez, Carla Taynara, gerente de engenharia da construtora responsável pelo empreendimento, explicou que as pessoas com deficiência e idosos tiveram prioridade de escolha. As famílias terão o contrato válido por dez anos. O próprio contrato é considerado como escritura do imóvel”.

ALAGA OU NÃO ALAGA?

Conversamos nesta semana com um engenheiro que atuou na obra. Apontou que é preciso se fazer obra de escoamento de água (inclusive tunel liner sob a linha férrea). Do contrário em caso de chuva muito intensa poderá haver alagamentos. Isso que o loteamento foi construído numa escala com pelo menos um metro acima da média histórica de água no local. Mas o aterramento e a dificuldade de escoamento de água podem contribuir para eventuais represamentos e inundações futuras.

Fotos do sorteio: Henrique Vivan

Compartilhar a matéria

BR-282: Dois mortos em colisão em Índios

1

PRF atendeu uma colisão frontal no Km 201 da BR-282 – na altura do terreno que era para a Sinotruk. Um veículo GM Corsa Classic com placas da cidade paranaense de São José dos Pinhais, ao tentar fazer uma ultrapassagem sobre um Ford Fiesta de Lages acabou acertando outro GM Corsa Classic com placas de Rio Rufino/SC. O motorista do veículo do Paraná, ainda não identificado, e Eder Oliveira Basquerotte, do Classic de Rio Rufino morreram no local. A caroneira do veículo paranaense foi conduzida para atendimento de emergência.

Equipe de socorristas (Bornhausen, Eder, Israel e Nassif) tiveram bastante trabalho para desencarcerar a vítima do veículo GM Classic de Rio Rufino. Após ter sido atingido, o veículo foi projetado a uma distância de uns 10 metros nas margens da rodovia…

Aqui o estado que ficou o Classic da cidade paranaense de São José dos Pinhais. Esse veículo vinha no sentido Lages e nessa altura, ao tentar fazer ultrapassagem, colidiu contra o carro de Rio Rufino.

ATUALIZANDO

Vinícius Araújo, 20 anos, era o condutor do Classic prata envolvido no acidente que também faleceu no local em decorrência da batida. O caroneiro que estava com ele, Nicolas Pereira, sofreu ferimentos leves. O velório e sepultamento da vítima do Classic de Rio Rufino está acontecendo nesta quinta-feira, naquele município. Éder Oliveira Basquerotte tinha 30 anos.

Compartilhar a matéria