Economia

Paço vai mesmo demitir no começo de 2019

Arrecadação tributária de Lages está estabilizada. Parou de cair, mas ainda não retoma o crescimento. A tendência é de subida. Nos primeiros nove meses de 2018, a arrecadação líquida foi na casa da média de R$ 30 milhões ao mês, um acumulado de R$ 270.861.533. A receita bruta, cuja soma é composta também por convênios e transferências para hospitais, laboratórios, médicos, Fundeb, gira na casa de R$ 45 milhões ao mês. “Num mês perdemos, no outro ganhamos”, aponta o secretário Antônio Arruda.

NÚMEROS DO ORÇAMENTO

Em 2017, o Município propôs um orçamento de R$ 550 milhões, e R$ 541 milhões foram executados – 98,41% do orçamento. Em 2018 os mesmos R$ 550 milhões de previsão e em 2019 serão R$ 606 milhões, uma pequena variação.

A caminho dos 252 anos a serem completados na semana que vem, Lages registra ‘arrecadação estacionada’ a exemplo de outros municípios por causa da crise

QUAL A DESPESA COM PESSOAL?

Os gastos com folha de pagamento do funcionalismo está na faixa de 44% de comprometimento. “Estamos dentro daquilo que preceituam os atos contábeis e do que o TCE exige que seja feito”, argumenta Arruda. Em 2017, no início da atual administração, houve enxugamento em relação a 2016

ARRUDA CONFIRMA DEMISSÕES

“A prefeitura tem pouca massa de manobra para cortes, a não ser na folha. Precisamos fazer um ajuste e infelizmente algumas pessoas serão desligadas ou não serão renovados os seus contratos. Isto é para início de 2019. A ideia é que sobrem recursos para a prefeitura poder fazer novos investimentos. Esta é a proposta do novo reforço”.

“Algumas pessoas serão desligadas”, confirma a retaguarda técnica do Paço, através do secretário Antônio Arruda

Fotos: Toninho Vieira

 

RESIDENCIAL MARIAH AINDA TEM

UNIDADES À VENDA EM LAGES

Informe-se e venha morar bem ou fazer um bom investimento ali pertinho do Centro de Lages!

Continue Reading
Economia

Bolsa Família: Pobreza de Lages em números

Considerando que Lages possui cerca de 50.000 unidades familiares, percentual próximo a 13% dessas famílias recebe o Bolsa Família. Os números do quantitativo de acesso ao benefício são da Secretaria de Assistência Social e foram apresentados na conversa do secretário Samuel Ramos com a diretoria da Acil. Ele apontou que 6.585 famílias recebem o Bolsa Família com valor médio de R$ 182,00 mensais.

Dados foram apresentados na Acil, dando visão à diretoria sobre a extensão do trabalho social e a realidade da pobreza na cidade

MAIS DE R$ 1 MILHÃO POR MÊS

Significa, portanto, que esse programa social federal coloca R$ 1.198.470,00 todos os meses no orçamento dessas famílias que vivem em situação de pobreza, mas preenchem os requisitos do programa. Haveria ainda 3.014 famílias em situação de pobreza, mas que não se adequam às regras para acesso ao benefício. Se somarmos as famílias beneficiadas e essas outras, temos 9.599 famílias em situação de pobreza na cidade. Ou seja, um em cada cinco núcleos familiares, convivem com a realidade.

LAGES É A QUE MAIS RECEBE

Ainda de acordo com Samuel Ramos, em âmbito de Santa Catarina, Lages é o município que mais recebe o Bolsa Família, considerando essa matemática de 6.585 beneficiados. Ele não citou, mas há casos de famílias que além do bolsa, recebem um benefício assistencial do Governo do Estado no valor de R$ 48,00 mensais.

Um extrato já mostrado aqui na página do benefício que atende famílias lageanas, constituindo-se esse valor inferior a R$ 500,00 como a única renda para muitos levarem principalmente alimentação para casa

Continue Reading
Economia

Câmara e Havan: Seu mandato, suas regras

Há um ruidinho por causa da postura dos vereadores Amarildo Farias (PT) e Jair Júnior (PSD) – informado por Milton Barão – que não aderiram ao efeito manada de adular o empresário Luciano Hang porque ele, visando ampliar a rede de lojas e faturar mais, está inaugurando a segunda Havan em Lages. Vereador Vone (MDB) propôs a homenagem ao careca que teve o não da dupla.

ENTRETANTO

Carece ficar claro que o empreendimento é bem vindo, mas não é um favor para Lages. Quem ‘ganha o presente’ não é a cidade, mas o dono da loja que vai ampliar o faturamento com a estrutura gigantesca às margens da BR-282. Não é à toa que o empresário pagou uma fortuna pelos 20.000 metros quadrados na área mais nobre daquele terreno da Cepar.

ASSIM

O espaço de 6.900 metros quadrados gera emprego, mas é uma consequência daquilo que a loja se propõe a faturar. Daí a postura dos vereadores é autônoma e eles têm seus motivos para tanto. Até porque, seus mandados, suas regras.

Ademais, seria até estranho se Amarildo Farias, posicionasse-se favorável à referida homenagem

Continue Reading
Economia

Olha o Gás! Lages terá o ramal em 2019

Na agenda positiva do Paço o prefeito Ceron recebeu o presidente da SCGás, Cosme Polese. Esse apresentou o projeto de instalação de ramal central de gasoduto que está sendo viabilizado para Lages. Polêse explicou que o projeto se encontra em execução, por empresa contratada. “Os investimentos da primeira fase de instalação de rede receptora e distribuidora de gás natural são de R$ 8 milhões, sendo que este projeto inicial deverá estar concluído em meados de 2019″.

MECÂNICA ‘DA COISA’

Inicialmente serão feitos “furos direcionais” e depois instalados os canos de aço carbono da rede de distribuição, a qual terá 12 km de extensão, abrangendo as avenidas Camões e Dom Pedro II, desde o Posto Petrolages até o entroncamento com a avenida Santa Catarina, passando por trecho da avenida Presidente Vargas e alcançando a avenida Edésio Caon, de onde seguirá pela BR-282, até proximidades do Garden Shopping.

DE CAMINHÃO ATÉ LAGES

Segundo Polêse, a partir deste primeiro ramal, conforme futura demanda, outros ramais podem ser instalados. Este gasoduto irá fornecer o gás natural para clientes determinados (unidades consumidoras). O presidente da SC Gás disse ainda que o gás natural virá através de rede física e também pelo “gasoduto virtual”, ou seja, transportado por caminhões.

Polese explica a dinâmica da rede do gás natural que abastecerá indústrias e, com isso, barateará custo de produção em Lages. Enquanto o gasoduto físico não vem do Alto Vale para Lages, a solução alternativa é essa do sistema rodoviário de transporte do gás para abastecer a rede lageana

Essa providência do ramal de gás em Lages integra um encaminhamento feito quando do 19.º Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio realizado ano passado com presença do então governador Colombo, Polese, Caramori e Ceron

Continue Reading
Economia

Atual gestão gasta bem menos com cartão

O advento dos cartões corporativos como instrumentos de controle de gasto se constitui numa inovação. Isso é inconteste. Tirando deslizes, polêmicas e debates, o sistema é moderno, eficiente e, acreditemos, econômico. É o fim da era onde agentes públicos ficavam correndo atrás de notas fiscais para justificar gastos, visto que com os cartões tudo está ali, eletronicamente documentado. Os próprios órgãos de controle e fiscalização recomendam o sistema.

NADA É AD AETERNUM

Prefeito Ceron pediu levantamento daquilo que vem se gastando com os cartões corporativos nos últimos quatro anos. Ideia foi conferir se a atual gestão pratica gastança, ou se há desembolso moderado. Até porque se houvesse gasto exagerado, nada impediria de rever o sistema. Conferiu, a partir dos dados, que há gasto comedido. Inclusive bem menos que aquilo que se gastava na administração anterior.

DADOS MOSTRAM ISSO

Levantamento indicam que o último ano da administração anterior (10 meses com Elizeu e 2 com Toni Duarte) se registrou os maiores gastos com cartões corporativos, ultrapassando a barreira dos R$ 400 mil. O valor de 2016 foi tão alto que o primeiro ano da atual gestão gastos o equivalente a 1/4 do valor, conforme os números:

2015………R$ 275.000,00

2016………R$ 401.000,00

2017………R$ 106.000,00

2018……….R$ 49.000,00*

*Até o dia 28.09.18

Compra direta com cartão corporativo chegou a R$ 401 mil em 2016. Valor bem superior aos R$ 106 mil do ano passado

OU SEJA

Há um autocontrole bem maior em termos de gastos com pagamento direto de despesas numa comparação entre os dois últimos anos da administração anterior e a atual. Se no passado não se acompanhava tais despesas, atualmente há um rigorismo, até por causa de gastos estranhos – e outros interpretados errados – que pipocaram recentemente nas redes sociais, a partir de manifestação do vereador Jair Júnior. Mas há evidência que o problema não é o sistema de cartão corporativo, mas o controle e o gasto consciente com aporte exatamente naqueles despesas pequenas e urgentes, razão da existência do mecanismo.

Continue Reading
Economia

Moisés escala 11 para a transição em SC

Nenhuma. Mas absolutamente nenhuma figura conhecida do cenário político catarinense integra o staff de Carlos Moisés da Silva, o governador eleito catarinense, que atuará na transição, coletando dados para colocar em prática aquilo pensado – e ainda em pensamento – para a futura gestão.

QUEM VEM LÁ?

Equipe é composta por onze pessoas, sob a coordenação do professor Luiz Felipe Ferreira da UFSC. Além dele, fazem parte do grupo Fabiano Ramalho, Marcelo Haendchen Dutra, Valdez Venâncio, André Pinheiro de Oliveira, Naiara Czarnobai Augusto, Jorge Eduardo Tasca, Wanderlei Pereira das Neves, Iara Costa Leite, Queila de Araújo Duarte e Luis Augusto Araujo.

ALÉM DOS ONZE

Carlos Moisés fala em ter optado por uma equipe técnica para conduzir o processo de transição. Aponta o ‘caráter de multidisciplinaridade nos escolhidos’. Além dos 11, existe uma equipe de apoio, que trabalha de forma voluntária, com o objetivo de facilitar o trabalho do futuro governador no recebimento de informações e na montagem de um raio-X da máquina pública.

“O importante é que a gente possa receber essas informações e trabalhar esses dados para ter um radiograma dentro da administração pública. É preciso mostrar o que a gente tem e as soluções para os problemas eventualmente detectados”.

DOIS PARA O COLEGIADO

NSCTV e nos veículos digitais do Grupo NSC se cogita o nome do professor Silvestre Heerdt para comandar a Secretaria da Educação de Carlos Moisés. Heerdt é ex-reitor da Unisul. Outro nome que é apontado como certo para a equipe do futuro governador é do presidente do PSL, Lucas Esmeraldino. Ele somente não assumiria um desafio em âmbito de Santa Catarina se fosse chamado para o staff de Bolsonaro até para prestigiar o segundo Estado brasileiro onde o presidente eleito mais levou votos no País.

Continue Reading
Economia

Cartão Corporativo: Gestão ou gastança?

Como legislador e representante de uma geração carismática o vereador Lucas Neves tem feito um papel inconteste. Entretanto, quando se desloca para a seara da gestão demonstra certo desconhecimento.

É QUE…

Levantamento criterioso sobre como funciona o sistema de pequenas despesas com ou sem cartão corporativo, o levaria a pensar duas vezes antes de tratar o magnético como privilégio e sugerir sua extinção, mesmo que de forma temporária até ‘o pessoal aprender a usar’.

ASSIM

Em que pese a ocorrência de situações isoladas e questionáveis sobre gastos, inclusive que motivaram amplo debate e polêmica, o sistema é moderno e transparente. Reduz a burocracia e, ao mesmo tempo, registra todo e qualquer consumo.

DAÍ QUE…

Se antes de sugerir a extinção dos corporativos, o vereador Lucas Neves dialogasse com o secretário Arruda, por exemplo, entenderia a dinâmica. Até porque, se pautar pelo ‘clamor das redes sociais’ virou um perigo, visto que existe o risco de ser atropelado pelo efeito manada.

Sistema de cartão permite maior controle que adiantamentos para viagens ou outro tipo de liberação de recursos para pequenas despesas. Daí que extinguir o mecanismo é retroceder em termos de gestão pública. Embora seja necessário controle e se respeite quem pensa diferente…

Continue Reading
Economia

Entregue o terreno para instalar a Berneck

Aqueles que pregavam que ‘era coisa de período eleitoral’ devem estar de olho arregalado vendo a sequência dos procedimentos para a viabilização da Berneck com sua planta industrial prevista para as margens da BR-116 em Lages. Mais uma providência burocrática e importante foi dada nesta segunda-feira, 05. Prefeito Ceron foi à Acil, onde com o presidente Sadi Montemezzo por testemunha, assinou o termo de outorga de cessão de posse do terreno destinado à implantação da empresa.

EFETIVA INSTALAÇÃO

Diretor administrativo da unidade Berneck de Curitibanos, João Junir Sena Ribeiro, representou a empresa. Ao oficializar a entrega do terreno, Ceron destacou ser esta uma etapa importante para o processo de construção da unidade. “O terreno já passou por medições e também foi encaminhado o licenciamento. Em breve iniciará efetivamente a instalação da fábrica, como a preparação do local, com a retirada dos pinus, limpeza e terraplanagem”.

Sena Ribeiro que dirige a unidade de Curitibanos da Berneck com Ceron e Montemezzo e o papel que garante à empresa para tomar conta da área de quase um milhão de metros quadrados

TAMANHO DA ÁREA

O terreno cedido pela prefeitura conta com aproximadamente 950.000 metros quadrados (considerando a área que era da Fazenda Cruz de Malta e da Seara Alimentos nas margens da BR-116. Houve ainda uma compra direta, entre a empresa e a família Schroeder, proprietária da área vizinha ao futuro empreendimento, completando a área necessária para a implantação da fábrica.

Protagonistas para vencer a burocracia como o Procurador Agnelo Miranda, participaram com os secretários Marião e Bortoluzzi e o presidente da Câmara, Luiz Marin, do ato na Acil. Ceron quis dar ideia de coletivo e de prestígio à entidade empresarial ao levar para o local o ato

Continue Reading