Política

Ceron dá o tom do que pautará campanha

PRÉ-CANDIDATO À REELEIÇÃO, O GRINGO FALOU À CLUBE FM

Por causa do calendário eleitoral, esta é a última semana que prefeitos podem dar entrevistas falando sobre a gestão. Por causa disso a Rádio Clube FM 98,3 convidou o prefeito Ceron para um breve relato das ações, oportunidade em que falou também da pandemia e sobre o processo eleitoral, para o qual ele é pré-candidato à reeleição. Algumas partes da manifestação do prefeito de Lages:

INSANIDADE DA ELEIÇÃO

Por causa da pandemia e esse cenário indefinido, inclusive em relação ao método da campanha eleitoral, Ceron aponta que é “uma insanidade se fazer eleição na data definida”. Acredita inclusive que a votação poderá ficar para dezembro, devido a esse cenário preocupante em relação à Covid-19.

R$ 117 MILHÕES DE DÍVIDAS

Quando assumiu esse foi o montante apurado de dívidas “dos últimos 251 anos de Lages”. Indagado como estaria esse débito, Ceron observou que nesse montante não estavam os R$ 20 milhões pagos em precatórios e cerca de R$ 70 milhões que precisou aportar para pagar pensões e aposentadorias do LagesPrevi. E disse que mesmo com o financiamento do Finisa de R$ 50 milhões, a prefeitura tem menos da metade daquela dívida herdada.

SOBRE A OPOSIÇÃO

Ceron demonstra leveza ao falar da relação com a oposição. Altera o tom quando se refere ao que chama de mentiras, como do caso da rejeição de suas contas ventilada pela oposição na Câmara. “Foram aprovadas no plenário do TCE”. Sobre experiência em gestão cita que tem calo nas mãos de trabalhar, enquanto um ou outro da oposição tem calo na língua de tanto falar.

TAMBÉM COM O DEM

Sobre a engenharia de siglas para possível coligação majoritária, observou o jargão de que time que está vencendo não se mexe, para confirmar a tendência de manter a dobradinha com o PP e agregar PRB, PSB e até o Democratas do vereador Samuel Ramos. Nem o MDB está fora de cogitação para uma composição. Ceron disse que respeita a decisão do PSDB de ter candidato (Monarim) e que só não há diálogo com aquelas siglas que já se colocaram com candidaturas.

PROMESSA DE CAMPANHA

Foi indagado ao prefeito sobre onde estava com a cabeça quando prometeu visitar os postinhos (UBS) todos os dias. Observou que fez isso porque sempre foi seu comportamento de passar pelas filiais da empresa que administrava logo pela manhã. E que cumpriu essa visitação nas UBS até que a tecnologia trouxe os postinhos até ele, através da possibilidade de conferir tudo em tempo real de forma virtual.

‘NENHUM MAIS QUE EU…’

Ao relacionar obras e ações, Ceron chega a desafiar apontando que nenhum outro prefeito de Lages fez tanto quanto ele. Faz reconhecimento à ajuda dos governos federal e estadual, mas observa que se não fosse a gestão obras como da UPA além de não sair, ainda teria que ser devolvido R$ 1,5 milhão.

PRIORIDADE DAS PRIORIDADES

Na fala à Rádio Clube FM, Ceron observou que o grande gargalo em Lages é na área de infraestrutura. Indagado se asfaltaria todas as ruas onde passa ônibus citou que precisaria de 10 mandatos para isso. E que, se obtiver êxito na reeleição (ele é pré), a prioridade 01, 02, 03, 04, 05, 06, 07, 08… será a pavimentação de vias.

CARMEN ZANOTTO CANDIDATA

“É um direito legítimo dela que tem que ser respeitado. Claro que numa decisão assim há perdas e ganhos”, citou numa referência ao mandato de Federal que a deputada exerce.

Ceron reafirma a condição de pré-candidato à reeleição e garante que nenhum prefeito fez mais em Lages quanto aquilo que colocou em prática

Continue Reading
Política

PSL talvez com chapa pura em Lages?

TODOS OS CENÁRIOS SÃO POSSÍVEIS A ESSAS ALTURAS

Um dos principais empresários de Lages deu o recado a Lucas Neves: – Se tiver dobradinha com Jair Júnior esqueça meu apoio! Não por isso, até porque Jair Júnior se coloca como pré-candidato a prefeito e não vice, mas o PSL poderá optar por uma dobradinha pura na disputa. Lucas Neves teria de dentro da bancada da Câmara um nome para a peleia com ele.

QUEM SERÁ QUE SERIA?

Estaria entre Bruno Hartmann e Luís Marin o escalável para uma eventual chapa sem misturança. Trata-se de uma hipótese pouco provável até devido a necessidade de agregar parceiros que ajudem puxar votos, mas faltando 35 dias para terminar o prazo de fechamento de coligações e definição de candidaturas tudo caminha nessa indefinição de caminhos.

– Daí a gente não consideraria a idade como critério para definir o cabeça de chapa, numa eventual dobradinha nossa, vereador Marin. Vamos definir como critério a ordem alfabética do nome, o que acha?

Continue Reading
Política

Lages: Maldaner quer protagonismo do MDB

PRESIDENTE ESTADUAL DO MDB FALA EM MAJORITÁRIA

Deputado Celso Maldaner bate ponto em Lages nesta quarta-feira, 12. Passagem pela cidade foca medir a temperatura do processo eleitoral, faltando pouco mais de 90 dias para o lageano ir às urnas. Talvez por desconhecimento, talvez por otimismo, Maldaner fala que o MDB tem nome em Lages para concorrer. Não antecipa de quem se trata porque, na verdade, o partido não tem nome.

CONJECTURAS

Nesse deserto de nomes do MDB em Lages, houve até quem incentivasse a ideia do ex-prefeito Elizeu Matos retornar ao cenário, inclusive numa disputa. Mas a realidade jurídica o mantém recolhido, podendo, no máximo estar articulando o time para lançar boa nominata de vereadores e tentando escalar um vice para uma composição.

O QUE PENSA O EX-PREFEITO

Recolhemos impressões distintas em contados durante momentos diferentes com Elizeu Matos. Lá no começo do ano, quando os menudos apresentaram crescimento (contido pela pandemia), o ex-prefeito via que Ceron se reelegeria. Não falava claramente, mas deixava entender que até torcia pelo Gringo. Nos tempos de agora, não esconde certa mágoa com os atuais ocupantes do Paço e, apesar de uma observação aqui e ali, dá a entender que gostaria de ver o MDB com Carmen Zanotto.

O FATO É QUE…

O MDB lageano segue sendo aquele MDB de militância atuante e que faz a diferença em qualquer processo eleitoral, quando todos estão juntos, rumando num mesmo projeto. Mas a sigla vive o elizeudependência. Ou seja, não se criou nomes para dar continuidade ao legado político da sigla conquistado com a ascensão ao poder em 2012.

E ASSIM…

Tirando o ex-prefeito não há um nome com fortidão para uma majoritária. No máximo como vice. Daí quando Maldaner chega dizendo que a sigla tem nome, evidencia que o presidente estadual do MDB não sabe o que diz sobre cenário eleitoral em âmbito de Lages.

E aliás, não é somente em Lages. Há municípios da Serra que, embora no poder, não se articularam muito. Bocaina, onde Maldaner aparece na foto com o prefeito Schmuller e o vereador Macarena, vai ter que se esforçar para ter candidatura que dê continuidade à presença do MDB na administração.

Continue Reading
Política

Contas do Paço na pauta da Câmara

Vereador Jair Júnior naquela angústia pela falta de reverberação dos posicionamentos já que a pandemia domina a atenção da população e as ações do poder público complementam a pauta, segue se agarrando em algumas alternativas para tentar desconstruir a atual gestão. É a postura respeitável da oposição, embora os assuntos abordados não ecoem de forma a causar fato novo.

CONTAS DO PAÇO

Colega Olivete Salmória chegou a informar que a prestação de contas vieram com recomendação de rejeição do TCE/SC referentes ao ano de 2018. A pauta veio da oposição, induzindo quem noticia ao erro. Houve nessas contas duas inconsistências: gasto a mais com educação e déficit na execução orçamentária. Quando da votação das contas no TCE o próprio prefeito Ceron acompanhou e, apesar da contrariedade do Ministério Público de Contas, acompanhando o relator, os conselheiros aprovaram em plenário as contas de 2018.

OU SEJA

Está ali no papel de forma cristalina a informação – inclusive reverberada pela imprensa à época – sobre a aprovação das contas com essa ressalva da contrariedade do Ministério Público de Contas. As mesmas não subiram a Serra com recomendação pela rejeição.

O QUE OCORREU?

Ao chegar na Câmara a oposição, nesse episódio liderada por Jair Júnior, fez as contas do déficit orçamentário e calculou que cada lageano terá que pagar em impostos R$ 97,00 a mais para cobrir o referido déficit. Quem lida com gestão pública sabe que isso não existe. Não há a figura do Imposto para Cobrir Déficit Orçamentário. É uma diferença que vai se resolver na própria peça orçamentária.

CÂMARA REJEITA?

Hipótese da Câmara rejeitar as contas é pouco provável. Seriam necessários 11 votos nesse sentido. E daí entraríamos numa realidade onde o TCE/SC recomendou a aprovação e, contrariando o Tribunal, os vereadores votaram pela rejeição.

INELEGIBILIDADE

Soa igualmente estranho se falar em inelegibilidade por eventual reprovação das contas. Até aos mais leigos, uma pesquisa no Google fará entender que é preciso a figura do dolo (vontade consciente) de estourar as contas, para que o agente político se torne inelegível. E até isso se definir numa situação como essa de Lages, demora um tantão assim

Votação das contas de 2018 deve voltar à pauta na semana que vem na Câmara

Continue Reading
Política

Nem todo pré está nas pesquisas em Lages

LEVANTAMENTOS TÊM PRIORIZADO NOMES MAIS VIÁVEIS

Somente no mês de julho tivemos conhecimento de pelo menos três sondagens – em caráter científico – sobre a intenção de votos dos lageanos para a eleição que acontece dentro de 100 dias – 98 para ser mais exato. Mas nem todos aqueles nomes que se colocam ‘no mercado’ como pré-candidatos a prefeito têm aparecido nas indagações feitas ao eleitorado. Isso já virou motivo até para protesto na rede social…

Essa reclamação foi publicada em rede social visto que o vereador do Podemos e/ou pessoa que o defende entende que o mesmo deve constar na abordagem ao eleitorado.

PROCEDE A PONDERAÇÃO?

Em termos. Ocorre que quem encomenda a pesquisa para consumo interno – já que vai pagar pelo levantamento – decide e define o que quer medir do eleitorado numa abordagem. Pode inclusive fazer pesquisa sem citar nenhum nome de pré-candidato, mas apenas medir a febre do eleitor sobre perfil, características e anseios do eleitor a respeito da eleição. Se for uma pesquisa para divulgação, a partir de registro e todos os demais dados previstos na lei, daí a situação é diferente, devendo-se abranger todos aqueles colocados como pré.

OUTRA REALIDADE

Há também outra razão de se omitir nomes. Tem pré-candidatos em Lages – e provavelmente em outros municípios – cujo nome é colocado na disputa apenas para potencializar uma negociação em termos de coligação. Nomes que se visualiza com balão de ensaio. Não se está aqui afirmando que é o caso do reclamante, mas não faltam aventureiros nestes tempos pré-eleitorais tentando um lugar na janelinha quando da formação de coligações.

QUAIS OS ÍNDICES?

Não existe qualquer possibilidade de divulgação de dados dessas pesquisas para consumo interno. Nem se quer em grupos de WhatsApp é possível compartilhar dados porque isso fere a legislação e impõe multa a quem propaga pesquisa sem atender os requisitos legais.

Continue Reading
Política

Qual eleitorado nos municípios da Amures?

SETE MUNICÍPIOS TÊM REDUÇÃO DE VOTANTES

Dados atualizados pelo TSE sobre os eleitores aptos ao voto na escolha de prefeito, vice e vereadores nos 18 municípios da Amures, evidenciam que não houve grandes alterações no eleitorado da Serra Catarinense. A diferença entre os aptos ao voto em 2018 e aqueles que votarão em 2020 é bastante pequena.

CONSIDERE-SE QUE…

Não será considerada para a eleição deste ano o recadastramento biométrico. Significa que aquela redução verificada com a revisão não está sendo considerada. E mesmo os eleitores que não fizeram a biometria (e deveriam ter feito), poderão votar na eleição de 2020.

OS NÚMEROS DA SERRA

Abaixo temos, pela ordem de quantidade de eleitores atuais, a realidade de cada município da Amures. Em vermelho os municípios que registraram queda no número de votantes. E naqueles que houve aumento, a marcação está em azul.

Os dados consolidados apontam que em 11 municípios da Amures houve leve aumento no número de votantes. Em outros 7 municípios ocorreu leve redução no quantitativo de eleitores

Lages registra 513 eleitores a menos entre 2018 e 2020 quando havia expectativa de que a cidade chegasse aos 130 mil eleitores continua com 7 mil a menos em relação a tal previsão

Continue Reading
Política

Diminui o número de eleitores em Lages

ENTRE OS APTOS DE 2018 E 2020 HÁ 513 A MENOS

TSE divulgou dados sobre o eleitorado apto ao voto nas eleições municipais deste ano. Apesar daquela nossa crença de que a população de Lages beira os 180.000 moradores na cidade, os dados oficiais da Justiça Eleitoral apontam uma redução daqueles aptos ao voto.

OS NÚMEROS

De acordo com a mesma Justiça Eleitoral, na eleição que elegeu Presidente, Governador e parlamentares no pleito de 2018, o município de Lages possuía 123.514 eleitores aptos ao voto. Na divulgação dessa semana esse número reduziu para 123.001. São 513 eleitores a menos, segundo os dados oficiais.

Importante se observar que mesmo em cidades onde foi concluída a revisão eleitoral e o cadastramento biométrico, não há previsão do uso da nova tecnologia na votação deste ano em face da pandemia. Ou seja, o voto será no sistema tradicional de assinatura do eleitor para confirmar a participação no processo eleitoral

Continue Reading