Cotidiano

Árvores no chão: Ninguém toca no assunto

APROVEITAMENTO DA MADEIRA CAÍDA É BUROCRÁTICO

Nenhum vereador, prefeito ou quem quer tenha poder de gestionar junto aos órgãos responsáveis levantou a voz para defender o proprietário de áreas rurais que viu grande quantidade de árvores nativas ao chão, após a passagem do ciclone. Ocorre que a burocracia para aproveitar a madeira dessas árvores que foram ao chão é tão grande, que às vezes, é melhor deixar apodrecer.

DAÍ QUE…

Internauta compartilha imagem e pondera, ao analisar a informação de que a Secretaria da Agricultura de Lages está inventariando perdas no meio rural para ajudar atingidos:

“Medida urgente é o aproveitamento da madeira em muitas propriedades para uso próprio. Existem muitos pinheiros e madeira nativa caída nas propriedades. A utilização seria uma medida para minimizar o sofrimento deste povo. Chega de “burrocracia”, bastaria fotografar as árvores com raízes e serrar, pedir licença em uma hora de pandemia e desastre é algo impensável”.

Essa é a imagem compartilhada dando ideia da quantidade de pinheiros araucárias caídos pela ação do vento. Dá para cortar e beneficiar isso? Pela burocracia existente, não é recomendável.

Mas era preciso rever os trâmites e permitir o uso da madeira para benefício dos próprios produtores rurais, com a utilização em cercas, galpões, residências e assim por diante.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *