Cotidiano

Atravessamos o inverno da Covid-19

ESTAÇÃO FRIA PREOCUPAVA PELO RISCO DE FALTA DE UTI

Confesso que quando Odila Waldrich deixou a Secretaria da Saúde de Lages para concorrer à Câmara – atendendo o prazo eleitoral – houve um aumento daquela angústia por estarmos convivendo com uma realidade desconhecida em termos de pandemia. Odila vinha fazendo um trabalho de acompanhamento e gestão da crise naquela primeira quinzena em que os casos passaram a aumentar.

TRANSIÇÃO

Talvez por conhecimento da capacidade técnica de Claiton Camargo de Souza, que era adjunto de Odila, talvez por crença que iria dar tudo certo, o fato é que o prefeito Ceron fez uma aposta certeira no nome do novo Secretário. Tecnicista, baseando decisões em dados e, embora enfrentando imprevistos como a suspensão da aplicação de testes rápidos na população, o fato é que a área da saúde, sempre sob a liderança do próprio Ceron, deu conta do recado.

ANGÚSTIA

Havia duas preocupações maiores em relação à pandemia. Era o risco de aumento acentuadíssimo de casos por causa do inverno e, como consequência disso, não haver estrutura de UTI suficiente para atender a demanda de pacientes com Covid-19. Sim, houve aumento de casos, houve retardo de início de óbitos (6 de julho) e enfrentamos o inverno numa angústia coletiva. O Governo do Estado atrasou a entrega da UTI da nova ala. E nós ali, nos cuidados e na preocupação.

FIM DO INVERNO

A estação mais fria se despediu nesta terça-feira, às 10 horas. Colocou na sua contabilidade lamentáveis 70 vidas perdidas para a doença em Lages e mais 31 em outros 17 municípios da Amures. Os dados copilados semanalmente pela equipe técnica liderada pelo próprio Claiton Camargo de Souza evidenciam que ainda há preocupação, mas o pior já passou.

DADOS DO INVERNO

Os gráficos abaixo se referem à primeira semana de inverno e o término da estação. Observando que partimos de zero óbitos até dia 6 de julho e chegamos a 101 mortes em toda a Amures, ao término do inverno.

Esses dados são da última semana de junho, início do inverno. Lages com 298 casos, nenhum óbito e 352 pessoas diagnosticadas com a doença na Serra. Observe que a maioria dos municípios se quer tinha casos.

Esse é o gráfico atualizado no último dia do inverno. Além dos 101 óbitos nos 18 municípios da Amures (70 somente em Lages) o número de pessoas com a Covid-19 superou aos 5.300 casos. De se observar que ampla maioria desses pacientes já está absolutamente recuperada.

A LIDERANÇA EM

TEMPOS DE PANDEMIA

Embora nunca vá declarar isso, mas a pandemia serviu como um bom termômetro de gestão para o prefeito Antônio Ceron. Março começou com os intitulados menudos comendo pelas beiradas e liderando o debate político. Veio a pandemia e o referido grupo murchou. Sobressaiu a postura de gestão do prefeito Ceron, liderando a equipe e as medidas de enfrentamento. Saímos daquele risco de haver adoção de medidas inexperientes e até alopradas, para decisões, avanços e recuos, de acordo com o cenário indicava. Embora Ceron não fizesse por questão política, mas pela obrigação enquanto gestor, tal enfrentamento mostrou a importância da liderança com cautela para esse tipo de crise.

E ASSIM

Houve perdas. A gente mesmo perdeu pessoas queridas e do nosso convívio, mas há crença que Lages enfrentou de forma satisfatória a pandemia. Houve um cuidado em combater, desde o princípio, aqueles mais afoitos que apareciam tentando politizar eleitoralmente o assunto – e a própria população demonstrava esse chega prá lá nos oportunistas. E, como diz o próprio Secretário Claiton, a situação não está resolvida, mas a adesão das mesmas, mantida na mesma linha, podemos diminuir a angústia entendendo que o pior já passou.

Ceron e o secretário Claiton no enfrentamento à pandemia com lamento das vidas perdidas, mas crença de que a crise foi bem conduzida

Compartilhe

1 comentário para: “Atravessamos o inverno da Covid-19”

  1. Boa noite Edson,

    Sou seu leitor assíduo nos tempos atuais. Infelizmente não há tanto tempo quanto gostaria. Gosto muito da maneira sintética e exata que trata os assuntos e escolhe os melhores e mais relevantes temas para informar seus leitores. Quando posso, inclusive o ouço na Hora da Corneta.
    Tendo em vista a rotina pesada e corrida, além do costume brasileiro de elogiar pouco, não vislumbrei anteriormente a possibilidade de te trazer este posicionamento, Edson. No entanto, com está sua matéria “Atravessamos o inverno da COVID-19”, fui obrigado a tirar um tempo e vir parabenizá-lo pelo excelente trabalho, o melhor até agora em minha opinião, ainda que todos os demais mantenham o altíssimo nível.
    Exalto tanto este texto de hoje não somente por concordar em gênero, número e grau contigoo, pois sempre acreditei que o caminho para a superação desta grave crise de saúde estaria na parcimônia, em ações combinadas e não em decisões unilaterais, descabidas e radicais, mas pela maneira que expõe seu posicionamento e os amarra juntamente a dados precisos, evidenciando assim que sua opinião se .revela na mais pura realidade.
    Continue assim, por favor. O serviço que prestas a sociedade é de fundamental importância em tempos de fale news, além de pessoas que pensam ser comunicadores por terem a mão uma rede social.
    Agradeço pela qualidade das informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *