Cotidiano

Pressão dá resultado e haverá matrícula

Um tsunami se abateu sobre a orla de gestão da Secretaria da Educação, desde a decisão de acabar com matrículas para o segundo semestre nos CEDUP. Foi uma onda de críticas de tudo quanto é lado. Deputados como Fernando Coruja e Gabriel Ribeiro saíram em defesa da manutenção do modelo, através da manifestações na Alesc. Aqui na Serra Catarinense são quatro (dois em Lages, outro do Cerrito e um em Abdon).

MEIO TERMO A CAMINHO

A autora da ideia do desmonte do sistema semestral de matrícula, secretária Simone Schramm chamou diretores dos CEDUP. Onze deles apareceram na reunião. Ela apresentou um meio termo. A proposta é oferecer os cursos com maior procura de alunos e baixos índices de evasão. A relação de cursos que serão ofertados a partir de agosto será definida e encaminhada à Diretoria de Gestão da Rede Estadual até o final da tarde de segunda-feira, 9.

APONTOU SIMONE SCHRAMM

“Em momento algum se cogitou a possibilidade de acabar com o Ensino Profissionalizante em Santa Catarina: eu respeito e sei o quanto é importante o trabalho realizado nestas instituições (…). O que está em discussão não é a importância ou a qualidade dos cursos, mas por que os alunos estão desistindo dos cursos no meio do caminho”.

A reunião de Simone Schramm com os gestores de CEDUP onde se apresentou um meio termo: nem todos os cursos terão matrículas em agosto, mas aqueles mais procurados permitirão acesso de novos estudantes

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *