Cotidiano

Começa entrega de casas na Ponte Grande

Aquele aspecto de obra abandonada em relação ao conjunto habitacional construído para abrigar família deslocadas do eixo da futura avenida Casemiro Colombo (Ponte Grande) vai ficando para trás. Pelo menos se visualiza isso com a ação prática da Prefeitura de Lages, em sintonia com a Caixa Econômica, que financia o projeto do Complexo.

SORTEIO

Depois da visita na terça-feira, 15, na noite da quarta foi a vez das famílias que irão morar nas casinhas participarem de sorteio que lhes dá a preferência na hora da escolha. O sorteio é apenas entre aquelas famílias que irão morar no local para que, na hora de escolher a unidade, possam apontar aquela de sua preferência.

São quase 200 famílias que têm direito às casas construídas entre o bairro da Várzea e a linha férrea. A maioria esteve no sorteio realizado no Teatro Marajoara

MÃE E FILHA

Nadir Alves dos Santos, de 66 anos, acompanhada pela filha Daniela Alves dos Santos, 31 anos, foram as primeiras famílias sorteadas pela Caixa Econômica Federal para escolherem suas residências no Complexo Ponte Grande. “De forma estratégica, levamos em consideração dois aspectos fundamentais para o nosso bem-estar: decidimos ser vizinhas para que possamos cuidar uma da outra e também optamos por casas distante dos trilhos por causa do barulho”, explica Daniela.

DEZ ANOS

Segundo o secretário de Assistência Social e Habitação, Samuel Ramos, é compreensível a ansiedade e cobrança pela obra devido ao tempo de construção. “Nem tudo aconteceu como esperávamos, mas a partir de agora, não haverá mais prorrogações. Todas as residências serão entregues nas melhores condições de moradia”.

E…

Por sua vez, Carla Taynara, gerente de engenharia da construtora responsável pelo empreendimento, explicou que as pessoas com deficiência e idosos tiveram prioridade de escolha. As famílias terão o contrato válido por dez anos. O próprio contrato é considerado como escritura do imóvel”.

ALAGA OU NÃO ALAGA?

Conversamos nesta semana com um engenheiro que atuou na obra. Apontou que é preciso se fazer obra de escoamento de água (inclusive tunel liner sob a linha férrea). Do contrário em caso de chuva muito intensa poderá haver alagamentos. Isso que o loteamento foi construído numa escala com pelo menos um metro acima da média histórica de água no local. Mas o aterramento e a dificuldade de escoamento de água podem contribuir para eventuais represamentos e inundações futuras.

Fotos do sorteio: Henrique Vivan

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *