Cotidiano

Confirmada ‘calamidade pública’ em SC

DECRETO ASSINADO PELO GOVERNADOR MOISÉS

Mesmo em isolamento devido ao diagnóstico da Covid-19 o governador Carlos Moisés tem gerenciado a crise decorrente do ciclone da terça-feira, 30. Contabilizados pelo menos 152 municípios afetados pelos ventos fortes e temporais – mais da metade dos municípios catarinenses – após contabilizar estragos e realidade, o governador assinou o decreto de calamidade pública.

Por videoconferência o governador participou de uma conversa com integrantes do Fórum Parlamentar Catarinense, Fecam e Alesc. Ele observou que o decreto de calamidade busca dar celeridade ao processo de busca de recursos junto ao Governo Federal.

CALAMIDADE POR AJUDA

Disse o governador Moisés que…

“Precisamos encaminhar isso o mais brevemente possível para Brasília para que possamos ter um retorno por parte do Governo Federal. O objetivo do Governo do Estado, por meio da Defesa Civil, é que haja celeridade nas respostas. Agradecemos o empenho da bancada catarinense nesse momento e colocamos a estrutura do Estado à disposição”.

AINDA NA VIDEOCONFERÊNCIA

O chefe da Defesa Civil, João Batista Cordeiro, relatou aos parlamentares que os chefes dos prefeitos têm entrado em contato para relatar os estragos em suas cidades. Segundo ele, neste primeiro momento, o Governo tem priorizado a assistência humanitária, com a distribuição de lonas. Também serão repassadas telhas e cestas básicas. Batista enfatizou ainda que a Defesa Civil está elaborando o plano de trabalho solicitado pela Alesc para a destinação dos R$ 30 milhões. O trabalho deve ser finalizado ainda nesta semana.

No dia seguinte ao ciclone em Santa Catarina, o secretário João Batista Cordeiro estava em Lages. Aqui conversou com o prefeito Ceron colhendo as demandas não só da cidade, mas da Serra Catarinense

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *