Cotidiano

Xenofobia e racismo na mira do MP

A pandemia do coronavírus vai passar, mas poderá ter gente se incomodando por assunto diverso após esse pesadelo coletivo. Trata-se do afoitismo em proliferar o vírus da discórdia através das redes sociais que poderá dar dor de cabeça a envolvidos.

CIÊNCIA E PROVIDÊNCIA

Promotoria de Justiça de Lages acionou a Polícia Civil para investigar casos de ofensas através de grupos de WhatsApp. Conteúdos que caracterizem crime como preconceito, xenofobia e racismo, além de injúria racial estão sendo alvo de procedimentos.

RAZÃO DISSO

Essa postura importante do MP com ajuda da Polícia Civil é uma forma de frear uma sequência de mensagens atacando pessoas, especialmente aquelas acometidas de sintomas de Covid-19. Houve quem efetuasse comentários (e esses devidamente registrados) atacando até gestores públicos, acusando-os de esconder dados sobre o novo coronavírus, algo totalmente improcedente, visto que as informações oficiais somente são externadas a partir de protocolo.

Mensagens com prints de conteúdos considerados em desacordo com a legislação estão na mira do MP que pode promover a denúncia criminal no Judiciário e da Polícia Civil incumbida da investigação

MINISTÉRIO PÚBLICO ORIENTA:

MUNICÍPIOS PODEM E DEVEM

Quarentena: É a restrição de atividades ou separação de pessoas suspeitas de contaminação das pessoas que não estejam doentes, de maneira a evitar a possível contaminação ou a propagação do coronavírus. A restrição de atividades, incluindo trânsito de pessoas no município, deve ter justificativa em critérios sanitários, de acordo com a realidade local, e não podem alcançar os deslocamentos em busca por serviços essenciais.

Isolamento: é a separação de pessoas doentes ou contaminadas, de maneira a evitar a contaminação ou a propagação do coronavírus.

Determinação de realização compulsória de: a) exames médicos; b) testes laboratoriais; c) coleta de amostras clínicas; d) vacinação e outras medidas profiláticas; ou e) tratamentos médicos específicos; IV – estudo ou investigação epidemiológica; V – exumação, necropsia, cremação e manejo de cadáver.

Barreira sanitária: a barreira sanitária é uma blitz que não impede o direito de ir e vir, autoriza a entrada das pessoas, mas visa fiscalizar a entrada de pessoas possivelmente adoecidas no território. O município poderá exercer a fiscalização do cumprimento das regras e recomendações de isolamento social, como atividades de turismo e trânsito de pessoas idosas, porém não pode impedir o ingresso de pessoas com residência, ainda que sejam somente visitantes na cidade.

MUNICÍPIOS NÃO PODEM

Bloqueio total de acesso:  Não é permitido o fechamento completo das cidades para ingresso de pessoas e veículos. É permitido o bloqueio de algumas vias para tornar mais eficazes as barreiras sanitárias, desde que haja outro acesso próximo e que o bloqueio não coloque em risco o acesso e a segurança do cidadão. Não é possível, por exemplo, a colocação de placas ou tubos de concreto na única entrada do município para proibir a entrada de veículos ou visitantes.

Proibição geral de ingresso de não moradores: Municípios não podem proibir o ingresso de pessoas sem que haja pertinência concreta com as ações para proteção à saúde como, por exemplo, tornar exclusivo o acesso para moradores ou veículos emplacados no Município.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *