Cotidiano

Denunciado suposto ‘taradão da Educação’

Há gravidade no teor da denúncia constante do boletim de ocorrência que completou sete meses quarta-feira, 10. Em tempos de combate à violência contra a mulher e de situações inadmissíveis como tem sido noticiado (Fantástico da Globo expôs uma situação absurda neste domingo) é de se esperar que quando um caso do gênero bate à porta das autoridades, essas não respondem com o silêncio.

DAÍ QUE…

Se verdadeira a denúncia (o que é grave) ou falsa (que também é grave), o relato não poderia ficar apenas no âmbito de um registro policial. A postura relatada no documento policial (abaixo) levou o assunto até o vereador Jair Júnior (PSD). Até porque ele irá, com razão, cobrar explicações. Claro que sem transformar em palanque político, mas o silêncio não é a melhor resposta para o episódio.

DO QUE SE TRATA

Em linhas gerais uma senhora está denunciando um gerente da Secretaria da Educação por ter feito piadas constrangedoras e adotado postura que ela entendeu como assédio. Postura da secretária Ivana, no relato do boletim de ocorrência, sobre o assunto é estranha. O documento abaixo é oficial, resultado do relato da própria denunciante.

A mulher, após não ter aceitado a postura machista do gerente, entende que passou a ser perseguida nas suas atividades.

CASO DELICADO

Como toda situação tem suas versões, o teor relatado pode não ser espelho da mais absoluta verdade. Pode, não significa que não é. Daí que caberia uma atenção maior até através de uma solução pedagógica para o tema. Difícil acreditar que uma mulher iria se expor ao ponto de se dirigir à delegacia de Polícia fazer um relato, sem ter certeza do ocorrido.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *