Cotidiano

Grades na praça agrada moradores de rua

Se a ideia do poder público era instalar grades e impedir acesso de moradores de rua ao palco da praça Joca Neves, o resultado prático foi diferente. Aqueles que utilizavam o local para pernoitar sentiram maior proteção com a fixação das estruturas. A providência agradou a turma.

DEBATE SOBRE O TEMA

O assunto rende polêmica, inclusive com acusação à prefeitura de que essa política de tratar moradores de rua (fechando com grades espaços públicos) é equivocada.

Início da noite da quinta-feira, 25, estava assim, com os hóspedes da praça se acomodando para enfrentar o frio do inverno. Apenas o cãozinho (na escada) não conseguiu vencer a barreira de acesso à concha acústica

REGISTRE-SE O SEGUINTE

Há equívoco – talvez intenção em dar um viés político ao assunto – quando se critica a colocação das grades como política pública de tratamento ao morador de rua. É que Lages possui trabalho voltado a essa gama de excluídos. Há ambiente para passar a noite, bem como estruturas de assistência. Mas o problema está na resistência desses moradores de rua em se submeter às regras (como tomar banho) e serem atendidos.

DAÍ…

Dizer que colocar grades e impedir acesso é a ação do poder público, constitui-se um posicionamento ignorante, de quem desconhece os programas sociais para atender essas pessoas. E como não há forma de forçar e recolher compulsoriamente tais seres humanos para o atendimento, o assunto sangra.

Compartilhe

1 comentário para: “Grades na praça agrada moradores de rua”

  1. É uma área publica não é? é do povo não é? Ser mendigo é crime? Não! usar droga é crime? Não! Beber é crime? Não! É feio essa gente perambulando pela cidade? Sim! mas e daí? Se mudarem-se para a praça da catedral vão cercar lá? Idéia burra, equivocada, que apenas serviu para distanciar mais as classes sociais. Se o indivíduo não quer viver sob os programas do governo…deixa ele! Esse portão aí seguramente custou mais de 10 mil reais. Porque não direcionam essa grana para algo útil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *