Cotidiano

Advogado declina de cargo comissionado

Militando inclusive na Acil, onde possui vasta relação de amigos, advogado Jeferson Rodrigo de Oliveira não se recolheu do processo eleitoral ano passado. Defendia o voto naqueles que nem apareciam no radar de eleitos. Porém, de atuação advocatícia abrangente, inclusive na área empresarial, a postura política se deu pela defesa de mudanças, como pregaram também muitos empresários locais. Não era uma postura em busca de cargo público. Evidência disso que sobreveio no mês de janeiro a nomeação do advogado para o cargo comissionado na Procuradoria de Estado da Fazenda aqui na Serra, cargo de livre nomeação pelo governador Moisés.

DECLÍNIO DA FUNÇÃO

Embora tenha se sentido valorizado pela nomeação, função essa que muitos profissionais de direito almejam pelo desafio e até a remuneração, o advogado Jeferson Rodrigo de Oliveira optou por declinar. Enviou ofício respeitoso à Procuradoria Geral do Estado, reverenciando a qualidade dos servidores da área, mas justificando que se assumisse, atrapalharia sua atuação no andamento de processos em relação aos quais já é patrono.

NÃO FOI DESDÉM

Longe, portanto, de ser uma postura de despeito ao governo, nem tão pouco de menosprezar a indicação. Foi apenas uma decisão pessoal, onde se priorizou a atuação privada. Evidência de que nem todos estão ‘locos’ atrás de cargo público.

Advogado Jeferson de Oliveira e a opção pela atuação privada e não num cargo público o fez declinar do cargo comissionado de Procurador de Estado da Fazenda em Lages

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *